Sem qualquer divulgação, inclusive no seu portal da transparência, vereadores de Belém do São Francisco, aprovaram, Projeto de Lei nº. 004b\2016, que proporcionará um baita aumento nos seus salários (subsídios). Dos atuais R$ 6 mil, cada vereador passará a receber a partir deste mês, período que não trabalham, a bagatela cifra de R$ 7,8 (sete mil e oitocentos reais). Um especular aumento de 30%.

Para estes a certeza de um ano novo próspero e cheio de fartura. Para o povo a ingrata ilusão de que um dia vai ter.

Para estes a certeza de um ano novo próspero e cheio de fartura. Para o povo a ingrata ilusão de que um dia vai ter isso.

CALADINHOS:

A sessão que aprovou a medida não aconteceu agora, mas pasmem todos, já que foram ágeis nesta questão, em duas votações regimentais que aconteceu num só dia, 20 de junho de 20116, ou seja, mais de seis meses atrás, mas o povo só toma conhecimento agora, pois mesmo possuindo um portal, o Projeto não foi objeto de noticia naquele órgão informativo e com isso os belemitas são pegos de surpresas. Embora ágeis neste assunto, assim não procederam com relação à prestação de contas, exercício 2012, do prefeito Gustavo Caribé, pois como dito em reportagem anterior, desde abril vêem empurrando a mesma com a barriga e deixando para ser votado no decorrer de 2017. O projeto tem a assinatura dos vereadores membros da mesa diretora, Antônio de Eurípedes, Aurora Guedes, Lourival Reis (Vavá do Bode) e Quincas Valdivino.

Para chegar ao assunto, há três meses o Blog do Tadeu Sá vinha procurando alguns vereadores, mas eles saiam pela tangente, alegavam que a matéria ainda não tinha sido votada, ou que foi mas não sabia o valor, mais eis que tudo já havia sido aprovado e graças a um vereador que disse ser contra o aumento, mas que votou a favor para não constranger os colegas, foi que o projeto veio parar na redação do Blog do Tadeu Sá e consequente agora, no conhecimento popular.

Votado no dia 20 de junho de 2016, somente agora, graças ao Blog do Tadeu Sá, o povo sabe dos novos marajás. Temos que dá um basta”

Votado no dia 20 de junho de 2016, somente agora, graças ao Blog do Tadeu Sá, o povo sabe dos novos marajás. Temos que dá um basta”

MARAJÁS:

O aumento, leva a que os vereadores de Belém do São Francisco sejam os mais bem pagos da história do município e de toda região, pois mesmo com um população muito maior que Belém, em Floresta, município com trinta e três mil habitantes, os salários dos vereadores corresponde apenas a 6 mil reais. O mesmo valor também é pago aos vereadores de Cabrobó, que possui 34 mil habitantes. Em Belém, mesmo com uma população muito inferior, na ordem de 20 mil habitantes, seus vereadores irão receber a cada ano a exuberante cifra de R$ 93.600,00 (noventa e três mil e seiscentos reais) ao ano, ou mesmo, R$ 374.400,00 (trezentos e setenta quatro mil e quatrocentos reais) no encerramento do mandato. No final, todos os vereadores juntos consumirão do bolso do contribuinte belemita a milionária importância de R$ 4.118,400,00 (quatro milhões, cento e dezoito mil e quatrocentos reais). Depois do Juiz, do Promotor e do prefeito, os salários dos vereadores se tornam um dos maiores de Belém. Um baita privilégio que dói na consciência de poucos, mas que afronta a dignidade do povo sofrido afronta, isto ninguém discute.

Afora este gigantesco salário, dignos de serem chamados de marajás, os vereadores ainda têm direito a gabinetes especiais, assessores e diárias gordas para participarem, se participarem, dos congressos que todos os dias são oferecidos aos montes, espaço climatizado em tudo quanto é lugar, cafezinho, bem como ao pagamento extra por cada sessão extraordinária que venha acontecer, além de três meses de férias já que o calendário do ano passado foi de 15\02 a 14\06 e 09\08 a 13\12, como também a obrigação de comparecer apenas a duas sessões legislativas por mês, num total de 20 ao ano, que tendo cada uma duração em média de duas a três horas, simboliza que no final de cada ano cada vereador trabalha apenas 60 horas, menos de três dias, e aí sim, se levada isto em consideração, se torna os maiores salários do município já que cada reunião custa R$. 4.680,00 (quatro mil seiscentos e oitenta reais). Mais vantajoso ainda, é no caso do presidente, pois com a função, tem o representante do legislativo um salário de quase R$ 12 mil (doze mil) por mês e uma gorda verba para manuseá-la como quiser.

