Sem título

Depois de quase seis anos, finalmente o consumidor S.F.S, morador da cidade de Floresta, ver chegar a hora de receber o valor de quase 70 mil reais, da Ford do Brasil. Com a decisão mantida pelo STJ, em Brasília, a Ford finalmente se rende a decisão proferida pelo então Juiz da Comarca de Floresta, Dr. Rildo Vieira, que em data de 27 de julho de 2011, condenou a empresa a pagar ao consumidor requerente a importância de R$ 26.616,18.

Inconformada na ocasião com a sentença, a Ford recorreu ao Tribunal de Justiça de Pernambuco, que manteve integralmente a decisão, e mais uma vez inconformada, apelou ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, que acatou de forma definitiva a decisão da justiça de Floresta.

A condenação aconteceu em vista de “Dano Material”, causado ao autor da ação, S.F.S, pela Ford, pois este ao adquiri junto a empresa um veículo automóvel de carga, modelo FORD \CARGO 1317, na ocasião pela importância de R$ 122.500,00, logo o mencionado caminhão passou a apresentar uma série de defeitos de ordem mecânica e elétrica, e mesmo procurando a concessionária por reiteradas vezes, já que o carro estava no seguro, os defeitos permaneceram, ou seja, não foram corrigidos a contento.

Em favor do autor, o advogado, Tadeu Sá, argumentou, “que no ato da compra o autor foi atendido na concessionária DIVEPE, pelo vendedor, pelo gerente de vendas e pelo gerente geral, e todos diziam na oportunidade que o requerente estava realizando “um grande negócio”, garantindo que o carro era excelente, zero quilômetro e como tal fornecia a garantia de um ano, se comprometendo inclusive, acaso houve alguma pane, atendimento com qualidade e se necessário fosse, substituí o veículo por outro zero quilômetro”.

Prosseguindo, diz Tadeu Sá, “Por conseguinte, dado a extensão dos defeitos em tão curto espaço de tempo, cerca de onze meses depois da aquisição do automóvel e considerando as diversas vezes em que o veículo esteve para concertos, sem que houvesse solução eficaz dos problemas apresentados, não era razoável esperar do autor outra conduta, se não exigir a reparação do dano causado”. Foi o que de fato aconteceu

Para Tadeu Sá, “a condenação da Ford cai como um bom exemplo para todo cidadão que deve cobrar seus direitos juntos aos seus fornecedores. Por outro lado mostra que no direito não tem esta da empresa ser poderosa ou não, multinacional ou não. O que vale mesmo é o direito do cidadão de receber em perfeitas condições de uso o bem adquirido”.

Ainda como resultado da decisão, a empresa tão logo tomou conhecimento da manutenção da decisão por parte do STJ, depositou a importância condenada junto ao Banco do Brasil de Floresta, sendo que ao invés de depositar R$ 26.616,18, teve que depositar R$ 66.039,74, já que a sentença também determinou a correção monetária do valor da condenação, acrescido de juros de mora de 12% ao ano, a contar da data do acontecido.

Um cidadão inconformado com o que acontece na sua rua, escreveu ao Blog do Tadeu Sá, para dizer que a água suja de um esgoto escorre a quase um ano por toda extensão rua Adalberto Alves dos Anjos, no bairro Belo Horizonte, situação que incomoda não apenas os moradores, mas todos que passam pelo local, mas infelizmente nada é feito para resolver a situação.

Sem título

A situação é caótica. Há quase um ano o esgoto estourou na rua e corre a céu aberto, exalando um mau cheiro insuportável, que incomoda, além dos inúmeros buracos e entulhos que impossibilitam a passagem de carros e até de pedestres”, disse o morador que prefere não se identificar.

Sem título

Segundo o cidadão, a situação se agrava mais ainda quando das chuvas. O local fica por trás da escola Alípio Lustosa – Edal, e a situação é tão grave, que as vezes, por não suportar a fedentina horrorosa que convivem, os moradores buscam intervir, desobstruindo a encanação para a passagem da água, e com isso conseguem amenizar um pouco do sofrimento. Além de buscar desentupir a rede de esgoto, alguns bueiros não possuem tampas e os moradores se viram como pode para resolver precariamente o problema.

Sem título

Dado a imundície do lugar, muitas doenças são transmitidas e que por isso já procurei junto com outros moradores, a Secretaria de Obra, mas ficam naquele jogo de empurra\empura, “fale com fulano, fale com sicrano”. A situação é tão feia que uma máquina veio com ajuda de um amigo para limpar o local, mas chegando o operador disse que não podia passar por que atolava”, afirmou o cidadão.

Além do vexame que existe, o cidadão informou que por conta da construção de sua casa no local, perdeu cerca de 1 mil reais em material de construção, sem falar que ao procurar a Compesa para solicitar a ligação da rede d’água, a empresa informou que não tinha como fazer em vista do tal esgoto.

