Sem título

Durante sessão ocorrida no final do mês passado, a Segunda Câmara do TCE julgou regular com ressalvas a auditoria especial (n° 1602122-8) formalizada em decorrência de trabalhos realizados em 2014, na Prefeitura de Cabrobó, para verificar as condições de funcionamento das escolas da rede municipal de ensino.

O processo, relatado pelo conselheiro Marcos Loreto, foi instaurado depois que técnicos do Tribunal vistoriaram 25 das 35 escolas do município e constataram a inadequação das unidades para o atendimento das necessidades dos estudantes. As escolas vistoriadas, segundo o relatório de auditoria, também estão fora dos requisitos definidos como padrões mínimos de infraestrutura, previstos nos Planos Nacional e Municipal de Educação.

Informados das irregularidades, o prefeito Antônio Auricélio Torres e a secretária de Educação, Maria Eliete de Menezes, manifestaram a intenção de formalizar junto ao TCE um Termo de Ajuste de Gestão (TAG) para adoção das medidas necessárias à correção dos problemas, com prazos maiores que os já estabelecidos.

Em seu voto, o conselheiro Marcos Loreto lembrou que “o instituto do TAG vem ganhando importância como forma de atuação dos Tribunais de Contas para fazer cumprir a legislação sem, necessariamente, punir os gestores que agem de boa fé e cometem falhas ou erros”. E destacou também o papel didático dos termos uma vez que, em muitos casos, os gestores públicos “são responsabilizados por falhas em razão da falta de conhecimento das normas que regem a Administração Pública”.

No Termo de Ajuste de Gestão, foi estabelecido um prazo entre 180 e 360 dias, para a prefeitura de Cabrobó tomar providências como a regularização no abastecimento e na oferta de água potável, o reparo de problemas nas instalações elétricas das escolas, a reforma ou adaptação de cozinhas e banheiros, bem como a adequação dos edifícios escolares para o atendimento de alunos com necessidades especiais.

Por fim, ainda foi determinado a recuperação dos muros externos das unidades de ensino, o reparo de cobertas e telhados e de instalações sanitárias, e a implantação de espaços para a área administrativas das unidades e para a prática de esportes, recreação e lazer dos alunos (Fonte: TCE\PE).

Uma boa inciativa do deputado Rodrigo Novaes. Se o povo for inteligente, vai moralizar a farra com o dinheiro público.

Uma boa inciativa do deputado Rodrigo Novaes. Se o povo for inteligente, vai moralizar a farra com o dinheiro público.

Gastos públicos com festas e contratações de artistas e shows deverão ser comunicados à população pernambucana. É o que determina a Lei 15.818/16, sancionada no último dia do mês de maio, pelo governador Paulo Câmara (PSB). Os gestores públicos do estado terão 45 dias para se adequar e cumprir a nova norma, que determina a instalação de placa de 6 metros quadrados no local do evento para explicitar e detalhar os custos do governo estadual, prefeituras ou qualquer agente ou gestor público.

A lei, de autoria do deputado Rodrigo Novaes (PSD), foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco, na quarta-feira, 1º de junho. A ideia é assegurar mais transparência nas contratações de artistas e realização de festas. Em alguns casos, gestores de prefeituras chegavam a gastar fortunas para levar cantores famosos no Brasil, pagando muito dinheiro, enquanto setores essenciais da administração, como saúde e educação, careciam de verbas. A nova legislação determina que a placa contenha o nome da atração e o valor do cachê, o responsável pela estrutura, iluminação, som e palco, além da origem dos recursos utilizados. Quem descumprir a norma, estará sujeito a levar advertência, no primeiro caso, e multa, se for reincidente. O valor pode variar de R$ 1 mil a R$ 100 mil, dependendo da estrutura e do porte do estabelecimento.

Para o deputado Rodrigo Novaes, será uma medida para melhorar a comunicação do poder público com a população, dando transparência ao processo de contratação de eventos. “Queremos afinar a relação entre os gestores e os cidadãos. Despertar a consciência da população”, declarou o parlamentar.

