Mesmo sendo um povo que tem um medo enorme de perseguição e que por isso são arredios a política, que não discute o assunto e pouco se incomoda com o que acontece na terra, inclusive os inúmeros fatos negativos, os  belemitas se inquietam quando os nomes dos possíveis candidatos aos cargos de prefeito e vice demoram a ser lançados. Todos querem saber quem são, mas pouco são aqueles que se dispõe a lutar em defesa de uma candidatura que reveja a conjuntura sofrida que vivemos e a própria a cidadania. Convidar uma pessoas para ser candidato e poder fazer frente por exemplo ao que está aí, nem pensar, para muito é coisa de doido, menos para as famílias, Lustosa, Caribé e Marcula. O trio de ferro da política local.

Diante desta situação, já que o carnaval passou e o segredo que não é segredo, não foi revelado, uma grande parcela destas pessoas não conseguem dormir direito, e acordados, o que mais se comenta em tudo quanto é lugar, é que o candidato é fulano, sicrano, beltrano, ou o diabo quatro, mas todos dentro da mesma coisa. O mesmo também acontece com relação aos candidatos ao cargo de vice e sobre quem vai entrar na dança do pula/pula, ou do muda/muda, embora na conjuntura atual isto pareça impossível pois dois dos candidatos pertencem à mesma família, ou seja, Lustosa, o que significa dizer que mudar não significa mudança, e pela primeira vez nesta condição e na história política do município, mesmo sendo uma das menores famílias a residir na terra, vão ter, segundo estes comentários, dois candidatos ao cargo de prefeito, todos do mesmo sangue, um é primo do outro.

Sem cerimônia, Lustosa pode se dividir mais uma vez e ter dois candidatos a prefeito do município. Para dá a testa, apenas a professora, Socorro Batista.

Sem cerimônia, Lustosa pode se dividir mais uma vez e ter dois candidatos a prefeito do município. Para dá a testa, apenas a professora, Socorro Batista.

Sem título

DECLARADOS:

Pois bem, pelo menos quanto aos candidatos a prefeito de dois dos principais partidos, o PMDB e o PSD, já se tem como certo que os nomes dos que concorreram ao cargo de prefeito, respectivamente são, o da professora Socorro Batista e o também professor, Licínio Lustosa, que no último pleito foi derrotado para o mesmo cargo que pretende disputar.

ESPECULAÇÕES:

As novas especulações no entanto dão conta, principalmente do que se ouve desde a semana passada, que o grupo do prefeito Gustavo Caribé, resolveu abrir o jogo e o nome do comerciante, Deoclécio Lustosa, surge como candidato a prefeito. Deoclécio, além de parente, é casado com uma prima legitima de Gustavo e por via de regra, primo de Licínio. A outra versão que corre de boca a miúda, é que o outro grupo Lustosa, este liderado por Licínio, teria decidido que o candidato a vice-prefeito será o também comerciante, Eduardo Mendonça Coelho. Eduardo, muito embora não conste do seu nome, é Lustosa e Caribé, da mesma forma que os outros.

Acontece que mesmo diante dos fortes comentários, uma liderança do grupo Lustosa, destas que pretende a vaga de vice, nos informou que isto não existe e que na quarta-feira passada, dia 2, todo grupo esteve reunido na Fazenda Pantanal, mas que lá ninguém falou no nome do provável candidato. Pois é, isto pode até ser verdade, mas também pode ser verdade o fato do vice já ter sido escolhido, mas que não foi anunciado para evitar arestas muito cedo, daí a desnecessidade de se falar no assunto, e nesta circunstância então, o vice deve ser mesmo, Eduardo. Eduardo até o momento não desmentiu os comentários.

Sem título Já pela terceira via política, ou seja, pelo lado daqueles que não concordam com a apatia política que Belém vive há décadas, no caso Socorro Batista, possui ela bons nomes para ocupar a vaga, mas segundo informa não tem pressa, a escolha acontecerá sem nenhuma sequela e vai ficando para bem depois. Para Socorro, tudo tem seu tempo. Acontece que diferentemente da professora, os outros dois grupos terão fortes dores de cabeça na construção das suas chapas, muita gente certamente sairá magoado da escolha. Aliás, apenas com as especulações que se ver, já há muita insatisfação, muitos comentários ruidosos surgiram após os nomes que se especulam.