Diante de tal fato, o cidadão pede a prefeitura para que resolva o problema, e ao mesmo tempo indaga, “O que custa para a prefeitura fazer um saneamento de 100 metros. Do jeito que reclamo, posso falar de bem, desde que o problema seja solucionado”. disse o morador.

Há mais de um ano, obra da UBS do Ibó – Pernambuco, foi anunciada, mas não consegue sair do papel.

Há mais de um ano, obra da UBS do Ibó – Pernambuco, foi anunciada, mas não consegue sair do papel.

No distrito do Ibó, é grande o inconformismo dos moradores com o que acontece no local e que por isso inúmeras críticas desabam sobre os prefeitos que governaram o município nos últimos anos.

As críticas que se ouve não fazem referência apenas ao presente, mas de doze anos atrás, já que segundo eles, neste período, nada foi feito no sentido de melhor as condições de vida do lugar. Para muitos é trise ver o Ibó – Bahia crescer, desenvolver e oferecer qualidade decente de vida a sua população e o Ibó – Pernambuco não, só regresso.

Para o cidadão, tudo é atraso, pois para buscarem o que precisam, só restam duas alternativas, ou ir para o Ibó – BA, ou ir para Cabrobó, e mesmo assim sofrem toda sorte de dificuldade, desconfiança e discriminação, já os atendentes sempre dizem frases como, “procure Belém, já que são moradores deste município”. Disse uma jovem que mora no local”.

Revoltado com o que acontece, uma senhora de quase cinquenta anos de idade nos convidou a ir ver a situação da Unidade Básica de Saúde, e lá verifica-se que há apenas uma placa que indica a construção da unidade, com valores orçados em R$ 143.057,26, e que a obra seria entregue quatro meses depois, mas que já decorre mais de um ano da colocação da mencionada placa e nada. O pior segundo eles, é que do outro lado do rio, no Ibó – Bahia, existem duas Unidades completamente equipadas e com médicos que atende diariamente a todos.

Igualmente a senhora, um rapaz de 14 anos, nos arrastou para ver a situação da quadra de esporte, e lá com tristeza, observa-se que encontra-se completamente abandonada, piso quebrado, sem energia, alambrado totalmente arrombado. O mais lamentável é que existe um para ser colocado com o fim de evitar que as bolas continuem caindo nas casas, mas por questões políticas, coisa de adversários, não foi colocado.

Além destas queixas, muitas outras foram ouvidas, como o caso do lixo, da segurança pública, da precariedade na iluminação e muitas outras questões, mas o que chamou atenção mesmo foram as críticas que recaem sobre os vereadores do local. Segundo diversos cidadão, quando o prefeito aparece numa reunião e as pessoas procuram falar sobre os mais diversos acontecimentos, tem vereador que repreende aqueles que buscam cobrar seus direitos.

A insatisfação e tão grande, que uma parcela da comunidade se mobiliza no sentido de arregimentar pessoas, especialmente os mais jovens, com o fim de discutirem e de participarem da próxima eleição, lançando e elegendo um candidato ao cargo de vereador que de fato represente os anseios da comunidade, especialmente os mais jovens, que até para usar um clube social, tem que se dirigirem para Clube Velho Barriga, que fica do outro lado do rio, no estado da Bahia.

Sem título

Uma notícia profundamente triste ecoou durante a segunda (14) e terça feira (15), no município de Abaré e cidades da região, já que no domingo, dia 13, por volta das 17 horas, num trecho da estrada que liga o distrito do Airi, município de Floresta, a cidade de Ibimirim, o cidadão, Expedito Jericó, de 69 anos, foi assaltado e em seguida morto por um dos elementos autores da façanha criminosa.

O comerciante vinha da cidade Abaré, numa Van, com vários passageiros e familiares e seguia com destino a feira de Caruaru, quando ao chegar na altura do KM 30, da PE-390, mais próximo de Ibimirim, foi interceptado por seis elementos fortemente armados e com atitudes violentas, oportunidade em assaltaram os passageiros e a próprio vítima.

Não satisfeitos com a quantia de dinheiro tomada, um dos elementos desconfiou que havia mais dinheiro escondido no interior do veículo, passando a procurar em tudo quanto é local, e após acharem certa quantia, um dos malfeitores, voltou-se contra o motorista e disparou um tiro de espingarda calibre doze.

Agonizando no local, os passageiros ainda tentaram socorrer a vítima para o hospital de Ibimirim mas como o carro também foi avariado por balas disparadas pelos meliantes, não conseguiu seguir viagem, sendo que somente depois de algumas horas foi que o corpo foi encaminhado para o hospital, mas já chegou sem vida.