Calendário acima, mostra dias trabalhados pelos vereadores de Belém do São Francisco no ano de 2016.

Calendário acima, mostra dias trabalhados pelos vereadores de Belém do São Francisco no ano de 2016.

ATITUDE INSANA:

A decisão dos vereadores de Belém do São Francisco, trata-se de ato completamente insano para o momento que o país atravessa, com uma crise econômica aguda e de braba recessão econômica, principalmente o município, que vem sofrendo às duras pena e como tal não justifica um aumento desta envergadura. O mais lamentável é que eles não movem uma palha, ao menos apresentam projetos que evite o declínio populacional que passivamente assistimos. Tudo isto é demais para um município que além de quebrado, completamente desprezado, ainda enfrenta uma grave crise moral, econômica e política. Ninguém faz nada para tirá-lo do fundo do poço.

EFEITO CASCATA:

O Pior é que este aumento leva a um efeito cascata que agride mais ainda a população, já que daí vem o aumento no salário do prefeito, do vice, dos secretários e demais cargos comissionados. Em Floresta como já dito, todos eles vão receber salários menores que Belém.

SALÁRIOS X POPULAÇÃO:

Enquanto os salários do vereadores de Belém crescem na proporção vista, de 30%, a população regride. Em 1991 éramos 24 mil habitantes, hoje só resta 20 mil e se o futuro prefeito não puser as coisas em ordem, em breve seremos apenas 19 mil. Somos um município cuja população não cresce, mas que os vereadores se comportam como se estivessem numa cidade grande, que desenvolve e com isso nada fazem. Não há um só projeto que tenha o propósito de alavancar nosso progresso. Ao contrário, impiedosos castigos são constantemente impingidos pelos vereadores aos cidadãos, como foi o caso do mega aumento na cobrança da taxa de energia pública, dos projetos que levam a renuncias de receitas e das sucessivas prestações de contas que são aprovadas a contra gosto do bom costume, da honestidade e do Tribunal de Contas.

OUTROS MUNICÍPIOS:

A questão aumento dos subsídios dos vereadores em outros municípios levou a população a fazer fortes protestos nas ruas ou através das redes sociais. Em Floresta por exemplo, quando se especulou o aumento, diante da pressão popular, levou cinco dos vereadores a desistirem do projeto, no que levou o Presidente do Legislativo, Murilo Almeida, a congelar os salários, ou seja, este ano os subsídios dos vereadores florestanos serão os mesmos de 2016, ou seja, 6 mil reais. Em Cabrobó, logo que veiculou-se o reajuste, o presidente Zezito Salú, negou e achou por bem não colocar a matéria em pauta. Na ocasião, disse Salú, A Câmara Municipal de Cabrobó nem se quer apreciou o Projeto de Lei em Plenário. Os valores de vencimentos dos vereadores, prefeito e vice-prefeito de Cabrobó, referente ao quadriênio 2017/2020, permanecerão os mesmos até então praticado, sem nenhuma alteração“. Disse o presidente.

Em Juazeiro do Norte – CE, também aconteceu o mesmo, o aumento causou grande revolta na população, no que resolveu os vereadores por cancelar. Em cidades de São Paulo, Goiás e outros estados da federação também aconteceu o mesmo. Em muitos deles, a pressão popular foi tão grande que levou os vereadores a diminuir seus salários. Em São Paulo, capital, cidade mais rica do país, o aumento foi menor do que Belém, lá foi de 26%, aqui foi de 30%, mas a indignação através a Justiça interviu no assunto e uma medida liminar suspendeu o aumento.

Também na cidade de Tucano, na Bahia, 270 quilômetros de Belém, moradores lotaram o plenário da Câmara Municipal ao saberem que os vereadores teriam votado um aumento nos seus subsídios, de R$ 7 mil, para R$ 10.128,89 mil. Os tucanenses se organizaram através de um movimento chamado, “Não vamos nos calar – Mobiliza Tucano!”, que ganhou força nas redes sociais e nas ruas com carros de som convidando a população para protestar. Na mesma ocasião foi feito um abaixo-assinado que foi dirigido à mesa diretora postulando pela retirada do Projeto e o congelamento dos subsídios dos vereadores, o povo foi atendido, o aumento não aconteceu.

Ainda na Bahia, o Ministério Público, expediu recomendação para os prefeitos e vereadores dos municípios de Paulo Afonso, Glória e Santa Brígida com o fim coibir aumentos irregulares nos seus subsídios a partir de 2017.

