Quem esteve em Belém do São Francisco, para realizar uma reportagem sobre as obras abandonadas da orla da cidade, foi a TV do Grande Rio, afiliada da Rede Globo de Televisão, da cidade de Petrolina, mas que cobre tanto o nosso município, como diversos outros da região do São Francisco, do Araripe e do Sertão Central.

Sob o título, “MORADORES DE BELÉM DO SÃO FRANCISCO RECLAMAM DAS CONDIÇÕES DA ORLA DA CIDADE”, o âncora do jornalismo da referida TV, abre a reportagem, dizendo: “A orla de uma cidade, geralmente é o cartão postal, sim vários municípios que possuem uma orla, pelo menos é um espaço bem preservado onde muita gente se encontra para bater um papo, apreciar as belezas da cidade. Por isso em Belém do São Francisco os moradores ficaram muito felizes quando souberam que a orla da comunidade ia ser reformada, e acreditem, já tem seis anos e os serviços ainda não foram concluídos”.

A seguir, o repórter Edinaldo Blast, responsável pela gravação no local, mostra a precária situação da orla e diz: “O que devia ser um cartão postal, estar assim, com esgoto caindo direto no rio, lixo e mal cheiro”. Logo depois o repórter entrevista a dona de casa, Adriana da Silva, e volta a dizer: “Andando aqui pela orla de Belém vemos que a situação estar bastante complicada, nos deparamos até com um crânio de animal. Segundo os moradores faz tempo que os garis não passam por aqui, pela região da beira rio”.

Esta é a situação da orla de Belém, na parte debaixo. Esgoto cai diretamente no rio, e mais embaixo população vai consumindo.

Esta é a situação da orla de Belém, na parte debaixo. Esgoto cai diretamente no rio, e mais embaixo população vai consumindo.

Prosseguindo, o repórter entrevista uma senhora e o pré-candidato a vereador, Raimundo Souza, e prossegue dizendo: “A placa com as informações sobre a obra não estar mais no local, mas conseguimos com os moradores esta foto. O gasto previsto para a reforma é de quase R$ 600 mil, e o prazo para conclusão era para maio de 2014”.

Sem título

E segue a reportagem: “Outro problema que vem tirando o sono da população é a falta de segurança”. Logo a seguir o repórter entrevista o cidadão Edjovam da Silva, que se identifica como instrutor físico. De volta, o âncora, afirma: “Pois é, seis anos aguardando né? Tem gente ainda que acha absurdo aquelas obras que eram para ficar pronta para a copa e não ficaram pronta. Esta tem seis anos, muito mais. Só para saber como a prefeitura pretende resolver todos estes problemas que agente encontrou na orla da cidade, nós fomos ouvir o prefeito da cidade de Belém do São Francisco, Gustavo Caribé”.

Sem título

O repórter indaga então ao prefeito, o porquê do atraso, e o prefeito Gustavo Caribé, responde: “Nós firmamos um convênio com o governo federal, no Ministério da Integração, com parceria como governo do Estado, através da Secretaria das Cidades. Em 2011 nós firmamos este convênio, a primeira parcela do convênio foi liberada pelo Ministério da Integração em 2013, quando nós podemos então licitar a obra e iniciarmos em dezembro 2013. Nós executamos a primeira parcela que compreende a 50% do valor conveniado e já executamos mais de 90% da contrapartida por parte do governo do Estado, em torno de R$ 160 mil. Nós fizemos a prestação de contas da primeira parcela do governo federal, e estamos com a obra paralisada a quase dois anos, aguardando o governo federal liberar esta segunda parcela prá que a gente possa dentro de máximo de 60 dias, a partir da liberação desta segunda parcela, a gente pode entregar definitivamente essa obra a população belemita”.