Ele também acredita que a medida vai inibir atitudes de gestores pouco comprometidos com a situação de dificuldade do estado e dos municípios pernambucanos, que atravessam grave crise. “O prefeito vai pensar duas vezes em gastar até R$ 300 mil para fazer uma festa ou contratar um cantor famoso, enquanto as escolas estiverem sem merenda e os hospitais com falta de remédios. Queremos garantir o equilíbrio da gestão e evitar esses gastos públicos que acontecem e poucos tomam conhecimento”, declarou.

Pela primeira vez na história, família Caribé, apoia nome que não pertence a elite política. Roberval, é o candidato indicado por Caribé.

Pela primeira vez na história, família Caribé, apoia nome que não pertence a elite política. Roberval, é o candidato indicado por Caribé.

Depois de quase um mês da desistência do médico Dr. Hugo Carvalho, como pré-candidato a prefeito do município de Belém do São Francisco, no final de semana passada, o prefeito Gustavo Caribé, finalmente anunciou o nome daquele que irá representar o grupo com vistas às próximas eleições. O escolhido trata-se do ex-vereador Roberval, atual secretário de governo de Caribé.

O anúncio enfim, põe um pouco mais de sossego no grupo Caribé, pois ante as sucessivas recusas, muitas gozações surgiam nas esquinas e redes sociais. Agora o que chamou atenção mesmo, é que antes do anúncio e sem as devidas consultas as bases eleitorais, o ex-vereador oposicionista, Joselito Nogueira, já postava na internet o nome de Roberval Aguiar, como pré-candidato a prefeito e o do atual vice, Cristiano Marcula, como pré-candidato a reeleição. Ou seja, Joselito, antecipou aquilo que nem os próprios aliados de Roberval sabiam.

REPERCUSSÃO:

Com os nomes apresentados, foi como se uma bomba tivesse desabado sobre o colo do grupo caribezista, com muitos anunciando rompimentos, mas que depois de serenados os ânimos, alguns mudaram de ideia, tem cargos, empregos ou prestam serviços a prefeitura e poucos querem perder a boquinha. Outros da boca para fora dizem que apoia, mas para dentro não, existe muita mágoa, rancor, ressentimos pelos compromissos não assumidos. Um dos poucos que rompeu com certeza foi o empresário Gilmar Freire, que logo a seguir pediu a esposa que entregasse o cargo e ela assim procedeu.

Depois de tanta celeuma, o empresário Gilmar Freire, embora compadre do prefeito, foi um dos poucos que disse que rompia e cumpriu a palavra. Se vai voltar atrás, é pouco provável.

Depois de tanta celeuma, o empresário Gilmar Freire, embora compadre do prefeito, foi um dos poucos que disse que rompia e cumpriu a palavra. Se vai voltar atrás, é pouco provável.

POSTULANTES:

Com a apresentação dos nomes, Roberval, recebeu um encargo pesado, tão pesado, que já vinha sendo recusado, pois antes mesmo, outros nomes surgiram mas não vingaram. Na ordem, o médico, Alexandre Torres, preferiu ouvir a família e não aceitou, um pouco depois o empresário Gilmar Freire renunciou à pretensão, em seguida veio Deoclécio que desistiu, o escolhido Doutor Hugo topou mas depois de analisar friamente o quadro político largou a disputa, depois surgiu o nome de Fabio Romão, que também não aceitou, surgiu o nome da advogada Fabrícia, que embora lançada por algumas lideranças e vereadores não viu acolhida a sua pretensão, pretensão que era mais do seu esposo, Dr. Ataíde Junior. Outros por questões que não se sabe, também desistiram, como foi o caso dos vereadores Cícero Batista e Henrique Marcula. Tais acontecimentos sem dúvida, leva Roberval ao sacrifício, já que a popularidade do prefeito Gustavo Caribé, não é das melhores, e desta administração, tão criticada e cheia de dificuldades, Roberval participa dela justamente como um dos homens da linha de frente.

Depois de Alexandre Torres, Gilmar Freire, Deoclécio Lustosa, Doutor Hugo, Fabio Romão, Fabrícia, Cícero Batista e Henrique Marcula, finalmente chegou-se ao nome de Roberval Aguiar”. Foi o único depois de oito, a aceitar o desafio.