A promotora de Justiça Milena Tavares, recomendou que as câmaras destas cidades não votassem ou aprovassem qualquer projeto de lei tendente a realizar aumentos em desconformidade com essas normas. As câmaras e prefeituras foram orientadas a informar ao MP sobre as providências adotadas com o fim solicitado pela promotora.

A casa que deveria ser do povo, se torna lar de uma elite privilegiada. Com o que cada vereador recebe, apenas um terço garante uma reeleição. Por isso que ela não muda. O povo também não faz uma leitura correta de quem tem compromissos, mais vale o poder econômico.

A casa que deveria ser do povo, se torna lar de uma elite privilegiada. Com o que cada vereador recebe, apenas um terço garante uma reeleição tranquila. Por isso que ela não muda. O povo também não faz uma leitura correta de quem tem compromissos, mais vale o poder econômico.

ENQUETE, DÊ SUA OPINIÃO:

Acima, o Blog do Tadeu Sá posta uma enquete, onde o leitor pode responder e dizer da sua posição quanto ao aumento. Um grupo pretende se mobilizar e um ou mais carros de som serão disponibilizados para convocar a população a comparecer na próxima reunião da câmara que deve acontecer em 13 fevereiro com o fim de derrubar o injusto e insensato projeto. Vote na enquete, comente o assunte, compartilhe e conclame seus amigos através das redes sociais para dizer não ao aumento. Belém certamente agradece. 

Com recursos proporcionais à população de cada cidade, embora Belém possua outras fontes, em Terra Nova, o dinheiro sobra. Porque não em Belém?

Com recursos proporcionais à população de cada cidade, embora Belém possua outras fontes de renda, em Terra Nova o dinheiro sobra. Porque em Belém não?

Embora com tamanhos diferentes, mas com recursos públicos determinados a partir do contingente populacional, Belém do São Francisco, Abaré e Terra Nova são cidades comuns que no dia a dia tem seus problemas, especialmente aqueles referentes a saúde e a educação, mas que elas na forma de administrar age completamente diferente uma da outra.

Comparando Belém e Abaré com relação à Terra Nova, sabemos que as duas primeiras possuem o privilégio de estarem encravadas nas margens do Rio São Francisco, e com isso a possibilidade de alavancar seu progresso através da agricultura irrigada. Além disto, as duas cidades são cortadas respectivamente pelas BR 116, esta última uma das mais movimentadas do País, e que por isso também trazem riqueza para os dois municípios, principalmente a região do distrito de Ibó/BA e Trevo do Ibó, a primeira cresce a olhos visto, o segundo com um posto fiscal ali encravado, gera emprego para alguns e mais ICMS para Belém. E isto sem falar na BR 316, que passa em Belém levando diariamente centenas de pessoas a inúmeros lugares.

Belém, afora os pontos citados, ainda diferentemente das outras cidades, recebe recursos oriundos dos royalties e ICMS referentes a produção de energia pela Usina Hidroelétrica de Itaparica, sem falar de outras fontes de rendas que podia muito bem gerar riqueza e desenvolvimento, mas que não são jogadas fora.

Terra Nova não, encontra-se isolada, numa verdadeira contra mão e situada numa das áreas mais afetadas pela seca que assola o nordeste brasileiro, e de agricultura mesmo, apenas quando chove e seus açudes amealham água para isto, de modo que vive exclusivamente as custas dos recursos repassados pelo Governo Federal, sendo este muito menor do que aqueles que são destinados para Belém. Embora seja assim, no campo administrativo, Terra Nova e Abaré divergem muito de Belém.

Não quero ir muito longe, mas apenas relatar os fatos que aconteceram no âmbito destas cidades e nesta questão Belém deixa muito a desejar. Vejamos.

BELÉM DO SÃO FRANCISCO:

Nos últimos dias, o que mais se viu nas redes sociais foram enormes críticas ao Prefeito Gustavo Caribé, em face de não ter pago os salários de dezembro e grande parte do décimo terceiro, isto sem falar que algumas categorias estão sem receber há vários meses, como é o caso dos contratados, e as críticas não recaíram apenas no campo administrativo, mas descambou mesmo para ofensas pessoais.

Uma ira muito grande se voltou contra o prefeito, que justifica o não pagamento a liberação a tempo dos recursos repatriação. E se tal dinheiro que não estava no orçamento da prefeitura não tivesse chegado, como iria agir Gustavo? Na verdade estes acontecimentos tem como causa a desorganização que o ex-prefeito implantou na prefeitura, inchando a máquina administrativa, gastando demais e abrindo mão de rios de dinheiro em troca do nada e por isso centenas de trabalhadores que tanto precisam ficam a depender do Deus dará.