GARIS:

Na mesma ocasião o prefeito justificou a redução na quantidade de garis, argumentando: “No início de 2016, nós demos corte grande na limpeza pública do nosso munícipio por questão de contenção de despesas, pelas dificuldades que todos municípios brasileiros tem passado, principalmente os municípios pequenos que dependem de repasses constitucionais, como o ICMS por parte do Estado, e o FPM do governo Federal e a gente tem tentado adequar o município a situação que se encontra”.

ESGOTO CAINDO NO RIO:

Sobre o esgoto que cai diretamente no rio, disse a reportagem que o prefeito afirmou: “Que, há um impasse entre a Prefeitura, Codevasf e Compesa, em relação a responsabilidade por este saneamento. Explicou que boa parte da cidade já é saneada”, disse a reportagem.

Com a resposta, informa a reportagem que a TV do Grande Rio, procurou os órgãos citados, sendo que a Compesa, informou: “Que o sistema de esgotamento sanitário de Belém do São Francisco, não foi repassado para a companhia. Então procuramos a Codesvaf, que nos explicou que executou a obra e fez a entrega, só que a prefeitura não assinou o Termo de Recebimento, dizendo que só vai fazer isto caso a Compesa se comprometa a alterar a rede de esgoto. A companhia de abastecimento não se comprometeu se justificando que o sistema mais antigo que ainda existe na cidade estar defasado”.

SEGURANÇA NA ORLA:

Sobre a falta de segurança na orla, informou o repórter: “A polícia militar disse que são feitas rondas diariamente, principalmente no período noturno, e pediu aos moradores que se perceberem atitudes suspeitas, liguem para a central da polícia (87) 9 98086522

RESPONSABILIDADE:

Como visto, o impasse é sério e prejudica enormemente a população que fica sem ações tão importantes ao seu bem estar, como é o caso do lazer e da preservação do meio ambiente, o que representa além da incompetência, do descaso e do abandono, o retrato próprio da imundície, do lixo, do fedor e até de crânio de animal que ali são jogados. Um absurdo portanto.

Segundo a placa ali então ficada, os recursos que seriam carreados para a construção corresponde a R$ 600 mil, mas o prefeito Gustavo Caribé, além de não detalhar os valores até então recebidos, não apresentou qualquer documento com relação a isto, embora tenha dito que recebeu cerca de 90% do convênio celebrado com o Governo do Estado, ou seja 160 mil reais, o que evidencia que o convênio com o governo Federal teria sido na ordem de R$ 400 mil, e como deste teria recebido a metade, acredita-se que ainda há algo torno de R$ 250 mil reais a receber, uma merreca insignificante, mas que Gustavo, isenta-se da responsabilidade.

CULPA DE TODOS:

A culpa sim é de Gustavo, mas não só dele, também é seus adversários, no caso o grupo Lustosa, pois a obra não representa apenas seis anos de atraso. É que preciso que se diga que ela estar lá, se arrastando há quase 10 anos, pois quem demoliu o que ali existia, foi justamente o ex-prefeito Helionaldo Lustosa, e isto às vésperas da tentativa da sua reeleição, quando com promessas de revitalizar a local, demoliu os canteiros, as calçadas e cortou as Castanholas ali existentes, mas no final nada foi feito, a exceção da destruição. Afora isto, Lustosa cavou e demarcou vários locais para construção de quadras poliesportivas, mais estas no que diz respeito ao seu governo, nunca saíram dos buracos, ou do papel.

Pois bem, seja R$ 250 mil que resta, ou mais, ou menos, o valor é insignificante, tão insignificante, que se a prefeitura não tivesse promovido isenções fiscais inconsequentes, ela mesmo teria concluído a construção. Para se ter uma ideia, o valor que resta é tão ínfimo, que muitos dos fornecedores ou prestadores da prefeitura local possuem contratos que supera em muito estes valores.

