Anunciado como sendo seu aniversário, o pré-candidato a prefeito Licínio Lustosa (PSD) e seus aliados promoveram na sexta-feira (10), festa dançante com as bandas, Messias Balas, Zé Nilton, os Três do Cariri e Danilo Pernambucano. O evento aconteceu no Club Oásis, tradicional reduto da família Lustosa. E recebeu o nome “Forró dos belemitas”, o primeiro do gênero na nossa cidade.

Sem título

Além dos parabéns, Licínio recebe como presente a adesão de um dos maiores amigos de Gustavo Caribé. Itamar Roriz,e sobrinhos.

Para a festa, uma forte propaganda foi utilizada, sendo que uma das rádios da cidade, no dia do evento, além de realizar uma longa entrevista como o aniversariante e pré-candidato, durante esta muitos eleitores telefonavam para lhes dar os parabéns. Na mesma emissora, insistentes chamadas convocava as pessoas para a festa.

OUTRO LADO:

Com o anuncio  do “Forró do belemita”, a ideia imediatamente contagiou os aliados do pré-candidato a prefeito, Roberval Aguiar, adversário de Lustosa e com isso uma festa que estava programada para o Casarão VM, que é administrado pela tia do pré-candidato a vice-prefeito, Cristiano Marcula, logo foi transformada em contra resposta a Licínio. O evento que contou com o cantor, Leno Ferreira, e era pago, passou a ser gratuita, e como a outra, três cervejas latões de Itaipava, custava apenas R$ 10.00. Para este evento um carro de propaganda volante circulou pelas ruas com o fim de convocar.

IMG-20160611-WA0013

Ao lado da família, na festa, Roberval recebe o apoio de um dos parentes desgarrado

NOITE:

Já a noite, no horário programado para as duas festas, viu-se que um bom número de pessoas atenderam aos chamamentos dos dois grupos políticos, mas muitos deles preferiam se locomover entre uma festa e outra, cujos locais ficam próximos. No início, o evento do professor tinha um número de pessoas ligeiramente maior, mas a partir das duas da madrugada, quando começou o show do cantor Léo Ferreira, as pessoas bateram em retirada para o casarão VM, e deixaram o Oasis Club, praticamente vazio.

Com os dois acontecimentos, uma forma inusitada de fazer pré-campanha eleitoral, pois embora com cantores com cachês significados, o acesso foi gratuito. Já a cerveja latão, que geralmente custa R$ 4,00, 5,00 reais em eventos desta natureza, era vendida por apenas,  R$, 3,33, a unidade. De uma forma ou outra, ambas mostram com bastante exatidão, a prática da velha política: “festa, ao invés de reflexões sobre a responsabilidade do que acontece. É o viva as festas, o resto que se dane.

Categoria: Sem categoria

Desenvolvido por