Ainda em Belém, pelo visto não aconteceu como devia ser, digo apenas com relação aos veículos, máquinas e lanchas da prefeitura, a entrega destas para o futuro governo. Os carros, as máquinas e lanchas estão completamente sucateadas e espalhadas por tudo quanto é lugar, delas inclusive numa ilha, em fazendas do interior. Motores de alguns veículos encontram-se em oficinas de outras cidades e com eles débitos exorbitantes. O motor do trator de esteira encontra-se aberto para reparo e exposto ao sol e a chuva. Ainda no pátio da Caribé Engenharia, inúmeros veículos sem pneus e outros equipamentos. Até tapetes de grama foram levados do estádio em carroças de burro por pessoas estranhas a Prefeitura um estrago difícil de ser recuperado, o que redundará em grandes prejuízos para o município e seu povo.

sem titulo 2

Um grande sucatão, é assim que podemos definir os carros da prefeitura que estão amontoados na Secretaria de Obra de Belém”.

Um verdadeiro sucatão, é assim que podemos definir os carros da prefeitura que estão amontoados na Secretaria de Obra de Belém. Na foto abaixo um trator quase novo de um lado e o motor do outro.  acima uma patrol depenada”.

ABARÉ – BA:

Em Abaré acontece o contrário, os salários religiosamente foram pagos em dias ao longo da administração do prefeito Benedito. Oito Unidades Básica de Saúde foram construídas, dezenas de carros e maquinas foram adquiridos e todos em perfeito estado de funcionamento os quais foram colocados defronte a prefeitura, e assim a população pode saber como o futuro governante irá receber seus veículos, de forma que todos estão pontos para continuar servindo a comunidade.

 

Abaré adquiriu dezenas de carros e máquinas, e todas em bom estado de uso e IPVA quites. Em Belém eram entregues a pessoas sem a menor habilidade técnica. Daí o sucateamento.

Abaré adquiriu dezenas de carros e máquinas, e todas estão em bom estado de uso. Em Belém esses equipamentos eram entregues a pessoas sem a menor habilidade técnica. Daí o sucateamento.

TERRA NOVA:

Em Terra Nova, prefeito vai a câmara explicar aos vereadores projeto que dá bônus aos professores de R$ 2.576,25. Daí ser a educação municipal uma das melhores do Estado.

Em Terra Nova, prefeito vai a câmara explicar aos vereadores projeto que dá bônus aos professores de R$ 2.576,25.

Na cidade de Terra Nova, além do pagamento dos funcionários e fornecedores em dia, inclusive o mês de dezembro e o décimo terceiro, com previdência em social ordem, e saldo em contas bancárias na ordem de R$ 150 (cento e cinquenta mil reais), na quinta-feira dia 29, realizou-se uma sessão extraordinária convocada pelo prefeito Laerte Freire, que não é doutor, para apreciação e votação de dois projetos de lei que dispunham sobre a distribuição de bônus em dinheiro e de incentivo para os professores do município.

Os dois projetos foram aprovados. O bônus em dinheiro foi R$ 2.576,25, (a descontar impostos) para cada professor, inclusive inativos e logo foi creditado nas contas daqueles que faziam jus, com todos passando um natal mais e feliz e bastante gordo. Já o outro bônus, trata-se de um incentivo para compra de um notebook e será de R$ 1.800,00, a previsão é que parte do repasse da União chegue aos cofres do município ainda esta semananesta quarta-feira, dia 04, e daí então a prefeitura poderá repassar os notebook para professores.

DINHEIRO SOBRANDO:

Outro grande exemplo de responsabilidade administrativa vem da Câmara de Vereadores de Terra Nova, que fechou as contas do ano de forma invejável, com todas as despesas pagas e até antecipadas. O presidente do legislativo, Pedro Callou (PR), declarou que sobrou nos cofres a importância de mais de 80 mil reais e que este dinheiro será devolvido para à prefeitura do município, de forma que com ele mais benefícios serão realizados em prol de um povo sofrido, mas que são respeitados e que sofre menos que os belemitas. Em Terra Nova, durante todo tempo, o conceito de administrar é ter responsabilidade com o que é público (Fonte: Terra Nova Online).

Diferentemente de Belém, o povo de Terra Nova comparece a câmara para ouvir as propostas dos vereadores.

Diferentemente de Belém, o povo de Terra Nova comparece a câmara para ouvir as propostas dos vereadores.

PORQUE?

Em Belém o que mais se escuta quando se fala dos milhares de problemas que nos cercam, é que tudo acontece por conta da crise instalada no país. Mas que crise é esta que deixa dinheiro sobrando tanto nos cofres da Prefeitura, como da Câmara Municipal de Terra Nova? É isso que nossos governantes tem que explicar. É isto que nosso povo precisa saber. De conversa mole estamos cansados.