Depois de Alexandre Torres, Gilmar Freire, Deoclécio Lustosa, Doutor Hugo, Fabio Romão, Fabrícia, Cícero Batista e Henrique Marcula, finalmente chegou-se ao nome de Roberval Aguiar”. Foi o único depois de oito, a aceitar o desafio.

Na ocasião do lançamento, diferentemente do que aconteceu com Doutor Hugo, não houve festa, nem pompa, nem fogos, tudo foi muito comedido, mas desta vez com a divulgação do nome do pré-candidato a vice, que trata-se do atual, Cristiano Marcula, o que também chamou atenção, já que seu nome encontrava resistência quando o pré-candidato era doutor Hugo, inclusive numa reunião, muito se falou sobre sua impopularidade, mas agora não, para Roberval, Cristiano é o nome ideal.

Não aceito como vice de Hugo, Cristiano, se firmou como vice de Roberval e vai para a reeleição. Mas antes o pai, vereador Henrique Marcula, dizia: “Só apoio uma chapa que me ceder a vice”. Foi o que aconteceu.

Não aceito como vice de Hugo, Cristiano, se firmou como vice de Roberval e vai para a reeleição. Mas antes o pai, vereador Henrique Marcula, dizia: “Só apoio uma chapa que me ceder a vice”. Foi o que aconteceu.

POVÃO X REPRESENTATIVIDADE:

Em sendo candidato, Roberval, será o primeiro cidadão vindo de pessoas do povo a receber o apoio da família dominante. Todos sabem que a política de Belém, quando não é um Caribé é um Lustosa, e dias atrás Gustavo, insistiu em lançar um Lustosa, já que indicou Deoclécio, e este maniqueísmo político vem de longe, de muitas décadas atrás, e para isto tanto Roberval, como seu opositor Licínio Lustosa, colaboram de forma incisiva, participativa, afinal um nasceu dentro desta política, o outro serve a ela há mais de trinta anos, já que foi e é secretário, vereador por diversas vezes, além de presidente do legislativo local, e como o adversário, também é responsável pela grave crise que Belém assiste. Os dois nunca  apresentaram projetos que visassem estancar o declínio econômico de um município que é cheio de ilhas, milhares de margens ribeirinhas e água doce com abundância. O Pajeú por exemplo, é um rio temporário, com águas salinizadas, somente no trecho que corta o muncipio de Floresta, ele produz muito mais riquezas que nosso município.

Embora seja uma pessoa do povo, que reside no município, mais precisamente na zona rural, sempre é visto em tudo quanto é lugar e sabe articular bem as palavras, mas Roberval, estar longe de representar a mudança que Belém tanto precisa, e por tudo que foi, e é, possui o mesmo perfil protecionista e conservador de um dos seus opositores, Licínio Lustosa, com quem durante muito tempo viveu junto, inclusive foram secretários de um dos governos do prefeito João Licínio Lustosa. Com João, com que começou na política, na eleição de 2010, juntos deram 785 votos para o deputado estadual, Pedro Serafim Neto.

CRÍTICAS A GUSTAVO:

Acontece que num determinado momento da sua trajetória, Roberval, num raro momento de lucidez política, rompeu com o prefeito Gustavo e passou a fazer fortes críticas a sua primeira gestão, mas isto durou muito pouco e aconteceu justamente quando pretendia disputar a eleição passada de prefeito,  pelo Partido da República. Naquele momento, discursos inflamados e contundentes eram endereçados ao seu padrinho político, Gustavo Caribé, a quem acusava: “De não estar preparado para ser prefeito”, “Que, infringia a lei e cometia crime eleitoral”, “A arrogância dele”, “Que quando ele (Gustavo) chega nos cantos, que ouve meu nome, ele se irrita, fica vermelho, incha. Pode ficar vermelho, azul, amarelo, eu não me incomodo, isto é fruto da imaturidade, da idade, da arrogância, mas eu gosto dele e quando eu digo que gosto dele, é aí que ele se irrita muito mais”.

