Sem título

Estadão Conteúdo – União, Estados, Distrito Federal e municípios são igualmente responsáveis quando o assunto é garantir aos carentes o acesso grátis a remédios. Este é o entendimento da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que levou em consideração que todos esses entes federativos formam o Sistema Único de Saúde, o SUS. As informações foram divulgadas no site do STJ nesta quarta-feira, 23.

Os ministros do colegiado julgaram recurso especial que chegou ao STJ contra o Estado do Paraná e a União para a aquisição, em caráter de urgência, de medicação especial para tratamento de um agricultor diagnosticado com linfoma não-hodgkin, que é um tipo de câncer.

A União argumentou que a responsabilidade para a aquisição do medicamento seria do Paraná, principalmente porque o repasse de verbas do Ministério da Saúde é feito para que os governos estaduais comprem e forneçam os medicamentos.

Segundo o STJ, o Estado do Paraná alegou que o medicamento solicitado seria excepcional e que não faz parte do rol de remédios fornecidos pelo SUS.

O relator do recurso, ministro Herman Benjamin, não acolheu nenhuma das duas argumentações. Segundo ele, a responsabilidade dos entes federativos, no cumprimento dos serviços públicos de saúde prestados à população, é solidária, ou seja, todos são responsáveis.

“A responsabilidade em matéria de saúde, aqui traduzida pela distribuição gratuita de medicamentos em favor de pessoas carentes, é dever do Estado, no qual são compreendidos aí todos os entes federativos”, advertiu o ministro.

Em relação ao fato de o remédio necessário ao tratamento do agricultor não constar do rol daqueles distribuídos pelo SUS, uma perícia comprovou a inexistência de outro medicamento que pudesse substituí-lo. O laudo comprovou também a eficácia do remédio no tempo de sobrevida do paciente.

Para a Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça, por ser a saúde um direito fundamental, previsto na Constituição, “os entes federativos deveriam mover esforços para cumprir o que é estabelecido na Carta Maior e não criar entraves para que o cidadão tenha acesso àquilo que lhe é garantido constitucionalmente”.

Escrito por Tadeu Sá.

O Promotor de Justiça, Paulo Augusto de Freitas Oliveira é o líder do projeto.

O Promotor de Justiça, Paulo Augusto de Freitas Oliveira é o líder do projeto.

Das 64 cidades pernambucanas que aderiram ao 1º Ciclo do projeto Pacto dos Municípios pela Segurança Pública, do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), seis conquistaram o Certificado de “MUNICÍPIO COMPROMISSADO COM A SEGURANÇA PÚBLICA”, nas classes ouro, prata e bronze.

No último dia 18, durante as comemorações alusivas ao Dia Nacional do Ministério Público, o procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra de Holanda, procedeu a entrega dos certificados aos municípios de Triunfo (classe ouro); Caruaru e Jaboatão dos Guararapes (classe prata), Cachoeirinha, Bezerros e Petrolândia (classe bronze).

Nos municípios que aderiram ao projeto, principalmente, nos seis municípios certificados pelo MPPE, já se observa a transformação da realidade social com resultados concretos, a exemplo: da implantação do Perímetro de Segurança Escolar (retirada de barracas das portas das escolas); controle na concessão e suspensão de alvarás para bares, restaurantes e similares (cadastramento obrigatório e fechamento dos clandestinos); ampliação do sistema de câmeras e vide monitoramento, em locais de grande fluxo de pessoas (com ajuda dos comerciantes); criação de comissões de controle de conflitos nas escolas; melhoria da iluminação pública (zona urbana e rural); controle de horários e maior segurança nos grandes eventos .

O projeto de iniciativa dos promotores de Justiça Paulo Augusto de Freitas Oliveira e Aguinaldo Fenelon de Barros, também visa estimular um permanente diálogo entre as instituições públicas do sistema de justiça e de segurança, gestores municipais e sociedade, a fim de buscarem a otimização e concretização das ações pactuadas, em conjunto.