Eleitos pela mesma corrente política, Vavá e Joase brigam pela presidência da câmara e trazem primeira preocupação do governo Licínio Lustosa. (FOTO: Internet)

Eleitos pela mesma corrente política, Vavá e Joase brigam pela presidência da câmara e trazem primeira preocupação do governo Licínio Lustosa. (FOTO: Internet)

O que era para ser uma simples posse do prefeito, do vice e de onze vereadores, bem como a eleição para a mesa diretora da câmara de vereadores do município para o biênio 2017/2018, se transformou numa outra cena ridícula que só os políticos de Belém são capazes de proporcionar sem quaisquer remorsos.

ACORDO:

Tudo começou com a escolha do nome daquele que seria o futuro presidente da câmara. Muito antes, numa reunião articulada pelo prefeito eleito, Licínio Lustosa e os vereadores da sua coligação, Vavá do Bode, Dorgival Júlio, Ana Magalhães, Valdir Moreno, Quincas Valdivino e Joase Fonseca (Joase de Vozinho), ficou acertado que o candidato a presidente seria o atual vereador Lourival Dias Reis, o popular Vavá do Bonde. No biênio seguinte seria Joase.

Pois bem, imaginava Vavá que navega em águas calmas, e com isso não sabia que por trás o recentemente eleito, Joase de Vozinho se articulava com os adversários para lançar seu nome. Isto era o que mais queria os opositores de Licínio.

BOM SENSO:

Ocorre que tudo poderia ter resolvido sem qualquer desgaste, da melhor forma possível. Se Joase era da base de Licínio, e não abriria mão da sua candidatura, que se compusessem com ele, esta era a decisão a ser tomada pelos governistas, afinal em termo de competência dou um pelo outro e não quero volta, pois se um representa a velha política, o outro já nasce com ela, pois na primeira oportunidade que teve se aliou com quem o povo a pouco dias deu as costas e que deu com uma grande diferença. Na solenidade sequer souberam fazer o cerimonial recomendado para uma posse.

Quanto à escolha do presidente, do lado de Licínio isto não seria problema, mais eis que Vavá do Bode as vezes faz política com fígado e não digeriu o rompimento e a candidatura de Joase, a ponto de manter seu nome na disputa mesmo sabendo que iria perder. Vavá é teimoso e deu o pescoço para a forca.

LAVANDO ROUPA SUJA:

Nas redes sociais os dois políticos passaram a lavar as roupas sujas explicitamente, quando Vavá acusou Joase, “de não ter sido honesto e correto com seus companheiros, de usar de uma atitude sórdida e traiçoeira e de última hora abandonar seus colegas, fazendo acordo com os adversários do prefeito eleito professor Licínio”. E disparou: “O que a população pode esperar de alguém que não honra com sua palavra e que age de forma desonesta?” Os comentários davam conta de que Joase teria se vendido.

Diante das afirmações de Vavá, imediatamente Joase respondeu dizendo, “nunca houve qualquer tipo de rompimento com o grupo que apoia o professor Licínio. Reitero, que as recentes notícias que circulam de forma irresponsável, afirmando que eu recebi qualquer tipo de vantagem econômica ou aceitei qualquer proposta de tal natureza, não passam de suposições inverídicas/infundadas e fora do real contexto político”.

Na mesma ocasião, Joase ratificou, “Sou candidato ao posto de presidente da Câmara de Vereadores da nossa querida Belém do São Francisco por não visualizar nas propostas do candidato à presidência da minha antiga chapa, qualquer sinal de mudança na forma de se fazer política”. Muito bem, mas porque somente na véspera da eleição foi que Joase veio saber da tal forma de Vavá fazer política? Joase já esqueceu como foi sua campanha? Joase esqueceu o que aconteceu no dia da eleição? Não foi a velha política que o elegeu?

PAU NAS REDES SOCIAIS:

Com acusações de lado a lado, centenas de comentários inundaram as redes sociais atacando Joase de Vozinho, inclusive na sua honra pessoal, com adjetivos de baixo calão, e isto até de parentes bem próximos. Também nas redes sociais as pessoas diziam que na solenidade de posse iriam vaiá-lo. E isto foi o que aconteceu. Ninguém instigou ninguém.

Estrondosas vai sacudiram a posse em Belém. De uma lado o direito de um jovem em ser candidato, do outro o povo que democraticamente mostrou que não concordava com o racha e a candidatura. (FOTO: Internet).