Sem título

E AGORA ROBERVAL?

Num destes discursos, criticando as inúmeras festas caras que Gustavo faz, relembrou o célebre poeta, Carlos Drummond de Andrade, no caso cantado numa das belas canções de Paulo Diniz, e disparou: “E agora José, a festa acabou”. Nós agora o indagamos, e agora Roberval? E verdade ou mentira. O leitor que responda. (Os diversos discursos na integra, você ouve abaixo. Click na seta)

RENÚNCIA:

Como pré-candidato que foi, já que ficou por aí, fundou o PR, arregimentou alguns candidatos a vereança, escolheu seu candidato a vice, se encontrou diversas vezes com o ex-deputado federal, Inocêncio Oliveira, fez convenção partidária na Câmara de Vereadores e muita gente compareceu, preparou toda documentação necessária aos registros das candidaturas, foi ao cartório eleitoral no último dia para o aludido registro, mas de lá, já à noite, saiu sem dar uma só explicação aos companheiros que lá estavam, sumiu misteriosamente, e somente reapareceu depois de vários dias, mas desta feita num ato político ao lado do prefeito Gustavo Caribé, na ocasião candidato à reeleição, a quem Roberval tanto criticava, mas que logo em seguida se tornou seu poderoso Secretário de Governo.

A desistência precipitada de Roberval, causou muita indignação nos pré-candidatos a vereadores e cidadãos comuns que o apoiavam, alguns deles com lagrimas nos olhos, falavam abertamente do acontecido, para outros, Roberval, ceifou o sonho da conquista de um mandato eletivo, ou de pelo menos poder ser candidato. Para a decisão, Roberval alegou o fato de não ter montado um grupo político forte e de não dispor de recursos financeiros para a campanha. É por isso que Belém estar assim, por conta de gastos de campanhas que depois tem que serem pagos de qualquer forma, com enormes grandes sacrifícios ao seu povo.

SOMBRA:

Quatro anos depois a mesma pré-candidatura volta, Roberval diz sim, depois de muitos dizerem não a Gustavo Caribé, mas ninguém pode esquecer a sombra da renúncia passada, já que seus efeitos ainda perduram. Como quatro anos atrás, não se ver qualquer melhora na condição financeira de Roberval, nem deve ele confiar se na conjuntura atual vai aparecer alguém para injetar dinheiro numa campanha de risco. Por outro lado, se Roberval, na primeira ocasião não conseguiu montar um grupo politicamente forte, mas que era leal, hoje ele  recebe o apoio de um completamente esfacelado, acometido de um desânimo profundo, que desgarrados vão para o salve-se quem puder. e após algumas pesquisas, com mais rompimentos, e a realidade bater, quem sabe se outra renúncia não venha a acontecer para registro da triste história política de Belém.

POLITICA É POLITICA:

Também é preciso que se entenda, que política é política, e muitas eleições tidas como decididas, as vezes acontece o contrário. O mais importante para a disputa, e isto ninguém pode negar, é que ele está preparado como se estivesse esperando a hora de ser convocado para a guerra. Que tem fôlego e disposição para a briga é outra coisa que ninguém pode discutir, mas primeiro Roberval, tem que enfrentar a grande impopularidade de Gustavo Caribé, que pacificar os aliados e principalmente,  alguns familiares que vem criando problemas. No mais, como cidadão, nada pode se dizer dele, é um rapaz de bem, que nunca usou os cargos público em seu favor, nem em favor dos seus familiares, como sempre acontece e esta é a razão do descontentamento de alguns. No mais, ele precisa apenas corrigir e com urgência os seus equívocos políticos, rememorando velhos discursos, pois nestes é que estão a realidade que o povo quer ouvir.

Abaixo, clicando em cada seta de uma vez,  você rever os discursos históricos do pré-candidato a prefeito, Roberval Aguiar.



Foto: Izaurino Brasil.

Foto: Izaurino Brasil.