Sim, a culpa é de todos, repito, de Gustavo e dos seus adversários temporários, que durante todo este tempo, religiosamente vem todos votando numa cambada de deputados federais despreparados, incompetentes e sem forças se quer para liberar junto ao Ministério da Integração, o pouco dinheiro que resta, e olhe que quem passou boa parte do tempo neste ministério, foi o hoje senador Fernando Bezerra Coelho, cujo filho, também eternamente votado na terra, é hoje Ministro das Minas e Energia e nada fizeram para contornar esta situação. Duvido que se fosse em Petrolina, Floresta, Serra Talhada, e tantos outras municípios deste Pernambuco, a obra já não estivesse concluída.

Na verdade os deputados aqui votados, e olhe que são muitos, pouco importam com nossos problemas. Há deles que se quer lembram da data da nossa emancipação política, mas o povo inconsciente, continua votando neles. O cidadão belemita definitivamente tem que acordar e tomar uma atitude firme e forte contra este tipo de comportamento, não podemos continuar assistindo passivamente a coisas desta natureza, uma orla que se arrasta a quase dez anos e o vergonho descaso para com a rede de esgotamento sanitário, um verdadeiro empurra/empurra, com cada um jogando a culpa no outro e tudo sem qualquer perspectiva de solução.

VEREADORES:

Quem também possui enorme responsabilidade sobre o que acontece, são os ilustres vereadores. Se pensassem mais no povo que dizem representar, deixando de se preocupar com as andanças que o prefeito vem fazendo às ilhas, poderiam sugerir audiências públicas ou mesmo instalando uma CPI com o fim de apurar o que acontece e a sua responsabilidade, depois disso, esclarecido a situação, o resultado seria enviado ao Ministério Público para a adoção das providencias cabíveis. É preciso que se entenda definitivamente que o município é feito por todos e para todos e não para coisas desta natureza.

POR AÍ:

Pois é, enquanto Belém se engasga com migalhas, e diga-se que isto não acontece apenas com a orla, com o esgotamento sanitário, mas também com a uma única Unidade Básica de Saúde que não conseguem terminar, o estádio municipal, as adutoras, as casas do programa “minha casa minha vida”, diversas escolas e algumas outras obras, aí fora as coisas acontecem de forma bastante diferente. Lá elas andam e rios de dinheiro são disponibilizados. No distrito da Barra do Tarrachil, por exemplo, com recursos provenientes do Governo Federal, o município de Chorrochó vem construído a sua orla. No local, em adiantado estado de construção, a implantação do cais, canteiros, meios fios, calçadões e outras edificações que quando pronto deixará o local muito aprazível, e lógico, o povo satisfeito.

Enquanto em Belém obra encontra-se paralisada há dois anos, na Barra do Tarrachil, acontece o contrário, os serviços do cais e da orla seguem.

Enquanto em Belém obra encontra-se paralisada há dois anos, na Barra do Tarrachil, acontece o contrário, os serviços do cais e da orla seguem.

SERRA TALHADA:

Recentemente, o atual Secretário de Transporte de Pernambuco, deputado federal, Sebastião Oliveira, de Serra Talhada, anunciou através da imprensa que sua terra tinha a garantia de um futuro promissor. Ele alocou mais de R$ 3,2 milhões para obras no distrito de Bernardo Vieira, R$ 6,2 milhões, para a nova pista do aeroporto da cidade e R$ 7 milhões para a construção das alças locais no povoado de Varzinha. É dinheiro bastante significativo, para um distrito, um povoado e para um aeroporto. Até hoje, os distritos do Ibó e Riacho Pequeno, aguardam por suas UBS, que embora prometidos há anos, ninguém ver chegar. O mesmo acontece com relação a Belém, ninguém mais fala no seu aeroporto, embora tantos deputados sempre venham sendo votados município.

CABROBÓ:
Sexta-feira, dia 10\06, o governador Paulo Câmara, chega em escola de Cabrobó (PE), para anunciar investimento de 13,1 milhões para implantação de Escola Técnica Estadual no município, a primeira do Sertão do São Francisco.

Sexta-feira, dia 10\06, o governador Paulo Câmara, chega em escola de Cabrobó (PE), para anunciar investimento de 13,1 milhões para implantação de Escola Técnica Estadual no município, a primeira do Sertão do São Francisco.