Pois bem, quanto ao vice de Deoclécio, dois nomes foram fortemente esmiunçados durante a semana, inicialmente ventilou-se o nome da advogada, Kely Marcula, sobrinha dos vereadores, Henrique e Vandinho Marcula, e prima do vice, Cristiano. Isto foi o que especulou-se no domingo, dia 28, mas que já a partir da segunda, dia 29, os rumores indicam como postulante, o jovem dentista, Artur Granja Coelho, primo legitimo do prefeito, Gustavo Caribé, ou seja, tudo gravita em torno de uma órbita só, Lustosa e Caribé, e com isso o resultado do futuro, se Socorro não for eleita, será o mesmo de sempre, o que vem acontecendo e não precisa dizer mais nada, basta olhar os governos dos prefeitos, Helionaldo Lustosa e Gustavo Caribé, ambos primos e primos dos candidatos ora comentados, e com isso a manutenção intacta da velha política de João para Mané, de Mané para João, de João, para Mané, de Mané para o primo de João, do primo de João, para o filho de Mané e do filho de Mané, de um jeito ou outro, para um dos primos de João.

Vandinho aguarda Doutor Hugo, que aguarda Gustavo, mas Henrique fica em estado de espera para decidir se será candidato a prefeito, ou se apoia uma das candidaturas postas. Se for, ou indicar o vice, Henrique volta atrás do que vem afirmando a muito tempo.

Vandinho aguarda Doutor Hugo, que aguarda Gustavo, mas Henrique fica em estado de espera para decidir se será candidato a prefeito, ou se apoia uma das candidaturas postas. Se for, ou indicar o vice, Henrique volta atrás do que vem afirmando a muito tempo.

DITO PELO NÃO DITO:

Isto no entanto pouco importa para muitos, inclusive para os vereadores e muitas lideranças política de peso. O que vale mesmo é a manutenção, ou a assunção aos cargos que sem condições a combalida prefeitura ainda oferece, os carros que são locados, os contratos para prestação de serviços e as compras para o governo. Agora é verdade também, que se tudo for confirmado,  as candidaturas de Licínio/Eduardo e Deoclécio Lustosa/Artur, nascem sob uma imensa manta de mentiras, pois tanto Eduardo, como Deoclécio, juravam de pés juntos que não seriam candidatos. Deoclécio, foi mais longe ainda, sem aptidão para a política, após travar em 2008 uma luta titânica com Gustavo para ver quem seria o mais votado para vereador, quando suplantou o hoje prefeito, por uma diferença de 103 votos, após eleito e empossado, deixou o cargo e foi ser Secretário de Educação do governo do primo, Helionaldo Lustosa, mas igualmente ao mandato conquistado, logo largou a pasta e no final não mais postulou qualquer cargo eletivo. Ainda assim, se confirmado os nomes, os vereadores, Batista Cícero, Henrique Marcula e Ana Magalhães, os ex-vereadores, Joselito Nogueira, Roberval Aguiar e o jovem Laércio Dunes, este último apenas sondado pelo vereador, Vavá do Bode, ficaram todos alijados da chapa majoritária, ou seja, da disputa para os cargos de prefeito e vice. Outra coisa também é certo, é que ninguém entende qual foi o critério para escolha de Deoclécio, já que Deoclécio foi opositor de Gustavo, e a escolha acontece em detrimento de aliados de primeira hora, como o próprio Henrique, Roberval, Doutor Hugo, Gilmar Freire e outros.

 

O único que ainda se mantém na briga pela vice é Batista Cícero, tem seis vereadores ao seu lado e muitos correligionários forte, aos demais, o sonho e o propósito de sempre, votar sem ser votado.

O único que ainda se mantém na briga pela vice é Batista Cícero, tem seis vereadores ao seu lado e muitos correligionários forte, aos demais, o sonho e o propósito de sempre, votar sem ser votado.

RACHA:

Pois bem, acontece que uma abelha intimamente ligada ao grupo Caribé, nos informou que o cargo de vice ainda não teria sido definido, que Artur seria apenas especulações. A disputa pelo cargo é feroz dentro do bloco governista, que rachou neste sentido, um grupo só aceita como candidato o vereador Batista Cícero, outro quer que a vaga continue com a família Marcula, que dos oito vereadores do grupo, dois deles pertencem à família. Os outros seis querem Batista, mas justamente por estarem de olho nos mais de mil votos que ele obteve na última eleição. É uma briga grande de seis contra dois que precisa ser esclarecida e finalmente possamos saber quem é o mais forte, seis ou dois.

E se os seis perderem a parada, como ficará Henrique, que durante muito tempo vem afirmando que será candidato a prefeito? Enveredaria pela candidatura anunciada, ou irá fazer como os outros, esquecer o que disse em detrimento do que tanto afirmou e de novo ser, ou indicar o vice com promessas mais uma vez de no futuro ser ele o prefeito. Isto nunca vai acontecer, jamais, em tempo algum, Lustosa e Caribé se disporão a abrirem mão de seus nomes, ou será que Henrique, como forma de dá uma resposta dura a Caribé, vai ser o vice de Licínio? Seria uma espécie de trocar seis por meia dúzia, a mesma coisa.