Chegou ontem a Pernambuco, mais precisamente em Petrolina, a Tocha Olímpica, símbolo representativo dos Jogos Olímpicos, que vem da Grécia e segue em direção ao Rio de Janeiro. De Petrolina ela seguiu para Juazeiro, e de lá voltou para Petrolina, de onde partiu logo cedo para as cidades de Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Orocó e Cabrobó, de onde pulou e passou direto para a cidade baiana de Paulo Afonso.

Com a passagem, significa dizer que ela percorreu todas as cidades da região são franciscana que ficam às margens do velho Chico, mas Belém, Floresta, Petrolândia e Jatobá, todas na região de Itaparica, sequer uma olhadinha, ela passou rápido, como uma flecha, com destino a Bahia.

Quem queria ver este momento impar do esporte mundial, teve que viajar para Cabrobó, onde aconteceu uma grande festa. Lá a Tocha Olímpica passou de mãos em mãos de cabroboenses conhecidos, como a professora Maria José Marinheiro, Dió Lima e Bola Preta. Quando chegou na hora da despedida, a população que lotou a Concha Acústica, emocionada aplaudia a passagem do fogo simbólico, que para muitos, cravou a cidade de Cabrobó, na história dos Jogos Olímpicos, Brasil 2016.

Em Cabrobó, expectativa e alegria de uma multidão que logo cedo se preparou para a passagem pela cidade da Tocha Olímpica. Foto: Didi Galvão.

Acontecimentos como este as vezes nos deixa enormes saudades, ao lembrar que fazíamos parte da região do São Francisco, respeitada e sempre presente nos grandes acontecimentos nacionais. É uma região de homens de pulsos firmes e fortes, que luta com amor e bravura pelo lugar, ao contrário da região que vivemos, Itaparica, criada sem nada e ao arbítrio de uma minoria, sem que ao menos nossa população fosse consultada.

Embora não compartilhasse da forma política como atuavam, devo reconhecer que a região de Itaparica, está longe de ter homens da envergadura de um Nilo Coelho, Osvaldo Coelho e tantos outros, que faziam acontecer, que acontecia mesmo, e que por isso, a região do São Francisco, é hoje uma das mais importantes não só de Pernambuco e do Brasil. É um dos maiores celeiros de frutas do mundo, pois com capricho e altivez, sabem utilizar na agricultura a força das águas do velho Chico, a mesma que passa por aqui, muito pouco utilizada. Confesso, com toda sinceridade, tenho muita saudade do tempo que era beradeiro, mas beradeiro da região do São Francisco (Fotos: Izaurino Brasil\Didi Galvão).

imagem

A Secretaria de Educação de Belém do São Francisco- PE realizou, na última sexta-feira (20), um memorável encontro ao relançar o livro “Sobreviventes“, da escritora belemita, Lourdes Nicácio. O lançamento aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores e dele participaram escritores, poetas, professores e alunos, familiares e amigos da autora, muitos deles residentes em outras cidades, a exemplo de Maria do Amparo, que veio de Petrolina. Amparo, é uma das personagens do livro.

No encontro, o Secretário de Educação do município, prof. Hélio Roberto, ressaltou a cada um dos presentes qualidades que acrescentam cada vez mais valores à história dos belemitas. O hino de Belém foi entoado pelos presentes como se estivessem no momento inicial de sua criação. A mesma força. O mesmo ideal. Respeito. Bravura. Admiração.

Muitos foram os momentos de aplausos. Sortearam-se livros entre os presentes.
A escritora Lourdes Nicácio, coordenou, em Recife, uma campanha de arrecadação de obras de escritores pernambucanos, chegando ao total de 200 exemplares, todos doados às escolas municipais de Belém.

imagem

Trata-se de uma parceria em favor do incentivo à leitura, com a participação dos seguintes autores: Josinaldo Maria da Costa, Bartyra Soares, Lourdes Sarmento, Djanira Silva, Rachel Carrilho, Esther Sterenberg e da própria Lourdes Nicácio.