Sem título

Buscando participar dos esforços para melhorar as condições do município de Itacuruba, a vice-prefeita, Djnanny Freire, viajou na semana passada a capital do Estado e lá foi recebida no gabinete da Secretaria de Planejamento e Gestão, pelo secretário, Danilo Cabral

Durante o encontro, Djnanny discutiu com o secretário, o atual contexto político e econômico do Brasil e de Pernambuco. Na ocasião, também foi tratado a questão do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (FEM) e outras parcerias do Governo do Estado com Itacuruba.

Diante de vários relatos sobre possíveis excessos em atos de pré-campanha, o procurador regional eleitoral em Pernambuco, Antônio Carlos Barreto Campello, enviou ofício para todos os promotores eleitorais no Estado sugerindo a adoção de medidas que possam coibir o abuso de poder econômico e a utilização de meios de publicidade proibidos no período da propaganda eleitoral.

Até o pleito de 2014, a propaganda eleitoral só podia ter início no dia 6 de julho. Os atos de divulgação realizados antes dessa data poderiam ser enquadrados como propaganda antecipada, sujeitando o candidato ao pagamento de multa. Com a Lei 13.165/2015, o início da campanha foi adiado para 15 de agosto. Entretanto, a legislação passou a admitir a veiculação de propaganda antes do dia permitido, desde que não haja pedido explícito de votos.

Para a Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE-PE), a nova lei flexibilizou demais o conceito de propaganda eleitoral extemporânea. Assim, o Ministério Público Eleitoral não tem respaldo para impedir certos atos de pré-campanha, como ações que envolvam a divulgação de pretensa candidatura e a exaltação das qualidades pessoais dos pré-candidatos. “Porém, adotamos uma postura proativa e estamos trabalhando para defender a interpretação da lei de forma mais adequada ao interesse público”, declarou Antônio Carlos.

A PRE-PE entende que certas condutas, como gastos excessivos com publicidade, colocam em risco a igualdade entre os candidatos e podem configurar abuso de poder econômico. Nessa situação, os promotores eleitorais poderão propor ações que podem trazer consequências como inelegibilidade, cassação do registro de candidatura e impugnação do mandato eletivo.

Um segundo ponto enfatizado no ofício é o fato de que meios de publicidade vedados pela legislação eleitoral durante o período regular de propaganda eleitoral não podem ser admitidos nesta fase de pré-campanha. Por exemplo, não se pode utilizar outdoors, nem confeccionar placas com área acima de meio metro quadrado, nem fixar faixas em postes públicos.

Imaginem que um pretenso candidato arrecada recursos de pessoas jurídicas, espalha cavaletes nas calçadas e joga ‘santinhos’ na rua, que são práticas proibidas pela legislação eleitoral. Se ele faz isso antes do dia 15 de agosto, esses atos deveriam ser considerados lícitos somente porque as peças de propaganda não contêm pedido explícito de voto? Evidentemente que não!”, declarou Antônio Carlos.

Escrito por Tadeu Sá.

Mesmo sendo um povo que tem um medo enorme de perseguição e que por isso são arredios a política, que não discute o assunto e pouco se incomoda com o que acontece na terra, inclusive os inúmeros fatos negativos, os  belemitas se inquietam quando os nomes dos possíveis candidatos aos cargos de prefeito e vice demoram a ser lançados. Todos querem saber quem são, mas pouco são aqueles que se dispõe a lutar em defesa de uma candidatura que reveja a conjuntura sofrida que vivemos e a própria a cidadania. Convidar uma pessoas para ser candidato e poder fazer frente por exemplo ao que está aí, nem pensar, para muito é coisa de doido, menos para as famílias, Lustosa, Caribé e Marcula. O trio de ferro da política local.

Diante desta situação, já que o carnaval passou e o segredo que não é segredo, não foi revelado, uma grande parcela destas pessoas não conseguem dormir direito, e acordados, o que mais se comenta em tudo quanto é lugar, é que o candidato é fulano, sicrano, beltrano, ou o diabo quatro, mas todos dentro da mesma coisa. O mesmo também acontece com relação aos candidatos ao cargo de vice e sobre quem vai entrar na dança do pula/pula, ou do muda/muda, embora na conjuntura atual isto pareça impossível pois dois dos candidatos pertencem à mesma família, ou seja, Lustosa, o que significa dizer que mudar não significa mudança, e pela primeira vez nesta condição e na história política do município, mesmo sendo uma das menores famílias a residir na terra, vão ter, segundo estes comentários, dois candidatos ao cargo de prefeito, todos do mesmo sangue, um é primo do outro.

Sem cerimônia, Lustosa pode se dividir mais uma vez e ter dois candidatos a prefeito do município. Para dá a testa, apenas a professora, Socorro Batista.

Sem cerimônia, Lustosa pode se dividir mais uma vez e ter dois candidatos a prefeito do município. Para dá a testa, apenas a professora, Socorro Batista.