Estrondosa vaia sacudiu a posse em Belém. De um lado o direito de um jovem mesmo sem experiência legislativa de ser candidato, do outro o povo que democraticamente e com o mesmo direito, mostrou na forma mais tradicional de insatisfação  que não concordava com o racha e com uma candidatura aliada a adversários do próprio eleito . (Foto Internet).

Ao ser eleito e empossado como presidente, Joase tentou discursar mas foi impedido por uma sonora vaia que se manteve até o fim, e da mesa dos trabalhos, mais impropérios foram disparados por Vavá em direção ao jovem vereador, que ao buscar responder, vaias mais fortes irromperam-se. Neste momento os ânimos se exaltaram, sendo que um dos presentes acenou para o maestro da centenária Banda Dionon Pires, agora como apartadora de briga de políticos, para que executasse músicas com o fim de abafar a fala do já presidente Joase, que sem pulso firme, não convocou a polícia para acalmar os ânimos, ou evacuar dali os mais exaltados. Atordoado, o presidente olhou para a orquestra e sequer encerrou a solenidade. Uma vergonha do tamanho da classe política que temos que aturar. Vídeo que você ver abaixo.

CRISE:

Diante do que acontecido, nasceu aí, antes mesmo do novo prefeito sentar na cadeira de prefeito, o primeiro impasse do futuro governo. Joase afirma e reafirma que não rompeu com o professor, mas o que Vavá diz que não aceita Joase no grupo. Se Joase continuar, Vavá diz que sai.

VAI E VEM:

Não digo com todos, mas vereador é coisa que vai é coisa que vem, todos lembram do governo passado, quando inclusive Vavá esteve do lado de lá. Lembrem de agora, do presente, quando Joase está com um pé de um lado e um pé no outro. O que o prefeito eleito não pode perder de vista é o forte apoio popular que conquistou e que mantém intacto. Ele não deve se envolver em querelas de vereadores e por isso deve deixar o tempo passar, a poeira baixa, mas seria muito prudente que buscasse governar com a responsabilidade que o cargo exige, agindo com transparência e acima de tudo com muita honestidade, deixando os vereadores bem à vontade e cobrando deles apenas suas obrigações para com os projetos que digam respeito as melhorias que devem sempre acontecer em favor da comunidade, afinal se pode governar sem eles, basta não ter contas rejeitadas pelo TCE. Noutra vertente, seria a oportunidade ímpar de governar sem a forte pressão por cargos para as mulheres, filhos, irmão, parentes e amigos dos vereadores, pois foi isto a causa de toda celeuma.

NÃO É TUDO:

Também é verdade que não seria o primeiro caso de um prefeito governar sem maioria, pelo contrário, assim governou o ex-prefeito de Cabrobó, Auricélio Torres, assim governou o ex-prefeito de Salgueiro, Marcondes Sá, assim governou a prefeita Rorró Maniçoba no seu primeiro governo e mesmo assim deixou a prefeitura como sendo a melhor prefeita que floresta já teve.

Outro exemplo bem apropriado do dito acima vem do município de Macururé, no vizinho estado da Bahia. Lá o prefeito empossado, o belemita Everaldo Carvalho, articulou para eleger como presidente do legislativo o vereador oposicionista Tonhá Gomes, e ele foi eleito por unanimidade. Com sua astúcia política, Everaldo aumentou seu apoio na câmara do município.

PARA PRESSÃO, O POVO:

Licínio também não deve esquecer que seus opositores vão se armar contra tudo e todos, tanto que o atormenta desde a vitória com denúncias de captação ilícita de votos, coisas que todos fazem, e não vão deixa-lo em paz. Que lembre da gestão do então prefeito Aníbal Roriz, mas se tiver em mente que o povo estar ao seu lado, e buscando fazer algo em prol deles, continuará mais forte ainda, pode vir o que vier pela frente.

DIREITO POPULAR:

Quanto às vaias, que muitos puritanos de ocasião ver como baixaria, devemos entender de forma contrária. Assim como foi justo e legal o pleito de Joase de postular, mesmo sem a menor experiência, a presidência do legislativo municipal, também vejo as vaias como um direito legítimo e democrático dos cidadãos de protestar contra os políticos que não honram seus compromissos, mais especialmente os seus eleitores, os que o elegeram para representa-lo, mas que assim não fazem.

Ninguém consegue saber o que acontece no interior da prefeitura. Agora se espera que mude para tirar Belém deste quadro que envergonha.

Ninguém consegue saber o que acontece no interior da prefeitura. Agora se espera que mude para tirar Belém deste quadro que envergonha.