No lançamento, havia alunos com fardas identificadoras dessas escolas públicas. Todos estavam radiantes. A escritora, sensibilizada, concedeu autógrafos, agradeceu e falou da sua imensa alegria junto aos que representavam e faziam aquela noite de festa. O momento musical ficou por conta do artista belemita João DiCarvalho, que cantou e recitou versos.

imagem

Se tem um município no Estado, em que a escolha do pré-candidato a prefeito pela situação é um grande problema, este município certamente é Floresta, pois tudo indica que o grupo governista, no caso representado pela prefeita Rorró Maniçoba e pelo deputado estadual Rodrigo Novaes, pode romper politicamente, já que cada um apresenta um pré-candidato a prefeito, de forma que um indicado não agrada ao outro e vice-versa. Se romperem, vão prestar um grande serviço ao candidato da família adversária, que tem diversos postulantes, mas que certamente irão se unir e ir para a disputa com o ex-prefeito do município, Ricardo Ferraz, um nome bastante forte.

Sem Obadias (foto ao centro), que é amigo e primo das duas partes, união entre Maniçoba e Novaes fica mais distante.

Sem Obadias (foto ao centro), que é amigo e primo das duas partes, união entre Maniçoba e Novaes fica mais distante.

O impasse tem como causa o fato do deputado Rodrigo Novaes, entender que a sua família já prestou em duas outras ocasiões, apoios incondicionais a Rorró Maniçoba, justamente nas duas últimas eleições, elegendo-a por duas vezes prefeita do município e que agora seria a hora da prefeita retribuir a gentileza, apoiando um nome da família Novaes, mas Rorró, não pensa assim e lançou para a disputa a sua sobrinha, Isabela Maniçoba. Rodrigo, por sua vez lançou o primo Gustavo Novaes. O interessante na disputa é que tanto Isabela, como Gustavo, trazem consigo o sobrenome Ferraz, a primeira é filha do falecido policial Ozires Ferraz, e o segundo é filho do ex-vereador, Silvano Ferraz, neto do comerciante, Jaci de Sá Ferraz.

Rorró quer Isabela, mas Rodrigo quer Gustavo, daí nasce o impasse.

Rorró quer Isabela, mas Rodrigo quer Gustavo, daí nasce o impasse.

SEM ACORDO:

No final de semana que passou, o deputado Rodrigo Novaes, Dário Novaes, esposo da prefeita e pai do deputado federal, Kaio Maniçoba, alguns vereadores e o pré-candidato, Obadias Novaes, estiveram reunidos e nesta ocasião, segundo comentários, o nome de consenso seria o do procurador Obadias Novaes, mas logo depois, em outra reunião, o restante do grupo Maniçoba, não concordou com a sugestão e com isso o processo político voltou à estaca zero, e o pior, o procurador distribuiu uma nota à imprensa desistindo da postulação, o que torna o acordo mais complicado ainda, já que Obadias, é um dos únicos que além de ser muito amigo da família Maniçoba, a quem apoiou desde a primeira hora, é primo do deputado Rodrigo Novaes, e estas condições imaginava-se seriam suficientes para selar a união, mas isto não aconteceu.

Em telefonema, na quarta feita à noite, o próprio Obadias, que já se encontrava a caminho de Maceió, onde trabalha, falou sobre o que aconteceu, e disse que ia enviar uma nota à imprensa esclarecendo o episódio, o que de fato aconteceu, cujo teor a nota reproduz o seguinte: “O processo de escolha do candidato da situação do Poder Executivo Municipal sofreu uma reviravolta. Sempre fui estimulado pela própria prefeita para ser seu possível sucessor, mas não tive o prometido apoio, já que era dado como certo por muitos em razão da boa relação com ela, e por ter sido eleitor de primeira hora de seu filho Kaio Maniçoba, hoje Deputado Federal”.

“Contei com o apoio de meu primo Deputado Rodrigo Novaes (PSD) e dos vereadores Murilo Almeida (PCdoB), Ezio Feitoza (PSB), Guilherme Novaes (PSD), Beto Souza (PSDB), Romualdo Torres (PSDC) e Jarbas Carvalho (PV), também da Diretora da GRE-FLORESTA, Dilma Marques Torres, e ainda contava com a simpatia do Palácio, que conduzia as tratativas em torno de meu nome através do Secretário da Casa Civil”.