Sem título

DECLARADOS:

Pois bem, pelo menos quanto aos candidatos a prefeito de dois dos principais partidos, o PMDB e o PSD, já se tem como certo que os nomes dos que concorreram ao cargo de prefeito, respectivamente são, o da professora Socorro Batista e o também professor, Licínio Lustosa, que no último pleito foi derrotado para o mesmo cargo que pretende disputar.

ESPECULAÇÕES:

As novas especulações no entanto dão conta, principalmente do que se ouve desde a semana passada, que o grupo do prefeito Gustavo Caribé, resolveu abrir o jogo e o nome do comerciante, Deoclécio Lustosa, surge como candidato a prefeito. Deoclécio, além de parente, é casado com uma prima legitima de Gustavo e por via de regra, primo de Licínio. A outra versão que corre de boca a miúda, é que o outro grupo Lustosa, este liderado por Licínio, teria decidido que o candidato a vice-prefeito será o também comerciante, Eduardo Mendonça Coelho. Eduardo, muito embora não conste do seu nome, é Lustosa e Caribé, da mesma forma que os outros.

Acontece que mesmo diante dos fortes comentários, uma liderança do grupo Lustosa, destas que pretende a vaga de vice, nos informou que isto não existe e que na quarta-feira passada, dia 2, todo grupo esteve reunido na Fazenda Pantanal, mas que lá ninguém falou no nome do provável candidato. Pois é, isto pode até ser verdade, mas também pode ser verdade o fato do vice já ter sido escolhido, mas que não foi anunciado para evitar arestas muito cedo, daí a desnecessidade de se falar no assunto, e nesta circunstância então, o vice deve ser mesmo, Eduardo. Eduardo até o momento não desmentiu os comentários.

Sem título Já pela terceira via política, ou seja, pelo lado daqueles que não concordam com a apatia política que Belém vive há décadas, no caso Socorro Batista, possui ela bons nomes para ocupar a vaga, mas segundo informa não tem pressa, a escolha acontecerá sem nenhuma sequela e vai ficando para bem depois. Para Socorro, tudo tem seu tempo. Acontece que diferentemente da professora, os outros dois grupos terão fortes dores de cabeça na construção das suas chapas, muita gente certamente sairá magoado da escolha. Aliás, apenas com as especulações que se ver, já há muita insatisfação, muitos comentários ruidosos surgiram após os nomes que se especulam.

Pois bem, quanto ao vice de Deoclécio, dois nomes foram fortemente esmiunçados durante a semana, inicialmente ventilou-se o nome da advogada, Kely Marcula, sobrinha dos vereadores, Henrique e Vandinho Marcula, e prima do vice, Cristiano. Isto foi o que especulou-se no domingo, dia 28, mas que já a partir da segunda, dia 29, os rumores indicam como postulante, o jovem dentista, Artur Granja Coelho, primo legitimo do prefeito, Gustavo Caribé, ou seja, tudo gravita em torno de uma órbita só, Lustosa e Caribé, e com isso o resultado do futuro, se Socorro não for eleita, será o mesmo de sempre, o que vem acontecendo e não precisa dizer mais nada, basta olhar os governos dos prefeitos, Helionaldo Lustosa e Gustavo Caribé, ambos primos e primos dos candidatos ora comentados, e com isso a manutenção intacta da velha política de João para Mané, de Mané para João, de João, para Mané, de Mané para o primo de João, do primo de João, para o filho de Mané e do filho de Mané, de um jeito ou outro, para um dos primos de João.

Vandinho aguarda Doutor Hugo, que aguarda Gustavo, mas Henrique fica em estado de espera para decidir se será candidato a prefeito, ou se apoia uma das candidaturas postas. Se for, ou indicar o vice, Henrique volta atrás do que vem afirmando a muito tempo.

Vandinho aguarda Doutor Hugo, que aguarda Gustavo, mas Henrique fica em estado de espera para decidir se será candidato a prefeito, ou se apoia uma das candidaturas postas. Se for, ou indicar o vice, Henrique volta atrás do que vem afirmando a muito tempo.