Acredita-se que não será por aí. Por questões particulares a família Lustosa não abre mão da vice. Eles são assim, quando estão forte não enxergam politicamente os que sempre estão ao seu lado, inclusive na eleição de Helionaldo foi assim, o advogado Henrique Marcula, foi preterido da indicação de vice, e esta situação deixa o grupo Caribé\Lustosa, bastante confortável com relação ao advogado, já que não corre o risco de ver Henrique passar para o lado de um dos seus opositores. Quanto aos demais pretendentes, que continuem sonhando, mesmo sabendo que a música que se canta, “é nós é nós, depois de nós é nós de novo”, e assim sigam todos trilhando o mesmo destino de sempre, os apoiando, sem a menor chance de um dia ser apoiado.

Com relação a Henrique, ou ele segura a candidatura que anunciou, o que é muito difícil, já que agora encontra-se enfraquecido pela união equivocada que celebrou oito anos atrás, pelo apoio incondicional que emprestou a Gustavo votando maciçamente em projetos que penalizam o sofrido povo belemita, pela péssima gestão que faz parte como vice-prefeito, por não possuir um partido forte já que o seu apenas lhes reserva 15 segundo do guia eleitoral, por não mais ter um  grupo político forte nem candidatos a vereadores, de forma que não restará outra alternativa a não ser marchar sem nada com uma das candidaturas existentes, isto até para salvar o próprio mandato de vereador, ou aceitar novamente indicar o de vice, se lhes oferecerem, vice que não lhes serviu para nada. Certo mesmo é que se mantida as chapas anunciadas, Henrique, ficará numa grande encruzilhada política.

A pré-candidatura de Gilmar Freire, lançada desde o início do atual governo de Gustavo Caribé, foi a primeira a sucumbir, não chegou se quer as pesquisas.

A pré-candidatura de Gilmar Freire, lançada desde o início do atual governo de Gustavo Caribé, foi a primeira a sucumbir, não chegou se quer as pesquisas.

Mas política é política e dela se espera tudo, inclusive se sabe que Deoclécio terá que lutar e muito para minar a resistência que encontra dentro do grupo do prefeito, e as pressões de grande parte da  sua da família. Se não conseguir, e se Doutor Alexandre, continuar ouvindo os apelos da família, que não aceitam a sua candidatura, só resta Doutor Hugo, para tentar salvar um barco que se não cuidado, logo vai apresentar sinais de deriva.

Discordância pode fazer com que Hugo, sem muito esforço, ressurgir das cinzas e ser o candidato da situação.

Discordância pode fazer com que Hugo, sem muito esforço, ressurgir das cinzas e ser o candidato da situação.

Especulação ou não, a verdade é que nestes últimos dias muitas coisas aconteceram na política local, inclusive o empresário Gilmar Freire, renunciou ao que nunca foi, candidato a prefeito apoiado pela família Caribé, condição que muitos almejam, mas acreditar que um dia a família que se perpetua no poder venha apoiar um nome que não seja dos seus, é acreditar em papai Noé, em lobisomens, em histórias de ninar, é conversa para boi dormir, e por isso, Belém segue, pelo menos por enquanto, sua via-crúcis, ou seja, segue no caminho da cruz.

Seguindo seus próprios princípios de reconhecer que uma empresa deve ter como lema principal o resultado, mas que esse resultado seja compartilhado também com os funcionários e com a sociedade, além dos sócios investidores, a Agrodan vem amadurecendo já há algum tempo a ideia de realizar um bom trabalho social nas áreas de atuação. A Agrodan, é uma empresa belemita, que pertence à família Roriz\Dantas, sendo hoje a maior empresa brasileira exportadora de manga já que abastece o mercado mundial com cerca de 20% do produto.

Neste sentido foi dado então o pontapé inicial para a implantação de uma Escola Modelo, que será implantada nas proximidades da empresa, na Fazenda Brandões, e visa inicialmente atender crianças na faixa etária de 2 a 10 anos, proporcionando uma Educação Infantil e Ensino Fundamental Anos Iniciais de qualidade, dando assim às crianças da zona rural ribeirinha uma oportunidade de terem uma educação digna, na faixa da idade em que se forma o caráter das pessoas, de modo que elas aprendam, principalmente, a pensar, e, com os conhecimentos adquiridos, poderem se encaminhar na vida e escolher a profissão a seguir.