Em Cabrobó, durante visita que fez na última sexta-feira (10), o governador Paulo Câmara, lançou o edital de licitação que garante a construção da primeira Escola Técnica Estadual do Sertão do São Francisco, um investimento total de R$ 13,1 milhões. É isso aí, Escola Técnica em Floresta, em Cabrobó, mas Belém nada. Em março também deste ano, mais de R$ 1,3 milhão foram disponibilizados pelo governador para obras das vias que formam o trecho conhecido como Perimetral. O município também vem construindo a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA). E Belém?

FLORESTA E OUTROS:

Outro político que também anunciou recursos para sua cidade de Floresta, foi o deputado federal, Kaio Maniçoba, cerca de R$ 8 milhões, com vistas a implantar melhorias em favor da comunidade. Carnaubeira da Penha, também acaba de ganhar o asfalto que ligará a cidade, até Floresta, um trecho de quase 50 quilômetros. O mesmo acontece com o distrito de Conceição das Crioulas, que recebe asfalto ligando a rodovia 316, e daí para Salgueiro. Em Petrolina nem se fala, quase tudo é destinado pelos Coelhos para sua cidade. É assim, nós votamos neles e ele fazem em Petrolina.

Em Belém, tudo acontece de forma contrária. O governador Nilo Coelho, desviou a estrada Belém\Salgueiro, via Riacho Pequeno e implantou o asfalto Salgueiro\Trevo do Ibó, deixando Belém e principalmente o distrito Riacho Pequeno no isolamento. Depois asfaltou de Petrolina até a curva de Riacho Pequeno, sendo que somente anos depois é que este veio chegar a cidade. Por fatos que até hoje não esclarecidos, tiraram a ponte sobre o Rio São Francisco, no trecho Barra do Tarrachil e foram construir na cidade Petrolina. A Suvale, que possuía escritório em Belém, foi extinta, uma fábrica de Óleo e uma Câmara Frigorífica, que propuseram instalar na parte nascente da cidade, também por razões que não se sabe, mesmo com os prédios prontos, não aconteceu. É sempre assim, até quando? Assista a reportagem na integra através do link abaixo.

http://g1.globo.com/pe/petrolina-regiao/grtv-1edicao/videos/t/edicoes/v/moradores-de-belem-do-sao-francisco-reclamam-das-condicoes-da-orla-da-cidade/5079548/

Sem título

O presidente do TRE-PE – Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, Desembargador, Antônio Carlos Alves da Silva, anunciou pessoalmente ao Blog do Tadeu Sá, que o município de Belém do São Francisco e o Termo Eleitoral de Itacuruba, farão parte da próxima etapa da Revisão Biométrica, com previsão para começar ainda esse ano, no mês de novembro ou dezembro, quando ele deverá passar pelo município para ver os locais onde serão instalados os kits da revisão. Antônio Carlos, que recentemente recebeu o Título de Cidadão da nossa terra, é casado com uma belemita, e foi o autor da sugestão para inclusão de Belém no recadastramento biométrico.

A utilização da biometria para o voto, começou a ser usada no Brasil em 2008, e já foi adotada em vários outras cidades pernambucanas. Para isso, o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, está coletando os dados dos eleitores dos dois municípios. O cadastramento biométrico é feito com utilização do chamado “Kit Bio”, composto de dispositivo de captura de fotos, escâner para captura de digitais, maleta de transporte e cenário (mini-estúdio fotográfico).

No último pleito, o voto através da biometria foi usado em 47 municípios do estado, entre eles o Recife. Os municípios que recentemente ingressaram no sistema foram Amaraji, Araçoiaba, Bezerros, Bom Jardim, Bonito, Camocim de São Félix, Glória do Goitá, Iguaraci, Ingazeira, Lajedo, Limoeiro, Nazaré da Mata, Olinda, Passira, Paulista, Petrolina, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, Tacaratu e Vitória de Santo Antão, totalizando assim, 67 cidades. Agora é a vez de Belém, que depois de Petrolina e Tacaratu, é o terceiro município do sertão a receber o sistema.