DITO PELO NÃO DITO:

Isto no entanto pouco importa para muitos, inclusive para os vereadores e muitas lideranças política de peso. O que vale mesmo é a manutenção, ou a assunção aos cargos que sem condições a combalida prefeitura ainda oferece, os carros que são locados, os contratos para prestação de serviços e as compras para o governo. Agora é verdade também, que se tudo for confirmado,  as candidaturas de Licínio/Eduardo e Deoclécio Lustosa/Artur, nascem sob uma imensa manta de mentiras, pois tanto Eduardo, como Deoclécio, juravam de pés juntos que não seriam candidatos. Deoclécio, foi mais longe ainda, sem aptidão para a política, após travar em 2008 uma luta titânica com Gustavo para ver quem seria o mais votado para vereador, quando suplantou o hoje prefeito, por uma diferença de 103 votos, após eleito e empossado, deixou o cargo e foi ser Secretário de Educação do governo do primo, Helionaldo Lustosa, mas igualmente ao mandato conquistado, logo largou a pasta e no final não mais postulou qualquer cargo eletivo. Ainda assim, se confirmado os nomes, os vereadores, Batista Cícero, Henrique Marcula e Ana Magalhães, os ex-vereadores, Joselito Nogueira, Roberval Aguiar e o jovem Laércio Dunes, este último apenas sondado pelo vereador, Vavá do Bode, ficaram todos alijados da chapa majoritária, ou seja, da disputa para os cargos de prefeito e vice. Outra coisa também é certo, é que ninguém entende qual foi o critério para escolha de Deoclécio, já que Deoclécio foi opositor de Gustavo, e a escolha acontece em detrimento de aliados de primeira hora, como o próprio Henrique, Roberval, Doutor Hugo, Gilmar Freire e outros.

 

O único que ainda se mantém na briga pela vice é Batista Cícero, tem seis vereadores ao seu lado e muitos correligionários forte, aos demais, o sonho e o propósito de sempre, votar sem ser votado.

O único que ainda se mantém na briga pela vice é Batista Cícero, tem seis vereadores ao seu lado e muitos correligionários forte, aos demais, o sonho e o propósito de sempre, votar sem ser votado.

RACHA:

Pois bem, acontece que uma abelha intimamente ligada ao grupo Caribé, nos informou que o cargo de vice ainda não teria sido definido, que Artur seria apenas especulações. A disputa pelo cargo é feroz dentro do bloco governista, que rachou neste sentido, um grupo só aceita como candidato o vereador Batista Cícero, outro quer que a vaga continue com a família Marcula, que dos oito vereadores do grupo, dois deles pertencem à família. Os outros seis querem Batista, mas justamente por estarem de olho nos mais de mil votos que ele obteve na última eleição. É uma briga grande de seis contra dois que precisa ser esclarecida e finalmente possamos saber quem é o mais forte, seis ou dois.

E se os seis perderem a parada, como ficará Henrique, que durante muito tempo vem afirmando que será candidato a prefeito? Enveredaria pela candidatura anunciada, ou irá fazer como os outros, esquecer o que disse em detrimento do que tanto afirmou e de novo ser, ou indicar o vice com promessas mais uma vez de no futuro ser ele o prefeito. Isto nunca vai acontecer, jamais, em tempo algum, Lustosa e Caribé se disporão a abrirem mão de seus nomes, ou será que Henrique, como forma de dá uma resposta dura a Caribé, vai ser o vice de Licínio? Seria uma espécie de trocar seis por meia dúzia, a mesma coisa.

Acredita-se que não será por aí. Por questões particulares a família Lustosa não abre mão da vice. Eles são assim, quando estão forte não enxergam politicamente os que sempre estão ao seu lado, inclusive na eleição de Helionaldo foi assim, o advogado Henrique Marcula, foi preterido da indicação de vice, e esta situação deixa o grupo Caribé\Lustosa, bastante confortável com relação ao advogado, já que não corre o risco de ver Henrique passar para o lado de um dos seus opositores. Quanto aos demais pretendentes, que continuem sonhando, mesmo sabendo que a música que se canta, “é nós é nós, depois de nós é nós de novo”, e assim sigam todos trilhando o mesmo destino de sempre, os apoiando, sem a menor chance de um dia ser apoiado.

Com relação a Henrique, ou ele segura a candidatura que anunciou, o que é muito difícil, já que agora encontra-se enfraquecido pela união equivocada que celebrou oito anos atrás, pelo apoio incondicional que emprestou a Gustavo votando maciçamente em projetos que penalizam o sofrido povo belemita, pela péssima gestão que faz parte como vice-prefeito, por não possuir um partido forte já que o seu apenas lhes reserva 15 segundo do guia eleitoral, por não mais ter um  grupo político forte nem candidatos a vereadores, de forma que não restará outra alternativa a não ser marchar sem nada com uma das candidaturas existentes, isto até para salvar o próprio mandato de vereador, ou aceitar novamente indicar o de vice, se lhes oferecerem, vice que não lhes serviu para nada. Certo mesmo é que se mantida as chapas anunciadas, Henrique, ficará numa grande encruzilhada política.

A pré-candidatura de Gilmar Freire, lançada desde o início do atual governo de Gustavo Caribé, foi a primeira a sucumbir, não chegou se quer as pesquisas.

A pré-candidatura de Gilmar Freire, lançada desde o início do atual governo de Gustavo Caribé, foi a primeira a sucumbir, não chegou se quer as pesquisas.