Esse projeto, em seu primeiro ciclo (2014), já conquistou, no mês de novembro do corrente, a primeira colocação, no Brasil, do Prêmio CNMP/2015, conferida pelo Conselho Nacional do Ministério Público, em Brasília, na categoria de Projetos voltados à diminuição da criminalidade.

De acordo com o Promotor de Justiça, Paulo Augusto de Freitas Oliveira, líder do projeto, “a semente foi plantada, nesse primeiro ciclo do projeto, ficando demonstrado que os municípios podem e querem contribuir com o Pacto pela Vida, na redução da violência”. “Não temos dúvidas de que o papel do município é fundamental para a segurança pública, e somente com essa interação permanente (estado, municípios e sociedade), os índices de violência tornarão a cair em nosso estado. Por isso, daremos continuidade ao projeto, em 2016”.

Escrito por Tadeu Sá.

O promotor do Ministério Público Estadual (MPE) em Uberlândia, Fábio Guedes de Paula Machado foi detido, na semana passada, no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP). Segundo informações da Polícia Federal (PF), ele levava consigo 30 mil euros (cerca de R$ 126.405,00, na cotação atual) não declarados e foi pego em uma ação da Receita Federal. O promotor está em férias e tentava embarcar para Europa. A informação foi confirmada pelo MPE em Belo Horizonte.

Guedes assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), se comprometendo a comparecer em juízo para responder sobre o caso, e foi liberado. O procedimento do TCO é comum para o caso. O dinheiro foi apreendido e está na Receita Federal, mas, em função do sigilo fiscal, o órgão informou em nota que não pode se pronunciar sobre dados do passageiro. O promotor não apresentou o comprovante necessário para justificar a origem do dinheiro e embarcar com a quantia.

Conforme informou a Receita, qualquer valor superior a R$ 10 mil, mesmo em moeda estrangeira, deve ser declarado. Nessa hipótese, independentemente da caracterização ou não de crime (que dependerá de investigação), os valores superiores aos R$ 10 mil devem ser apreendidos. Sair com valor não declarado pode ainda caracterizar o crime de evasão de divisas, cuja pena é de reclusão de 2 a 6 anos, além de multa.

Conforme informou a PF, o promotor seguiu nesta sexta-feira (11) para Belo Horizonte onde seria apresentado ao procurador-geral do Estado de Minas Gerais.

A reportagem do CORREIO de Uberlândia contatou a assessoria de imprensa do Ministério Púbico Estadual (MPE) em Belo Horizonte, que afirmou ter sido informada, sobre a detenção do promotor Fábio Guedes.

Em nota, o órgão informou que “por determinação do procurador-geral de Justiça, houve o deslocamento de procurador de Justiça para o referido aeroporto, com o objetivo de se inteirar dos fatos e circunstâncias, trazendo toda a documentação necessária para análise e providências que o caso venha a reclamar”.

O CORREIO também contatou o promotor por meio do celular pessoal, que foi atendido por outra pessoa, que se identificou como advogado. A ligação foi desligada e não houve mais sucesso no contato.

Fabio Guedes Paula Machado possui graduação em direito pela Faculdades Metropolitanas Unidas (1987) e em Ciências Contábeis pela Universidade São Judas Tadeu (1986). Ele é promotor do Ministério Público Estadual há 26 anos, e em Uberlândia atua nas áreas de meio ambiente, habitação e urbanismo. Além da função na Justiça mineira, Guedes é também professor na área de direito penal da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) desde 1992. O promotor é autor de mais de dez livros sobre direito penal.

Escrito por Tadeu Sá.

Na contramão de países como Brasil, Reino Unido e Turquia, a Suécia vai fechar quatro prisões por falta de prisioneiros. A Holanda também segue pelo mesmo caminho, e prisões já foram transformadas de prejuízo em lucro para a economia: uma delas virou um hotel de luxo. Em setembro, o Ministério da Justiça anunciou o fechamento de oito presídios.