Nesse processo de revisão, todos os votantes em situação regular precisam comparecer aos cartórios, inclusive os maiores de 70 anos, menores de 16 anos e os analfabetos, que desejem continuar votando. A biometria não tem custo para o eleitor, mas há consequências para quem não fizer. Os eleitores que não realizarem a revisão, dentre várias restrições, ficam impedidos de votar nas eleições seguintes, não podem tomar posse em cargo público, não podem matricular-se em instituições públicas de ensino, ficam com restrição no CPF que impacta na renovação de bolsa-família, impede a concessão de empréstimo bancário e pode ocasionar bloqueio até da conta corrente.

O objetivo da Justiça Eleitoral com a Biometria, é justamente garantir mais ainda segurança e rapidez ao processo eleitoral e com a medida, Belém e Itacuruba, terão seus eleitores apto a utilizar urnas equipadas com identificação biométrica. A liberação é feita na mesa receptora de votos através de equipamento próprio (micro terminal) antes do eleitor entrar na cabine de votação.

Além de presidente do TER\PE, desembargador Antônio Carlos, à direita, é vice-presidente do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais do país, e foi o responsável para implantação da biometria em Belém.

Além de presidente do TER\PE, desembargador Antônio Carlos, à direita, é vice-presidente do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais do país, e responsável pela implantação no final do ano da biometria em Belém.

Sem título

Faleceu no sábado à noite, dia 11, na cidade do Recife, o professor Geraldo Oliveira dos Santos Neves. Geraldo Neves, como era mais conhecido, foi um dos responsáveis pela fundação da Facesf – Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco. O professor faleceu em vista de Acidente Vascular Cerebral. Com o falecimento do mestre, a Facesf, emitiu nota lamentando o ocorrido.

Geraldo Neves, lecionava a cadeira de Introdução ao Direito e possuía um vasto curriculum, foi diretor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), professor de Pós-graduação e Mestrado da UFPE e da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), diretor da Faculdade de Direito do Recife, advogado, procurador do estado de Pernambuco e durante seus 55 anos de vida docente, publicou 26 obras. No momento ocupava a coordenadoria-geral do curso de Direito da Facesf.

Geraldo, foi um cidadão que se dedicou por inteiro para a implantação do curso em nossa cidade, quando praticamente abandonou a capital de Estado e como resultado do seu esforço, mesmo pequena, o MEC convenceu-se da necessidade da instalação do curso, o que aconteceu em julho de 2007.

Anunciado como sendo seu aniversário, o pré-candidato a prefeito Licínio Lustosa (PSD) e seus aliados promoveram na sexta-feira (10), festa dançante com as bandas, Messias Balas, Zé Nilton, os Três do Cariri e Danilo Pernambucano. O evento aconteceu no Club Oásis, tradicional reduto da família Lustosa. E recebeu o nome “Forró dos belemitas”, o primeiro do gênero na nossa cidade.

Sem título

Além dos parabéns, Licínio recebe como presente a adesão de um dos maiores amigos de Gustavo Caribé. Itamar Roriz,e sobrinhos.

Para a festa, uma forte propaganda foi utilizada, sendo que uma das rádios da cidade, no dia do evento, além de realizar uma longa entrevista como o aniversariante e pré-candidato, durante esta muitos eleitores telefonavam para lhes dar os parabéns. Na mesma emissora, insistentes chamadas convocava as pessoas para a festa.

OUTRO LADO:

Com o anuncio  do “Forró do belemita”, a ideia imediatamente contagiou os aliados do pré-candidato a prefeito, Roberval Aguiar, adversário de Lustosa e com isso uma festa que estava programada para o Casarão VM, que é administrado pela tia do pré-candidato a vice-prefeito, Cristiano Marcula, logo foi transformada em contra resposta a Licínio. O evento que contou com o cantor, Leno Ferreira, e era pago, passou a ser gratuita, e como a outra, três cervejas latões de Itaipava, custava apenas R$ 10.00. Para este evento um carro de propaganda volante circulou pelas ruas com o fim de convocar.

