Mais uma vez, vereadores governistas desprezam resultado do TCE.

Mais uma vez, vereadores governistas desprezam resultado do TCE.

Ignorando solenemente o Parecer do Tribunal de Contas de Pernambuco, os vereadores de Belém do São Francisco, demonstrando alto saber contábil, desconsideraram em reunião que aconteceu no dia 04, a recomendação do TCE, no caso o parecer ofertado por técnicos do mais alto gabarito que determinava a rejeição das contas do prefeito Gustavo Caribé, exercício 2012. O placar mais uma vez foi de oito votos pela aprovação e três contra.

Antes porém de ser submetido à apreciação pelos vereadores, a prestação de contas foi encaminhada à Comissão de Finanças da Câmara, a qual recomendou que a mesma fosse aprovada e com isso começava aí a desconstituição daquilo que sugeriu o Tribunal. Na Comissão o parecer contou com os votos favoráveis do vereador, Henrique Marcula Lima e seu irmão, Vanderlino Moreno. O voto contrário, foi do vereador oposicionista, Valdir Moreno.

Com o parecer da Comissão da Câmara, as Contas seguiram para apreciação pela integralidade dos vereadores que compõe a casa legislativa local, sendo que após discutirem a matéria, votaram contra a recomendação do TCE, portanto favorável ao prefeito e contra o TCE, os vereadores, Batista Cícero, Aurora Guedes, Vandinho Marcula, Acácio Eufrásio, Antônio de Eurípedes, Henrique Marcula, José Neto e Quincas Valdivino.

O resultado em si surpreendeu, já que os vereadores Acácio Eufrásio e Quincas Valdivino, votaram com os interesses do prefeito e contra a determinação do TCE, isto em face do primeiro ter anunciado dias antes o seu desligamento do PSB, partido do prefeito e dos comentários do próprio Acácio, de que ainda não teria decidido quanto a futura eleição, o que se entende como insatisfação, razão pela qual se esperava que votasse com a determinação do TCE. Já, Quincas Valdivino, foi longe demais, além de romper com o prefeito, anunciou sua ida para o lado de uma das oposições, ou seja, para o lado do pré-candidato, Licínio Lustosa, e passou a tecer violentas críticas ao prefeito, a ponto inclusive de dizer que Gustavo, abandonou o Ibó e região. Afora isto, Quincas ainda teria dito aos quatro cantos que iria se abster de votar nas contas referidas, o que importaria se fosse o caso, em derrota para Gustavo, mas não, Valdivino não cumpriu a promessa e votou de acordo com os ex-colegas, voto este que gerou muitos comentários negativo na cidade. Os votos pela manutenção do Parecer do Tribunal de Contas, foram dos vereadores, Valdir Moreno, Ana Magalhães e Vavá do Bode. Ao votar, Vavá se penitenciou ao dizer que por equívoco, em outras ocasiões votou contra alguns pareceres do Tribunal, mas que agora não, votava contra.

Foto: Isaurino Brasil.

Foto: Isaurino Brasil.

Foto: Isaurino Brasil.

Foto: Isaurino Brasil.

Mesmo Joaquim observando e mostrando os problemas que o Ibó enfrenta, na hora “h” esqueceu tudo, inclusive que hoje é oposição e votou favorável a uma prestação de contas que o TCE recomenda a sua rejeição. Foto: Isaurino Brasil.

Mesmo Joaquim observando e mostrando os problemas que o Ibó enfrenta, na hora “h” esqueceu tudo, inclusive que hoje é oposição e votou favorável a uma prestação de contas que o TCE recomenda a sua rejeição. Foto: Isaurino Brasil.

Com o resultado, e por necessitar o prefeito de oito votos para a aprovação, conseguiu graças aos vereadores do seu grupo e um que agora se apresenta com oposição sem ser, manter a escrita de não ter qualquer das contas do seu governo rejeitadas pela Câmara, mesmo determinando o TCE o contrário. Acontece que mesmo com a vitória, se de fato houver irregularidades, as contas serão enviadas ao Ministério Público, que poderá oferecer denúncia. Nada impede que isto aconteça.

 

 

 

Categoria: Sem categoria

Desenvolvido por