A queda no número de presidiários na Suécia tem duas explicações principais: a diminuição no número de crimes e revisões judiciais que buscam penas alternativas. Duas prisões serão vendidas e outras duas emprestadas dentro do próprio governo. Essas poderão voltar a funcionar como presídios, caso seja necessário.

O responsável pelo sistema prisional do país, Nils Öberg, afirma que não é possível, ainda, identificar a escassez de prisioneiros.

Nós certamente esperamos que nossos esforços em reabilitação e prevenção de reincidência tenham tido um impacto, mas nós achamos que isso sozinho não pode explicar a queda de 6%”, disse ele, reafirmando depois que a Suécia precisa se esforçar ainda mais em reabilitar os prisioneiros para que eles possam retornar a sociedade.

Desde 2011, os tribunais de justiça passaram, por exemplo, a encarcerar menos os condenados por venda ou uso de drogas. De acordo com Öberg, isso provocou que 200 pessoas a menos estivessem presas em março deste ano do que em 2012.

Porém, a taxa de encarceramento na Suécia vem caindo desde 2004. Mas, entre 2011 e 2012 a queda foi de 6%, valor que deve ser repetir esse ano, de acordo com as estimativas de Öberg.

De acordo com o Centro Internacional de Estudos das Prisões, vários países seguem na tendência contrária da Suécia. A Turquia, por exemplo, vai construir 207 novas prisões nos próximos cinco anos. No Brasil, entre 2010 e 2012, o número de encarcerados cresceu 10%, mostra relatório do centro. Reino Unido e Estados Unidos também continuam construindo novas prisões.

Segundo o centro, o Brasil tem 253 presos para 100 mil habitantes, acima da Colômbia, com 181. Estados Unidos, cujo governo federal recentemente criou normas para afrouxar o encarceramento nos tribunais federais, continua o país mais aprisionado do mundo, com 743 detentos para cada 100 mil habitantes – bem acima da Rússia (568) e da China (122). Já na Holanda (94) e na Suécia (78) os números já são baixos, e, ao que tudo indica, podem ficar ainda menores.

Escrito por Tadeu Sá.

Atolado em diversos problemas e com falta de pagamento em dia aos fornecedores, atrasos nos pagamentos dos salários dos servidores efetivos, contratados e comissionados, levou o prefeito, Gustavo Caribé, a acordar para a realidade e com isso acaba de anunciar cortes nos gastos da prefeitura, medida que atinge seu próprio salário, os salários dos servidores com funções gratificadas e demissões de contratados.

Segundo o prefeito a medida visa por em ordem as finanças, o que dificilmente acontecerá já que a prefeitura financeiramente encontra-se bastante debilitada, tanto pelo parcelamento dos débitos da Previdência Social, como com aqueles provenientes da Celpe e tantos outros que existem. Ao anunciar o corte, Gustavo deixará de receber cerca de R$ 5 mil reais, pois como foi dito nos microfones do programa, seu salário embora sendo de R$ 12 mil reais, dele é descontado mensalmente, em vista de empréstimo consignado, algo em torno R$ 7 mil reais. Na ocasião o prefeito disse que por conta de não poder exercer a advocacia, já que é advogado, vai viver do projeto de ovinocultura que possui na fazenda Ilha Grande, deste município.

Os cortes por sua vez não atingem os secretários, que estão sem receberem há cerca de cinco ou seis meses, inclusive sua esposa, e sendo assim não há o que cortar. Se fosse o caso, seriamos secretários penalizados duas vezes, uma pela falta de pagamento do salário e outra pelo corte naquilo que não recebem.

Para anunciar a medida, o prefeito reuniu-se com os secretários e funcionários com funções gratificadas, na ocasião Gustavo igualmente anunciou que os contratos de diversas pessoas serão rescindidos, o que também não altera muita coisa já que todos também estão sem receber, deles inclusive com nove meses de atraso.