IMG-20160611-WA0013

Ao lado da família, na festa, Roberval recebe o apoio de um dos parentes desgarrado

NOITE:

Já a noite, no horário programado para as duas festas, viu-se que um bom número de pessoas atenderam aos chamamentos dos dois grupos políticos, mas muitos deles preferiam se locomover entre uma festa e outra, cujos locais ficam próximos. No início, o evento do professor tinha um número de pessoas ligeiramente maior, mas a partir das duas da madrugada, quando começou o show do cantor Léo Ferreira, as pessoas bateram em retirada para o casarão VM, e deixaram o Oasis Club, praticamente vazio.

Com os dois acontecimentos, uma forma inusitada de fazer pré-campanha eleitoral, pois embora com cantores com cachês significados, o acesso foi gratuito. Já a cerveja latão, que geralmente custa R$ 4,00, 5,00 reais em eventos desta natureza, era vendida por apenas,  R$, 3,33, a unidade. De uma forma ou outra, ambas mostram com bastante exatidão, a prática da velha política: “festa, ao invés de reflexões sobre a responsabilidade do que acontece. É o viva as festas, o resto que se dane.

Após veementes cobranças por parte do Ministério Público, Transparência no governo Gustavo Caribé melhora, e hoje se encontra dentre as melhores de Pernambuco.

Após veementes cobranças por parte do Ministério Público, Transparência no governo Gustavo Caribé melhora, e hoje se encontra dentre as melhores de Pernambuco.

Na semana passada, o Ministério Público Federal (MPF), divulgou pesquisa apontando os dados sobre a transparência dos municípios brasileiros, e listou que milhares deles estão faltando com transparência. De acordo com o Ranking Nacional dos Portais da Transparência, divulgado na quarta-feira (8), a nota geral caiu no Estado de Pernambuco, de 3,8 para 3,6 de dezembro do ano passado até maio deste ano. Vinte e duas cidades do interior levaram zero nesta avaliação.

Considerando o Estado de Pernambuco, o ranking, apontou, Recife como o melhor, seguido de Sertânia, em terceiro, Serra Talhada, em quarto Cabrobó, em quinto, o governo de Pernambuco. Belém situou-se no 16º lugar, com nota que saiu de 4.90, seis meses atrás, para 7.00.

As principais falhas nos municípios com conceitos baixos são a falta de informações sobre receitas e despesas e também sobre contratos. Também não há dados simples em muitos portais, como os horários de funcionamento das Prefeituras. O MPF defende a transparência como forma de combater a corrupção. Veja no gráfico abaixo os municípios com melhores conceitos.

Sem título

SERTÃO:

No sertão do Estado, mais especificamente nas regiões de Itaparica, Sertão do São Francisco, Sertão Central e Sertão do Araripe, o ranking da transparência pontuou pela ordem, os seguinte municípios: 1º. Cabrobó, 2º. Petrolina, 3º Parnamirim, 4º Belém do São Francisco, 5º Terra Nova, 6º Santa Maria da Boa Vista, 7º Santa Filomena, 8ª Araripina, 9º Dormentes, 10º Ouricuri, 11º Lagoa Grande, 12º Cedro, 13º. Floresta, 14º Tacaratu, 15º Orocó, 16º Salgueiro, 17º Serrita, 18º Trindade, 19º Afrânio, 20º Santa Cruz, 21º Moreilândia, 22º Itacuruba, 23º Jatobá, 24º São José do Belmonte, 25º Verdejante, 26º Ipubi, 27º Bodocó, 28º Petrolândia, 29º Exu, 30º Carnaubeira da Penha, 31º Granito e 32º Mirandiba.