“Diante de tudo, agradeço todo o apoio recebido pelas autoridades nominadas, como a todos meus familiares e amigos, e, registro, que vejo com preocupação e cuidado a insatisfação do grupo com a condução da sucessão por parte da chefe do Poder Executivo”.

“Por fim, declaro que marcharei junto com todo o grupo, com Rodrigo Novaes e Gustavo Novaes”. Um grande abraço. OBADIAS NOVAES.

Sem título2

A situação da limpeza pública de Belém do São Francisco é tão incomum, que há deles que apenas é trocado de lugar, ou seja, é retirado de determinado local público e colocado em outro também público.

Por conta desta situação, uma cidadã indignada postou um comentário nas redes socais, dizendo que o lixo recolhido na Terminal Rodoviário de Belém do São Francisco, foi colocado ao lado da própria rodoviária, bem próximo das casas ali existente, situação que segundo a moradora prejudica sensivelmente os moradores.

Na nota, a cidadã, A. J, diz: “Ei seu moço (Z. J), que cuida do Terminal Rodoviário da nossa Belém, lembra da limpeza que fez semana passada ai na rodoviária?? Pois bem eu não me esqueci e sabe porquê? Porque o lixo que você retirou daí, foi jogado ao lado da minha casa isso a mais de uma semana. Gostaria também de lhe informar que do lado de cá mora pessoas, essas casas aqui não são abandonadas, na nossa rua tem várias crianças que brincam na rua, tem idosos que sentam na calçada, tem gestantes e todos com suas contas de IPTU devidamente pagas o que inclui limpeza na nossa rua. Ah, e por favor não queira resolver isso simplesmente tocando fogo, porque essas mesmas pessoas que citei anteriormente também tem problemas respiratórios. Desde já agradeço a sua compreensão”.

É isto, pelo que ver a prefeitura, além de não saber lidar com o lixo da cidade, ainda é incapaz de gerir o seu próprio lixo e com isso quem sai prejudicado é a comunidade e a própria cidade, que por conta desta situação é vista lá fora de forma muito negativa. É por isso, que fazemos um apelo para que a prefeitura resolva a situação e não mais permita que isto volte a aconteçer.

Sem renovação, Câmara não acorda para a realidade e Belém segue sem prumo e sem rumo.

Sem renovação, Câmara não acorda para a realidade e Belém segue sem prumo e sem rumo.

Nem começou a campanha, mas já há pré-candidatos a vereadores se queixando do tratamento que vem recebendo por parte dos seus partidos ou mesmo de seus líderes, embora saibam todos, que em Belém do São Francisco, não há qualquer segredo no fato de que alguns pré-candidatos, destes das duas tradicionais vias políticas do município, serem mais paparicados que outros.

Alguns recebem tratamentos de acordo com o poder de fogo que possui, os votos, outros pelo parentesco com o candidato majoritário, pelo mandato de vereador, outros, no entanto, se impõe pelo bocão e quanto mais exasperado for, quando mais “esculhambar” com os aliados, maior é a consideração, o respeito e o prestigio, pois como resultado, o atendimento aos pedidos mais comuns, como telhas, tijolos, sacos de cimento, mesada de deputado, cestas básicas, bolsa de estudo ou emprego para o filho ou parente, carro locado, gasolina, cirurgias, receitas médicas, remédios, e até grupos musicais para apresentações em aniversários e festas que acontecem na cidade e na zona rual do município. De onde o dinheiro vem? Ninguém sabe, mas se sabe que não são ricos para bancar tantas despesas, tanto que alguns vivem pendurados nos chamados empréstimos consignados.

Também não é segredo que os dois lados políticos, Lustosa e Caribé, costumam formar grandes grupos, com inúmeros candidatos a vereadores, uns bestando em favor dos mais privilegiados, servindo assim de calda para o coeficiente eleitoral que define os eleitos, ou seja, os mais contemplados se elegem às custas dos votos dos menos favorecidos. Na eleição passada, por exemplo, nenhum dos vereadores belemita conseguiu se eleger sem o uso do famigerado coeficiente, e diante disto, pouca renovação acontece nos quadros da câmara. Quase todos são os mesmos de sempre, representantes das mesmas famílias, e se mudou alguém, foi em vista do falecimento de alguns.