Os cortes da forma anunciados foram superficiais e acontecem de forma muito pontual, pois se de fato o prefeito pretende economizar deve ele verificar e trazer para a realidade os valores dos contratos celebrados para a limpeza pública, que, aliás, é precário e deficiente, verificar também o contrato referente às hospedagens dos doentes na capital do estado, os valores dos serviços de comunicação, redução drástica no uso de combustíveis limitando este ao essencial, acabar com as diárias, devolver aos órgãos de origem as pessoas que estão à disposição da prefeitura com ônus para esta, cortar os gastos com publicidade, além de chamar de volta aos seus locais de trabalho todos os funcionários que sem razão estão espalhados por diversos órgãos que nada tem a ver com a prefeitura. Igualmente deve o prefeito imediatamente cortar toda renuncia de receita existente, como é o caso da isenção do ISS que debilita profundamente os cofres do município, mas que de concreto nada traz para os munícipes.

Outro exemplo que talvez pudesse em parte ter ajudado a redimir Belém da crise, crise que é bastante complexa e diferenciada dos demais municípios da região, é o próprio exemplo que vem do prefeito quando disse que sem seu salário vai viver da ovinocultura.

Pois bem, se o prefeito tivesse compartilhado com os criadores do município a idéia que teve para si no que concerne a criação de ovelhas, ou bodes, muito outros criadores poderiam também estar vivenciando dias melhores, mas não, a secretaria de agricultura foi entregue ao abandando, funcionou mais em troca de apoio político, e hoje quem servia a ela está servindo a Floresta, município que somente através da COOPERCAPRI revende ao estado de Pernambuco para a merenda escolar algo em torno de 5 mil quilos ao mês de carnes de caprinos e ovinos, o que representa uma injeção anual na economia local de valores na ordem de R$ 8 milhões, importância que se distribuída entre dois mil criadores gera para cada um uma receita anual de 4 mil reais, mas não, se quer temos secretário de agricultura e tudo decorre segundo o prefeito “com o fim de economizar”, economia que não tem qualquer sentido, que não tem lógica  já que amarra o fortalecimento da agricultura e o crescimento do rebanho animal, atividades que deveriam servir como o ponto indutor do progresso, da geração de emprego e da renda.

Pelo visto então a crise não é de hoje e como tal não é culpa exclusiva do momento que passa a nação brasileira, mas sim do próprio governo Gustavo Caribé que não cuidou bem do município e de suas economias, pois ao longo do seu governo o que se mais viu foi o desperdício incomum de receitas, o excesso de contratados sem levar em consideração o concurso anterior,extrapolando assim o limite prudencial de 54% estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para as despesas com a folha de pagamentos, e isto acontecendo mesmo com TCE recomendando a cada ano o seu efetivo controle.

Como resultado de tudo, o rombo, uma conta enorme para o povo pagar com mais sacrifícios, com mais dificuldades serem encontradas nos serviços públicos que precariamente são oferecidos e no final quem mais sofre são os que menos devem, no caso, a imensa população belemita que nada tem a ver com isto.

Escrito por Tadeu Sá.

Atolada em dívidas, prefeitura tenta respirar através de cortes promovidos pelo prefeito Gustavo Caribé. Isto acontece pela primeira vez com o município.

Visando reivindicar seus direitos, Agentes de Saúde de Belém do São Francisco, foram para ruas não para comemorar o dia que nacionalmente lhes é dedicado, nem para trabalharem, mas para protestarem, pois segundo alegam não há o que comemorar, haja vista que a classe enfrenta enormes dificuldades no seu trabalho.

Os problemas segundo os agentes são diversos e vão desde a não implantação da insalubridade, passando pela questão da locomoção já que por não possuírem transportes para suas locomoções terminam locando motos com diária na razão de R$ 50, o dia e quando chega no final do mês muitos deles não fica com quase nada dos seus rendimentos.

Além destes problemas, a dificuldade para chegar aos locais mais distantes, principalmente as ilhas, é enorme, também reclamam do plano de cargos e salários, falta de concurso público para preenchimento das vagas existentes já que há inúmeras áreas descobertas, falta de material didático, fardamento e até protetor solar falta, pondo desta forma em risco a saúde dos agentes que se expõem em demasia ao sol.