Sem título

O empresário Paulo Dantas, Diretor-Presidente do grupo Agrodan – Agropecuária Roriz Dantas, a maior produtora de manga da região, recebeu na semana passada, da Câmara de Vereadores de Abaré, a honrosa menção de ser seu mais novo filho. A concessão do Título de Cidadão, foi de autoria da vereadora, Carl Pires, filha da ex-prefeita Eulina Teixeira, e o homenageado se disse muito lisonjeado com a concessão

Durante seu discurso de agradecimento, Paulo falou do carinho que tinha para com o município, e afirmou que se sentia feliz, pelo fato da Agrodan, ser a maior geradora de empregos no município, chegando a 700 pessoas no pico da safra de manga.

Afora Paulo Dantas, outro belemita que também recebeu o título de cidadão, foi o senhor Carlos Teixeira, pai da vereadora Carol Pires, bem como o médico, Hildo Diniz e outros.

Sem-título214

Se tem uma coisa que não falta assunto, é o lixo que se acumulada nas ruas da outrora limpa cidade de Belém do São Francisco. Como os moradores não tem a quem recorrer, já que a situação se torna difícil com a proliferação de sapos, cobras, ratos e outros animais peçonhentos, as pessoas desavisadas colocam fogo e com isso a fumaça invade as casas, causando enormes transtornos, especialmente as crianças, idosos e pessoas com problemas respiratórios.

Um destes casos aconteceu no correr da semana passada, num dos cruzamentos de ruas do bairro Novo Horizonte, e a situação chegou a preocupar mais ainda, pois segundo os moradores, as chamas alcançaram uma certa altura, chegando inclusive bem próximo da rede energia, o que pode provocar incêndios, sem falar nos ricos de queimaduras para as pessoas. O fogo ou mesmo o excesso de calor danificam os cabos e as estruturas elétricas, causam curto-circuito e interrompem o fornecimento de energia.

Por conta desta situação, os moradores de alguns locais, como é o caso daqueles que residem na Rua Vereador Eurípedes Carvalho, que fica bem próximo de onde aconteceu a queimada, dizem que não conseguem dormir direito, pois um lixão de grandes proporções encontra-se encravado na rua, bem próximo das casas e por isso ficam todos preocupados, temendo que que alguém venha por fogo, o que pode colocar em risco a vida das pessoas. Por tais razões, os moradores fazem um apelo a prefeitura para que com urgência, proceda com a retira do lixo do local.

IMG00575

Mesmo morando na cidade de Belém do São Francisco, a rua Vereador Eurípedes Carvalho, mais parece uma selva de mato, lixo e animais peçonhentos.

Mesmo sendo na cidade de Belém do São Francisco,  a rua Vereador Eurípedes Carvalho, mais parece uma selva de mato, lixo e animais peçonhentos.

 

A foto acima representa o que havia, as debaixo apresenta a realidade de hoje. As pessoas do local agradecem a prefeitura.

A foto acima representa o que havia, as debaixo apresentam a realidade de hoje. As pessoas do local agradecem a prefeitura.

Depois que uma jovem cidadã reclamou através das redes sociais, e do Blog do Tadeu Sá, também relatar a situação da retirada de lixo da rodoviária e colocação deste em local bem próximo das casas residências, a prefeitura de Belém do São Francisco, reparou o mal feito e retirou o lixo do local, o que aconteceu para o bem da comunidade que reside nas imediações do Terminal.

Assim como se exercita a crítica, o Blog do Tadeu Sá, também elogia quando necessário e neste caso a prefeitura agiu com presteza e responsabilidade, pois a situação ali verificada afrontava os moradores do local, principalmente os proprietários dos imóveis ali existentes que com responsabilidades pagam seus tributos em dia com o fim de ter melhores condições de moradia e consequentemente dignidade. A medida se espera, tenha prosseguimento em outras localidades da cidade. São locais que a população espera a algum tempo por um pouco mais de limpeza, mais nada tem sido feito.