O pior de tudo isto, é que os candidatos que perdem, principalmente os da oposição, terminam por ficar devendo no comércio local, e nenhum dos alçados a condição de eleitos, mesmo se beneficiando destes votos, não os ajudam a quitar seus compromissos. Tem deles, coitado, que vive como louco ante o fato de estar a devendo desde a eleição passada, às vezes até quantias irrisórias para os eleitos, mas ninguém ousa socorrê-los, embora esses pedidos sejam implorados a cada momento.

O tamanho de cada grupo varia a cada eleição, é de acordo com a insatisfação do governante. Os não satisfeitos costumam mudar de lado e com isso o grupo de oposição sempre possui uma tamanho maior, bem maior. Por ser maior, um atendimento político eleitoreiro diferenciado tem que acontecer e com isso, sempre mais atenção para uns e outros não, e é ai que reside o problema, muitos pré-candidatos começam a se rebelar, ameaçam desistir da disputa, pois de fato, quem for mais sagaz e esperto tem maior facilidade, quem for mais sensato, vai ficando bem para trás, bestando em favor dos outros.

Os candidatos majoritários, os mesmos de sempre, da mesma oligarquia política, ou seus grandes apoiadores, conscientes desta situação e por falta de maiores condições financeiras, bajulação, ou medo, obviamente que atendem com maior presteza aqueles já ditos, os bocões, os possuidores de mais votos, os que já são, e por ai vai, mas na verdade esta situação vem causando uma ciumeira danada. A ciumeira é tão grande, que além de ter pré-candidato querendo desistir da disputa, outro já fez isto, desistiu porque ao pedir um cargo, logo foi avisado que o cargo é, ou será para outro. Até tem gente se intitulando como futuro secretário disso, ou daquilo, que isto foi prometido, e outros inclusive, brigando por uma diretoria. São as velhas práticas eleitoreiras de sempre, cooptação através de muitas promessas e muitas consciências que se trocam pela realidade.

Foto: Ademir Martins.

Foto: Ademir Martins.

Na madrugada do dia 26, uma carreta transportando milhares de latas e litros de aguardente Pitu, que trafegava no sentido Floresta/Cabrobó, tombou logo após fazer a curva do trevo que fica defronte ao posto Lustosa Lima, e com isso toda mercadoria se espalhou pelo local.

As causas do acidente ninguém sabe, mas felizmente o condutor do veículo nada sofreu. A pista ficou parcialmente obstruída por um bom tempo, já que a retirada da carreta somente aconteceu na manhã seguinte, após a intervenção de um guindaste.

O caso, no entanto, causou satisfação a muitos dos apreciadores do liquido, que com tanta cachaça espalhada pelo chão, aproveitaram para ingerir o produto gratuitamente, de modo que na tarde do dia seguinte ainda tinha muitos bêbados nas imediações do acidente.

Foto: Ademir Martins.

Foto: Ademir Martins.

Sem título2

Descaso. É assim que a população florestana classifica o atendimento da Celpe após a falta de energia que teve início por volta das 18:30 horas da terça (24) até às 11:00, da manhã seguinte de quarta-feira (25). Dia e hora em que a energia foi restabelecida. Ou seja, cerca de 80% da população ficou sem energia elétrica por mais de 16 horas.

A revolta com o acontecido por parte da população é tanta, que até o deputado estadual Rodrigo Novaes (PSD), externou sua indignação na sua página no Facebook, prometendo que iria a tribuna da Assembleia Legislativa, para denunciar o descaso da Celpe para com a cidade de Floresta.

Chove pouco, mas quando chove é sempre assim. Não temos suporte técnico local, e os reparos sempre são feitos sem nenhuma agilidade.  Não aceitamos isso“, disse Rodrigo Novaes. (Fonte: Blog: O Povo com a Notícia)

Desenvolvido por