Mas política é política e dela se espera tudo, inclusive se sabe que Deoclécio terá que lutar e muito para minar a resistência que encontra dentro do grupo do prefeito, e as pressões de grande parte da  sua da família. Se não conseguir, e se Doutor Alexandre, continuar ouvindo os apelos da família, que não aceitam a sua candidatura, só resta Doutor Hugo, para tentar salvar um barco que se não cuidado, logo vai apresentar sinais de deriva.

Discordância pode fazer com que Hugo, sem muito esforço, ressurgir das cinzas e ser o candidato da situação.

Discordância pode fazer com que Hugo, sem muito esforço, ressurgir das cinzas e ser o candidato da situação.

Especulação ou não, a verdade é que nestes últimos dias muitas coisas aconteceram na política local, inclusive o empresário Gilmar Freire, renunciou ao que nunca foi, candidato a prefeito apoiado pela família Caribé, condição que muitos almejam, mas acreditar que um dia a família que se perpetua no poder venha apoiar um nome que não seja dos seus, é acreditar em papai Noé, em lobisomens, em histórias de ninar, é conversa para boi dormir, e por isso, Belém segue, pelo menos por enquanto, sua via-crúcis, ou seja, segue no caminho da cruz.

Seguindo seus próprios princípios de reconhecer que uma empresa deve ter como lema principal o resultado, mas que esse resultado seja compartilhado também com os funcionários e com a sociedade, além dos sócios investidores, a Agrodan vem amadurecendo já há algum tempo a ideia de realizar um bom trabalho social nas áreas de atuação. A Agrodan, é uma empresa belemita, que pertence à família Roriz\Dantas, sendo hoje a maior empresa brasileira exportadora de manga já que abastece o mercado mundial com cerca de 20% do produto.

Neste sentido foi dado então o pontapé inicial para a implantação de uma Escola Modelo, que será implantada nas proximidades da empresa, na Fazenda Brandões, e visa inicialmente atender crianças na faixa etária de 2 a 10 anos, proporcionando uma Educação Infantil e Ensino Fundamental Anos Iniciais de qualidade, dando assim às crianças da zona rural ribeirinha uma oportunidade de terem uma educação digna, na faixa da idade em que se forma o caráter das pessoas, de modo que elas aprendam, principalmente, a pensar, e, com os conhecimentos adquiridos, poderem se encaminhar na vida e escolher a profissão a seguir.

Para elaborar o Plano de Viabilização do Projeto Educacional da Escola Modelo, onde será definida a política, metodologia/pedagogia e custo de construção e manutenção do educandário, que receberá o nome da professora, Olindina Roriz Dantas, foi contratado profissionais de alto nível, especialistas em educação e da mais alta competência na área de Educação, que são as Professoras Fátima Morais e Aída Monteiro, e a ONG AVSI, através de Iará Simis e Ana Bianchi.

Sem título

A esquerda, Paulo Dantas, traça com especialista projeto da Escola Modelo Olindina Roriz Dantas.

De posse desse plano, a empresa pretende se articular junto aos importadores, fornecedores, bancos, e outros parceiros, para, coordenados pela Agrodan, construir juntos a parte física da escola. Cada ambiente da escola terá então o nome da empresa ou entidade patrocinadora. Da mesma forma, a manutenção da escola terá a participação de todos os parceiros, e também o poder público que deverá dar a sua contribuição, pois é atribuição do mesmo proporcionar uma educação digna às crianças.

Em resumo, a Escola será implantada e mantida com a parceria da Agrodan, empresas privadas, governo, e, através de contratos, serão definidas as participações de cada um, de modo a termos a garantia das fontes de recursos que permitam a sustentabilidade da operação da Escola.

A Escola será de tempo integral, as crianças terão aulas de línguas estrangeiras, informática, meio ambiente, etc, e a gestão da mesma não deverá receber nenhuma influência política, de modo que as alternâncias dos governantes em nada afetem o seu funcionamento. A previsão da empresa é que a escola seja concluída em 2017, ano em que a Agrodan celebrará os 30 anos de existência.

Sem título

Preocupado com o futuro dos jovens, Tadeu Sá, pede que em parceria terrenos baldios sejam transformados em campos e quadras de terra batida.

Aproveitando a passagem pelo município da “Caravana do Esporte e das Artes”, o advogado Tadeu Sá, entregou pessoalmente a coordenação do evento a minuta de um projeto que visa fortalecer a prática do esporte nas pequenas cidades do interior do nordeste, especialmente aquelas mais pobre, que não possuem condições de construir as estruturas necessárias para que seus jovens possam com desenvoltura se enveredarem pela prática das mais variadas modalidades esportivas.