A cidade de Belém do São Francisco, ganhou mais outro destaque negativo, agora no Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE), ranking criado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) para avaliar a qualidade das informações disponibilizadas pelas prefeituras em seus Portais da Transparência no exercício 2016.

O TCE classifica os municípios em cinco níveis de transparência: ‘desejado’, ‘moderado’, ‘insuficiente’, ‘crítico’ e ‘inexistente’. O desempenho de Belém foi considerado “crítico”.

O objetivo do trabalho consiste em realizar o diagnóstico dos portais da transparência das prefeituras municipais do estado de Pernambuco, com o intuito de estimular a melhoria da transparência pública e, consequentemente, facilitar o controle social.

Para cada portal da transparência avaliado, foi calculado o ITMPE – Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco, que pode variar entre zero e 1.000 pontos. De acordo com o valor obtido, Belém obteve apenas 114.5.

Na 169º colocação, dos 185 do estado, Belém fica na frente apenas de 16 municípios. Na região, Belém é o penúltimo, na frente Orocó, Dentre os melhores resultados, Petrolina alcançou o 6º lugar, atrás de Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Jucati e Arcoverde.

Em todo região do São Francisco, Belém só ganha de Orocó. Que exemplo.

Em todo região do São Francisco, Belém só ganha de Orocó. Que exemplo.

No Portal da Transparência das Prefeituras devem constar informações sobre as contas públicas, contratos e licitações com empresas, além de dados sobre despesas, receitas e repasses. O Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco do TCE-PE pode ser acessado no link: http://www.tce.pe.gov.br/indicedetransparencia2016/.

Sem título

Sem título

A Festa continua. Foto: Internet

Dias atrás surgiu a notícia de que Belém do São Francisco seria excluída da relação dos municípios catalogados como polo carnavalesco de Pernambuco. A notícia casou preocupação, visto que grande parte dos recursos necessários à realização da festa de momo são alocados pelo governo do Estado de Pernambuco.

Preocupado com o fato, o prefeito eleito, Licínio Lustosa, procurou o governador Paulo Câmara, e após algumas ponderações, Licínio ouviu a garantia de que mesmo com a forte crise econômica, o carnaval local continuará contando com o apoio do estado.

Sobre o assunto, disse Licínio que a decisão favorável aconteceu graças ao bom relacionamento que possui junto ao governo do estado de Pernambuco. Para Licínio, a notícia garante além da realização da festa, oportunidades de geração de empregos temporários e consequentemente renda para aquecer a economia local.

Diante da notícia, com a garantia do apoio, uma equipe formada pelo governo já começou a discutir a organização do evento e o nome da homenageada deste ano foi anunciado, trata-se da veterana foliã Maria de Tadeu, que diga-se, uma homenagem das mais justas.

Sem título

: Maria de Tadeu é a grande homenageada do Carnaval 2017. Merece. (Foto Internet)

Sem título

Uma notícia importante para a região, o CESVASF através da presidente da Autarquia Municipal, Ana Gleide Leal, acaba de divulgar que este ano dois novos cursos serão implantados na instituição, Bacharelado em Farmácia e Administração. Geografia, História, Matemática, Física, Letras, Ciência Biológica, Pedagogia, são os outros cursos que a instituição oferece.

As inscrições estão abertas desde o dia 22 de dezembro passado e seguem até o dia 02 de fevereiro de 2017. As provas acontecerão no dia 05 de fevereiro de 2017, no prédio da escola e as inscrições podem ser feitas através do endereço eletrônico www.cesvasf.com.br.

Melhores informações podem ser obtidas através do telefone (087) 38761248 ou (087) 9.9991.3117.

sem titulo

A justiça de Belém do São Francisco, realizou no dia 22 de dezembro, leilão de vários bens e equipamentos que estavam apreendidos.

Os bens leiloados variavam de centenas de celulares, a diversos anéis, motor de irrigação, paredão de som, motosserras, bem como pneus, rádios, relógios, bombas de pulverizar, cabos elétricos e muitos outros artigos.

Para o leilão dezenas de pessoas compareceram ao Fórum local, e na ocasião o então Juiz da Comarca, Dr. Carlos Fernando, atuou como leiloeiro. Aquele que oferecia maior valor levava o produto. Não sobrou nada, tudo foi adquirido pelos interessados, que para receberem o produto tinha que apresentar depósito bancário.

IMG00701[1]

Na ocasião, o magistrado informou que em breve, mesmo não mais sendo o juiz da cidade, a Comarca irá realizar um leilão dos automóveis que encontram-se apreendidos no pátio do Fórum.

Os produtos leiloados são oriundos de crimes, alguns em face de não existir notas fiscais, outros utilizados nos crimes de plantios e tráfico de droga, produtos de furto. Neste caso os bens não foram procurados por seus proprietários, por isso foram a leilão.