O protesto iniciou-se na sede da associação que fica localizada na avenida Cel. Caribé, defronte a secretaria de saúde, mas logo ganhou as ruas, passando pela para a prefeitura, mas ninguém apareceu para recebê-los. Da prefeitura, todos portando cartazes com suas reivindicações seguiram para o coreto da Cel. Jerônimo Pires, local onde diversos discursos em favor da categoria aconteceram.

O Blog esteve na associação dos agentes de saúde e lá em conversas com eles pode verificar o que de fato acontece, muita dificuldade para o exercido de uma profissão que é de suma importância para a população, de forma que faz um apelo aos vereadores que ficam bem a frente da associação, para verificarem o que acontece e com isso intercederem junto ao prefeito para o atendimento naquilo que é necessário e de urgência.

Escrito por Tadeu Sá.

Da esquerda para a direita, Cirlei Carvalho, Cilene Carvalho e seu esposo Vavá Araquãn, deputado e presidente do PSDB estadual, Antônio Moraes, Rogério Carlos, vereador Vandinho Marcula, e o filho de Rogério.

Quem reuniu sua militância política, na sexta feira passada, dia 26, foi o diretório do PSBD – Partido da Social Democracia Brasileira, de Belém do São Francisco, ocasião em que foram apresentados os nomes daqueles que formam a cúpula partidária no município, o funcionário público municipal, Rogerio Gomes de Carvalho, como Presidente, além de Vavá Araquãn, sua esposa Cilene e Cirley Carvalho como membros.

O encontro aconteceu na Câmara de vereadores e além dos dirigentes do partido, estiveram presentes o novo presidente do PSD do município, o professor Licínio Lustosa, o presidente do PMDB, advogado Tadeu Sá, o presidente do PTB, vereador Vandinho Marcula, o presidente do PTC, vereador Henrique Marcula, lideranças do PSB, como o empresário Gilmar Freire, bem como o prefeito de Macaparana, Paulo Barbosa, O ex-deputado Aníbal Caribé, a vereadora Aurora Guedes e diversos ex-vereadores, também se fizeram presentes.

Durante o evento foram proferidas diversas palestrase dentre os palestrantes, o professor,Hélio Roberto, que é secretário municipal de Educação, Claudinei Santos, radialista e publicitário e o presidente do PSDB estadual, deputado Antônio Moraes, que falou sobre a reforma política em andamento no Congresso Nacional.

Durante o encontro o que mais chamou atenção foi quando o deputado, Antônio Moraes, ao finalizar sua explanação, disse que na plateia se encontrava o prefeito do município de Macaparana, Paulo Barbosa, o qual é de origem familiar humilde e sem tradição política,inclusive quando se elegeu era motorista da ambulância da prefeitura, mas que hoje realiza uma administração bastante profícua, não deixa os salários atrasar e as obras no município andam, momento em que convidou os presentes para conhecer a sua terra, que para o deputado, que possuí cinco mandatos legislativos, “é muito bonita e limpa”.

Neste momento o advogado Tadeu Sá, pediu a palavra e disse que a terra do prefeito Paulo Barbosa era distante, e melhor seria que ele viesse a Belém para ensinar como se paga os salários em dia e como faz para as obras andarem, sendo que em seguida Tadeu Sá pediu a mesa que convidasse o prefeito para explicar a todos o seu modo de administrar, o que aconteceu, sendo que o politico ratificou o que o deputado havia dito, e afirmou:: “Só faço o que posso e faço com muita responsabilidade, todos meus compromissos financeiros estão em ordem e pago em dia os salários dos servidores, bem como as demandas necessárias ao atendimento da população”.

“De agricultor a motorista de ambulância e dai para prefeito que cumpre o seu dever e paga os funcionários e prestadores de serviços em dia. Um belo exemplo que precisa ser seguido por muitos”.

“De agricultor a motorista de ambulância e dai para prefeito que cumpre o seu dever e paga os funcionários e prestadores de serviços em dia. Um belo exemplo que precisa ser seguido por muitos”.