Na minuta, o advogado sugere a instituição para que incentive as autoridades, em especial os prefeitos dos pequenos municípios, como é o de Belém, para que utilizem os espaços dos terrenos baldios existentes nas nossas ruas, implantando pequenos campos ou quadras de esportes de terra batida com o fim de possibilitar que diversas modalidades esportivas, a exemplo do futebol de salão, do futebol de campo, do basquete, vôlei, handebol, futsal, tênis, hóquei sobre grama e tantos outros sejam praticados pelos jovens e adolescentes.

Para Tadeu Sá, “A iniciativa, é de suma e interessante importância, já que o esporte além de incorporar diversas outras atitudes nos praticantes, ainda tira muitos da ociosidade e da miséria social que vivem, fazendo com que os envolvidos ocupem um tempo maior numa tarefa que fortalece a mente, a saúde e dignifica a alma, afastando por consequência do convívio maléfico, do uso do álcool e da droga que se alastra de forma incontida no seio da juventude, e muito mais ainda, formando uma geração futura mais sadia, e quem sabe daí, na descoberta de novos talentos, como é o  caso da própria Fofão, integrante da Caravana do Esporte de das Artes, que mesmo vindo de família humilde, durante o período 1991 a 2008, disputou 340 partidas pela seleção brasileira de vôlei, quando sagrou-se campeã olímpica, além da  presença em cinco edições consecutivas dos Jogos Olímpicos. Fofão é o mais claro exemplo de uma pessoa que mesmo vindo de baixo, através do esporte conseguiu uma vida brilhante, e conquistas importantes que muito orgulha o povo brasileiro”.

No documento, diz Tadeu: “É verdade também que para a implantação do esporte nas condições que deve ser, nossos municípios não possuem condições econômicas para tanto, o que logo inviabiliza o desejo de muitos, principalmente dos governantes das pequenas cidades, especialmente no momento em que atravessamos uma forte crise econômica, mas que isto não deve ser causa que nos impeça de engajar e de encorajar nossos jovens a praticarem as mais diferentes modalidades esportivas, até mesmo o variado esporte náutico, já que estamos ao lado do velho Rio São Francisco e do lago da Usina Hidroelétrica Luiz Gonzaga, o maior de Pernambuco, o segundo maior do nordeste brasileiro”.

Precisamos em razão como dito, do momento, buscar soluções simples e em condições com nossa realidade, precisamos urgentemente envolver nossos jovens com o esporte, mas que isto aconteça sem que as despesas importem em mais sacrifícios para os pequenos municípios e consequentemente para seu povo e neste caso então, podemos utilizar com a mesma determinação e atitude as inúmeras áreas de terrenos baldios que existem em quase todas as pequenas cidades deste país”, diz o advogado.

Para tanto é preciso que se parta da premissa de que é dever das prefeituras cobrar com atitude e rigor a limpeza constante e efetiva das áreas de terras baldias, mas se celebrarmos uma parceria entre os proprietários destas áreas e a prefeitura, pode o município assumir a responsabilidade deste encargo para com isso ocupar temporariamente estes locaisCom a celebração destas parcerias e com as posses provisórias das áreas previamente escolhidas, se encarregaria a prefeitura de limpar os locais e se for o caso, aplainar, colocar barros ou areia e em seguida fazer a demarcação dos pequenos campos ou quadras esportivas de terra batida, ficando a seguir barras ou traves de acordo com o esporte a ser difundido, e ao mesmo tempo também, capacitar um, ou mais funcionários do município com o fim de confeccionar as redes a serem utilizadas durante os jogos, nos torneios municipal e regional, bem como para os concertos das bolas que vierem necessitar. Quanto a estas, seja bolas para o mini futebol de campo, de salão, de basquete, de voleibol, de handebol, raquetes para tênis, que se firme uma parceria com a iniciativa privada e a própria comunidade com o fim de adquiri-las. Depois disto, de forma organizada, com a inclusão da própria sociedade no projeto, quem sabe não possamos aplacar uma das maiores preocupação de Fofão que é justamente a falta de renovação não só no vôlei brasileiro, mas de todo esporte nacional de uma maneira em geral”.

Ao finalizar, o documento diz: “Ainda assim, afora a prática salutar do esporte por parte dos nossos jovens e por que não dizer por todos, ainda viria o asseio das áreas hoje degradados e imundas, o que importaria em satisfação maior ainda para comunidade e menos focos de insetos nocivos à saúde pública, que hoje, infelizmente atormentam a cidadania”.

Sem título

Ao invés de lixo, áreas como estas podem ser transformadas em quadras de terra batida para que jovens, crianças e adultos se sinta atraídos pelo esporte.

Ao invés de lixo, áreas como estas podem ser transformadas em quadras de terra batida para que jovens, crianças e adultos se sinta atraídos pelo esporte.

