Sem título

Se por um lado, no caso a situação, que já tem como certa a candidatura à reeleição de Dr. Neto Lopes, ao cargo de prefeito de Carnaubeira da Penha, e segundo comentários, com Dr. Segundo, na vice, a oposição também não perdeu tempo e anunciou os nomes daqueles que irão para a disputa.

Antes, os comentários davam conta de que a oposição de Carnaubeira da Penha, lançaria o contador, Elísio Soares, irmão do capitão Jackson Soares, mas o rumo mudou, e todos selaram um acordo que indica o médico e ex-prefeito do município, por oito anos, Dr. Manoel José da Silva (PR), como pré-candidato a prefeito e como vice, o índio, Ary Bastos (PMDB).

Aliança formada reúne diversas lideranças políticas da oposição no mesmo palanque, como é o caso do próprio, Manoel José, o ex-prefeito, Tadeu Marcelo, o ex-vereador, Robério Bastos, os irmão, Elisinho Soares e o Capitão Jackson Soares, além do candidato derrotado no pleito passado, Gió Novaes, bem como grande parte dos grupos indígenas, Atikum e Pankará.

Com a decisão a oposição evita o racha que aconteceu na eleição passada, quando três candidatos, Tadeu Marcelo, Giovane Siqueira Novaes (Gió) e Doutor Neto, disputaram o pleito. Na ocasião verificou-se que a soma dos votos dos oposicionistas, Tadeu Marcelo e Gió Novaes, suplantou, Doutor Neto, então opositor, por uma diferença de 164 votos. Se unidos, poderiam ter vencido aquela eleição.

Em que pese toda arrumação política, uma coisa é certa, mesmo com a forte crise econômica que vivenciamos, Dr. Neto, pelo menos de acordo com o Índice Firjam, faz um bom governo, o que não é reconhecido pela oposição que faz fortes críticas a sua gestão.

Para que o leitor possa saber mais sobre os dois candidatos, apresentamos abaixo um quadro comparativo da gestão do então prefeito, Manoel José da Silva, com relação ao governo de Doutor Neto, primeiro ano da administração. Vale frisar que os dados referentes aos anos de 2014, 2015 e 2016, ainda não foram divulgados.

O IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal, é um estudo do Sistema FIRJAN, que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego & renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

Categoria: Sem categoria

Desenvolvido por