Perguntado pelo radialista Claudinei Santos, se teria gastado muito dinheiro para se eleger, disse que não: “Que era agricultor e na ocasião era motorista da ambulância e não possuía condições para gastar. Durante a campanha me pediram para encomendar uma pesquisa, ou que eu pedisse ao deputado Antônio Moraes, mas eu respondi que não, pois como não tinha recursos, ele já estava ajudando na campanha e eu não iria sacrificá-lo mais ainda”.No fim do discurso o prefeito foi muito aplaudido.(Foto Blog do Didi Galvão).

Junto com diversos parentes, Licínio sai do PT e assina ficha de filiação ao PSD. Na foto acima, da esquerda para a direita, o ex-prefeito Helionaldo Lustosa, a vereadora Ana Magalhães, o professor Licínio, o deputado André de Paula, deputado Rodrigo Novaes, ex-deputado Aníbal Caribé e o vereador Valdir Moreno.

Junto com diversos parentes, Licínio sai do PT e assina ficha de filiação ao PSD. Na foto acima, da esquerda para a direita, o ex-prefeito Helionaldo Lustosa, a vereadora Ana Magalhães, o professor Licínio, o deputado André de Paula, deputado Rodrigo Novaes, ex-deputado Aníbal Caribé e o vereador Valdir Moreno.

Quem também se reuniu na sexta feira passada, foram às lideranças políticas do novo PSD –Partido Social Democrático, do município de Belém do São Francisco, ocasião em que aconteceu a filiação do professor Licínio e algumas lideranças políticas do grupo Lustosa no partido.

O encontro contou com a presença do seu presidente, deputado federal, hoje secretário estadual, André de Paula, além do deputado estadual Rodrigo Novaes. A nova filiação marca mais um partido político na vida da família Lustosa, que antes já passou pela Arena, PDS, PFL, PT e agora no PSD.

O encontro aconteceu na Churrascaria Novo Horizonte e algumas lideranças políticas do município se fizerem presentes, o ex-prefeito Helionaldo Lustosa, os vereadores, Ana Magalhães e Valdir Moreno, bem como alguns militantes do PT, sendo que chamou atenção à ausência do vereador Vavá do Bode que mesmo filiado ao partido não foi convidado para festa, embora tenha o presidente André de Paulo procurado por ele, bem como a ausência do presidente do PT, Kleber Carvalho. Também chamou atenção o fato do ex-deputado Aníbal Caribé, aliado do prefeito Gustavo Caribé, se fazer presente a mesa dos trabalhos, o que não aconteceu com o ex-vereador Joselito Nogueira, companheiro de chapa de Licínio no pleito passado, que mesmo presente não foi convidado para a mesa, o que para alguns representa o fato de que ele não mais será convidado para ser o companheiro de chapa de Licínio. A família se arma com uma chapa puro sangue

Quem também participou do encontro foi o advogado Ronaldo Lustosa, presidente do PFL, que mesmo sendo o articulador mais importante da oposição no que tange ao grupo Lustosa, manteve distante da mesa, mas pelo visto estava contente e feliz como evento.

Após o ato de filiação e discursos, a festança prosseguiu com oferecimento de um jantar aos presentes.

Escrito por Tadeu Sá.

Em entrevista concedida ao programa Espaço Aberto, da Rádio Educadora, o prefeito Gustavo Caribé, ao responder uma das indagações, afirmou que busca sim encontrar um nome que seja candidato a prefeito de consenso, mas logo impôs uma condição, não aceita o nome do professor Licínio, seu adversário no pleito passado, como sendo este candidato.

Essa história de união política não é de hoje, quem bem sabe é o ex-deputado Aníbal Caribé que há muito luta por isso, inclusive noticiou-se recentemente que o nome da união seria o do comerciante Deoclécio, que além de ser Lustosa, é casado com uma prima legítima do próprio Gustavo, e se for assim,os dois grupos políticos, Lustosa e Caribé, que afinal é um só, seriam contemplados com mais um mandato de prefeito e com ele os benefícios que advém do poder, além da perpetuação da família no cargo. Nem Fidel Castro governou tanto assim.