Mesmo sendo ferrenho opositor do governos petistas, Lula/Dilma e Jacques Wagner/Rui Costa, este último governador da Bahia, o prefeito, Benedito Cruz, de Abaré, no vizinho estrado da Bahia, tem conseguido implantar programas que impressionam e com isso fecha um ciclo de entrega de grandiosas obras de grande cunho social.

Uma destas realizações, trata-se da quadra de esporte o “Josinão”, que além de moderna, apresenta um arrojado projeto arquitetônico, sendo muito bonita e que além da prática esportiva, serve para outras finalidades, como grandes eventos e reuniões.

Sem título

Também a poucos dias atrás, mais precisamente no mês de novembro, o município entregou quatro novas Unidade Básica de Saúde, todas totalmente equipadas, climatizadas e informatizadas, cumprindo com isso a meta existente na programação Anual da Saúde, presente no Plano Municipal de Saúde. Antes o município já havia entregue outras quatro unidades, sendo duas delas no distrito do Ibó. Nestes novos espaços são realizados atendimentos médico, odontológico e de enfermagem e atende uma população de três mil pessoas.

As unidade fazem parte do Programa de Requalificação das Unidades Básicas de Saúde e recebeu recursos do Governo Federal no valor de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), sendo que a prefeitura aplicou R$ 130.000,000 (cento e trinta mil reais) em recursos próprios do Município, somando-se aí um total de R$ 280.000,000 (duzentos e oitenta mil reais) e com isso 100% das Unidades de Saúde tem sede própria.

Posto de Saúde

Só no Ibó, distrito de Abaré, duas Unidades Básica de Saúde para garantir saúde a população. No Ibó – Pernambuco, nada.

A saúde de fato tem sido uma das grandes prioridades, tanto que para qualificar mais ainda os serviços de saúde, a prefeitura também adquiriu com recursos próprio três novas ambulâncias, duas estão à disposição das unidades e outra para o distrito do Ibó, as quais se incorporaram as cinco outras ambulâncias que o município já possui, incluindo ai uma Unidade de Tratamento Intensivo – UTI Móvel e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU que, juntas, prestam assistência qualificada a toda população. Afora as ambulâncias, a prefeitura ainda adquiriu diversos veículos Fiat novos, todos padronizados com cores e logomarca da prefeitura.

Sem título

Mas as ações não param por aí, já que no final do mês, foi inaugurada Creche Pró-infância, professora Jolinda Pereira de Almeida. A obra era um sonho antigo da comunidade e vai beneficiar mais de 200 crianças.

Sem título

A creche Pro-Infância é dotada do que há de melhor em equipamentos de última geração, berçário, parque infantil com diversos brinquedos, salas, jardins, banheiros e cozinha e uma equipe de profissionais capacitados para oferecer carinho, educação, cidadania e segurança aos futuros cidadãos de Abaré. “Aqui esses pequeninos terão oportunidades iguais para crescer e produzir”, disse o prefeito Benedito. Outra coisa que chama atenção, é que a prefeitura consegue honrar o compromisso com a folha dos servidores e paga em dia os salários de todos.

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

É verdade que nem tudo são flores em Abaré e lá, mesmo com tantas ações a oposição bate forte no prefeito e faz cobra mais atitude, sendo que uma das maiores críticas recai justamente sobre entrada e muitas outras ruas da cidade e dos distritos que não são pavimentadas e por isso muita poeira e insatisfação.

O Blog do Tadeu Sá, recentemente encontrou-se com o secretário Delísio, que na verdade é o homem forte do governo e mentor principal das ações enumeradas e na ocasião indagou a ele a razão de tantas realizações, mesmo sendo opositor dos governos estadual e federal e o fato de ser criticado quanto a não pavimentação de muitas ruas, e ele respondeu: “O prefeito Benedito, está de parabéns, pois enquanto a maioria dos municípios brasileiros só falam em crise, em atrasar salários, em cortar os benefícios das pessoas pobres principalmente na área da saúde, demitir médicos, enfermeiros e dentistas por falta de pagamentos de salários, Benedito continua de cabeça erguida pagando aos funcionários públicos, mantendo toda equipe médica e todos os serviços que vem oferecendo a sociedade desde do início do seu governo”.

E disse mais ainda, “O governo do prefeito Benedito, se preocupa em cuidar da vida das pessoas, ele cuida do bem maior que é a saúde, que é pra mim a coisa mais importante na vida de um cidadão “, disse o Secretário, Delísio Oliveira.

Quanto as ruas não calçadas, disse Delísio, que os recursos são limitados e que por isso prefere priorizar o que é mais essencial, investindo na saúde que é o que todos mais precisam, mas que todos os esforços serão feitos no sentido de pavimentar algumas ruas e voltou a frisar mais uma vez, que o compromisso maior, que é o salário dos funcionários estão em dia e assim assim possam nossos servidores atender melhor a população, situação que não acontece com diversos municípios da região.

Desenvolvido por