Sem título

Sem título

O governador Paulo Câmara (PSB) anunciou que o Estado não abrirá novas bolsas para o Programa Universidade Para Todos (Proupe). A decisão foi alvo de crítica por parte da deputada Teresa Leitão (PT), presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Desde setembro com repasses atrasados do Proupe, as autarquias, dentre elas o CESVASF, vem encontrando dificuldades para honrar seus compromissos. Paulo Câmara prometeu regularizar os pagamentos, mas não abrir novas vagas.

As bolsas não serão ampliadas. O máximo que o governo do Estado vai fazer é o pagamento dos atrasados. Isso significa que as autarquias e fundações do Estado de Pernambuco, todas elas funcionando no interior do Estado, serão submetidas a uma situação que pode prejudicar o trabalho direcionado a expansão da oferta de licenciatura e na abertura de novos cursos, como é caso do de Farmácia e de Administração que o CESVASF promete para este ano.

Com muitas despesas, inclusive parcelamento da previdência, Ana Gleide se preocupa com decisão do governador Paulo Câmara.

Com muitas despesas, inclusive parcelamento da previdência, Ana Gleide se preocupa com decisão do governador Paulo Câmara.

Sem título

Por entender que a preservação da paz e a tranquilidade social, bem assim a promoção do bem estar da população são missões institucionais do Ministério Público e que inúmeras reclamações estão chegando a Promotoria de Belém do São Francisco dando conta da prática da perturbação do sossego alheio por intermédio de comportamentos abusivos com o uso de instrumentos sonoros e/ou sinais acústicos no âmbito da Comarca de Belém do São Francisco, levou o MP a adotar severas medidas, já que estas ações constitui contravenção penal.

Diante desta realidade, o promotor púbico de Belém do São Francisco resolveu recomendar ao Comandante da 1° Companhia Independente da Polícia Militar de Belém do São Francisco, para que combata com bom senso e respeito aos direitos individuais envolvidos os comportamentos que promovam algazarras e/ou abusos, bem como a poluição sonora provocada pelos escapamentos de motocicletas, nas suas mais diversas formas, em especial pelo uso de escapamentos do tipo “esportivo” e de “estouros”, “paredões de som” e outros instrumentos congêneres.

Na recomendação, o Promotor diz que aqueles que praticarem tais condutas criminosas, deve a polícia proceder com a apreensão, se for o caso, da motocicleta, ou do aparelho de som, que deverá ser encaminhado, junto com o autuado, à Delegacia de Polícia Civil, para a lavratura de Termo Circunstância de Ocorrência (TCO). Os instrumentos apreendidos, recomenda o MP, só poderão serem liberados mediante autorização judicial, posto que estão sendo utilizados para a prática de delitos.

Também por meio de oficio e para conhecimento de todos, cópia da recomendação foi endereçada ao prefeito de Belém do São Francisco, ao presidente da Câmara de Vereadores, ao Comandante da 1ª Companhia Independente da Polícia Militar, ao Delegado de Polícia e ao Juiz de Direito da Comarca.

Sem título

Uma notícia grave, que não é de hoje, que ninguém toma providência, mas que causa preocupação, diz respeito a uma denúncia de que um poste da rede de iluminação pública da cidade, localizado numa das praças da cidade, está dando choque nas pessoas que inadvertimente encosta neles.

Dias destes por exemplo, uma cidadã belemita, postou nota nas redes sociais, dizendo: “gostaria de alertar a vocês sobre a pracinha de Belém. Na Avenida, ontem levei minha filha pra brincar e ela pegou no poste onde recebeu um choque e ficou agarrada, depois foi jogada na quadra pelo impacto. A Celpe falou que é responsabilidade da prefeitura sobre aquele poste. Quero pedir que o responsável tome providências para que não aconteça com outras crianças o que aconteceu com a minha filha e que graças a Deus, ela não teve nada de grave, mais outra pessoa não pode ter a mesma sorte

Em comentário sobre o assunto, outra vítima disse: “Estava jogando vôlei e por caso fui segurar no poste. Quase morro com o choque. Dei um grito que a praça toda olhou. Muito sério”.

Como dito, isto não acontece de hoje, inclusive se sabe que certo dia um animal de grande porte encostou num destes postes e morreu na hora.

Como ninguém cuidou do caso, registramos aqui um apelo ao prefeito Licínio Lustosa, para que mande averiguar todos os postes de ferro da rede de iluminação da cidade, e com isso possa com antecipação evitar uma tragédia.

Desenvolvido por