Agora também é verdade que não procede a alegação da prefeitura de que a cidadã denunciou sem conhecimento de causa e sem cunhos de veracidade, pois a foto é bastante clara quanto ao assunto. Se o local onde foi colocado o lixo pertence ao terminal de passageiros, não interessa, local de lixo é no lixo, e não precisa dizer mais nada. Além do mais, se o lixo não incomodava, é de indagar-se então, o porquê da retirada do mesmo por parte da prefeitura?

Sem título

Se andar na feira, faz a alegria e o prazer de muitos, imagine no meio desta um autêntico forró Pé de Serra, com sanfona, zabumba, triângulo, e muita música junina. Como não pode faltar, muita comida típica e aqui acolá um gole de aguardente de cana. Este é o Forró na Feira de Itacuruba. Vale apena conhecer.

A alegria e muita criatividade marcaram o São João de Itacuruba. Na cidade, a prefeitura garante agenda cheia nos finais de semana e desde o início do mês o tradicional ‘Forró na Feira’ vem brilhantemente acontecendo.

O evento é um sucesso de animação. No dia de ontem, domingo 12, a festa continuou com atrações musicais, como o Forró Futuca e Veinho do Acordeon. A festa acontece aos domingo, dia da feira, e sempre tem início a partir das 09:00, com apresentações de diversas manifestações culturais, como quadrilhas, grupo de xaxado. Ontem foi o lançamento do Livro Cruzes do Cangaço, dos autores Marcos de Carmelita e Cristiano Ferraz.

Usamos de muita criatividade para realizar o nosso São João, até porque, a maioria dos municípios, atualmente, passam por crise financeira. Isso significa menos recursos para investir em comemorações como essas, mas com todas as limitações, conseguimos realizar no ano passado um excelente São João, não faltou gente e animação e isto vai se repetir mais uma vez”, disse o prefeito Gustavo Cabral.

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Uma Medida Cautelar, expedida pelo conselheiro Ranilson Ramos e homologada na quinta-feira (26) pela Primeira Câmara do Tribunal de Contas, determinou a suspensão de todos e quaisquer atos relativos ao edital de seleção pública nº 01/2016, realizado pelo Consórcio dos Municípios do Sertão de Itaparica e Moxotó – COMSIM.

O processo licitatório (nº 05/2016) previa a contratação de entidades sem fins lucrativos, como Organizações Sociais, para gerenciar e operacionalizar o sistema de saúde dos municípios que fazem parte do consórcio, com um custo anual de R$ 17 milhões.

IRREGULARIDADES – A Medida Cautelar foi sugerida pela equipe do Núcleo de Auditorias Especializadas do TCE, após análise do edital de seleção pública que apontou diversas inconsistências no processo como, basear a seleção pública em leis que não se prestam para a qualificação de Organização Social no âmbito do município; omitir garantia contratual; deixar de informar nomes do gestor e fiscal do contrato e permitir pagamento antecipado de despesa, sendo esta a mais grave irregularidade considerada pelo conselheiro Ranilson Ramos, relator do processo 1604265-7, e que levou à suspensão da licitação.

Há uma tentativa de terceirizar os serviços de atenção básica de saúde nesses municípios“, afirmou o conselheiro durante leitura do relatório na Primeira Câmara. “E a possibilidade de se fazer o pagamento antecipado das despesas sugere que o interesse do consórcio não era puramente o de melhorar os serviços de saúde prestados à população”, disse ele.

A Medida Cautelar recebeu a aprovação unânime da Primeira Câmara, em sessão que teve como representante do Ministério Público de Contas a procuradora Germana Laureano.

O voto do relator foi elogiado pelos conselheiros João Campos e Teresa Duere, não só pela importância da decisão, mas também pela sua celeridade, uma vez que a sessão inaugural da seleção pública do Consórcio estava prevista para acontecer na última segunda-feira (23).

Por determinação do Tribunal de Contas, a licitação fica suspensa até que as irregularidades encontradas no edital sejam corrigidas. (Fonte: TCE\PE).

Desenvolvido por