Ocorre que pelo que li e ouvi em duas oportunidades da boca do próprio Deoclécio, ele é completamente avesso á idéia do seu nome, inclusive dias deste se insurgiu contra uma matéria postada no Blog do Didi Galvão, matéria que insinuava que de fato seria ele o candidato, mas Deoclécio,através de nota enviada ao próprio blog, desmentiu a notícia e afirmou que Licínio era candidato.

Não quero dizer que é o caso de Deoclécio, mas em politica “às vezes” é assim, diz não ser, mas dorme sonhando com isto. Em Belém, por exemplo, tem gente que diz que não quer, mas sempre que pode procura saber sobre o processo político, filiações, prazos, etc.

Durante sua fala, Gustavo não informou se a discussão em favor da união será apenas entre sua família e a família Lustosa, ou se ela será ampla, com a participação do povo, que no caso possui os melhores nomes para unir os mais diversos grupos políticos da terra e é isto que Belém precisa.

Se a idéia for esta última será muito bom, o município possui bons quadros para administrar de forma competente, desde que não haja interferência de quem quer que seja, além do que necessita por demais de um prefeito que venha para administrar e não para fazer política pensando em si e nos seus.

O difícil, porém é isto acontecer, Gustavo sabe muito bem o que virá depois do seu mandato, e é por isso que ele não quer que a prefeitura seja administrada por mãos de quem não lhes ouve, e que não faz o que ele bem quer. Eu digo, “contas a serem rejeitadas ou aprovadas pela futura câmara de vereadores”. É ai que reside o problema da união.

Agora uma coisa também é certa. No caso desta união prevalecer apenas entre as duas famílias, ninguém poderá prever como será o nosso o futuro. Os dois grupos gostam e tem enormes apegos aos cargos públicos e pelo que se sabe a prefeitura de hoje não comporta se quer o grupo Caribé, imagine como vai ficar para acomodar aqueles que irão e seu grupo. São dois fardos pesados a carregar e Belém tem que se ver livre disto o quanto antes.

Se for assim será mais uma decisão equivocada, como de sempre, de cima para baixo, razão pela qual deve a classe política que discorda se unir para fazer frente a tudo que virá pela frente, conhecidas formas de administrar de modo incompetente, sem responsabilidade e sem futuro. Isto tem que ser estancado com toda firmeza, ou o contrário, Belém seguirá inevitavelmente rumo ao fundo do poço.

Escrito por Tadeu Sá.

Sem título

Na semana passada, o prefeito de Belém do São Francisco, Gustavo Caribé (PSB), realizou vistoria nas obras de construção da quadra poliesportiva do projeto irrigado de Manga de Baixo, localizado a aproximadamente 15km da sede do município.

Com muita alegria, estamos cumprindo mais um compromisso firmado no decorrer da nossa gestão. Além da pavimentação da vila e entrega de um ônibus zero quilômetro para fazer o transporte escolar dos alunos, agora estamos realizando o grande sonho dos jovens, a construção da quadra“, disse Caribé.

De acordo com o projeto firmado entre o Governo Municipal e a CHESF (Companhia Hidroelétrica do São Francisco), no valor se aproximado de R$140 mil, a quadra contará com iluminação, alambrado e arquibancada. A previsão é que em outubro esteja concluída e entregue a população.

POÇOS ARTESIANOS:

O prefeito também informou que esteve reunido com o governador Paulo Câmara, encontro que aconteceu no Palácio do Governo de Pernambuco, ocasião em que foi anunciada a perfuração de mais 20 poços artesianos no interior do município de Belém do São Francisco. Da reunião também se fizeram presentes os demais prefeitos integrantes do COMSIM (Consórcio dos Municípios do Sertão de Itaparica e Moxotó) e todos eles também foram beneficiados com mais poços artesianos.

Escrito por Tadeu Sá.

Desenvolvido por