Para elaborar o Plano de Viabilização do Projeto Educacional da Escola Modelo, onde será definida a política, metodologia/pedagogia e custo de construção e manutenção do educandário, que receberá o nome da professora, Olindina Roriz Dantas, foi contratado profissionais de alto nível, especialistas em educação e da mais alta competência na área de Educação, que são as Professoras Fátima Morais e Aída Monteiro, e a ONG AVSI, através de Iará Simis e Ana Bianchi.

Sem título

A esquerda, Paulo Dantas, traça com especialista projeto da Escola Modelo Olindina Roriz Dantas.

De posse desse plano, a empresa pretende se articular junto aos importadores, fornecedores, bancos, e outros parceiros, para, coordenados pela Agrodan, construir juntos a parte física da escola. Cada ambiente da escola terá então o nome da empresa ou entidade patrocinadora. Da mesma forma, a manutenção da escola terá a participação de todos os parceiros, e também o poder público que deverá dar a sua contribuição, pois é atribuição do mesmo proporcionar uma educação digna às crianças.

Em resumo, a Escola será implantada e mantida com a parceria da Agrodan, empresas privadas, governo, e, através de contratos, serão definidas as participações de cada um, de modo a termos a garantia das fontes de recursos que permitam a sustentabilidade da operação da Escola.

A Escola será de tempo integral, as crianças terão aulas de línguas estrangeiras, informática, meio ambiente, etc, e a gestão da mesma não deverá receber nenhuma influência política, de modo que as alternâncias dos governantes em nada afetem o seu funcionamento. A previsão da empresa é que a escola seja concluída em 2017, ano em que a Agrodan celebrará os 30 anos de existência.

Sem título

Preocupado com o futuro dos jovens, Tadeu Sá, pede que em parceria terrenos baldios sejam transformados em campos e quadras de terra batida.

Aproveitando a passagem pelo município da “Caravana do Esporte e das Artes”, o advogado Tadeu Sá, entregou pessoalmente a coordenação do evento a minuta de um projeto que visa fortalecer a prática do esporte nas pequenas cidades do interior do nordeste, especialmente aquelas mais pobre, que não possuem condições de construir as estruturas necessárias para que seus jovens possam com desenvoltura se enveredarem pela prática das mais variadas modalidades esportivas.

Na minuta, o advogado sugere a instituição para que incentive as autoridades, em especial os prefeitos dos pequenos municípios, como é o de Belém, para que utilizem os espaços dos terrenos baldios existentes nas nossas ruas, implantando pequenos campos ou quadras de esportes de terra batida com o fim de possibilitar que diversas modalidades esportivas, a exemplo do futebol de salão, do futebol de campo, do basquete, vôlei, handebol, futsal, tênis, hóquei sobre grama e tantos outros sejam praticados pelos jovens e adolescentes.

Para Tadeu Sá, “A iniciativa, é de suma e interessante importância, já que o esporte além de incorporar diversas outras atitudes nos praticantes, ainda tira muitos da ociosidade e da miséria social que vivem, fazendo com que os envolvidos ocupem um tempo maior numa tarefa que fortalece a mente, a saúde e dignifica a alma, afastando por consequência do convívio maléfico, do uso do álcool e da droga que se alastra de forma incontida no seio da juventude, e muito mais ainda, formando uma geração futura mais sadia, e quem sabe daí, na descoberta de novos talentos, como é o  caso da própria Fofão, integrante da Caravana do Esporte de das Artes, que mesmo vindo de família humilde, durante o período 1991 a 2008, disputou 340 partidas pela seleção brasileira de vôlei, quando sagrou-se campeã olímpica, além da  presença em cinco edições consecutivas dos Jogos Olímpicos. Fofão é o mais claro exemplo de uma pessoa que mesmo vindo de baixo, através do esporte conseguiu uma vida brilhante, e conquistas importantes que muito orgulha o povo brasileiro”.

No documento, diz Tadeu: “É verdade também que para a implantação do esporte nas condições que deve ser, nossos municípios não possuem condições econômicas para tanto, o que logo inviabiliza o desejo de muitos, principalmente dos governantes das pequenas cidades, especialmente no momento em que atravessamos uma forte crise econômica, mas que isto não deve ser causa que nos impeça de engajar e de encorajar nossos jovens a praticarem as mais diferentes modalidades esportivas, até mesmo o variado esporte náutico, já que estamos ao lado do velho Rio São Francisco e do lago da Usina Hidroelétrica Luiz Gonzaga, o maior de Pernambuco, o segundo maior do nordeste brasileiro”.

Precisamos em razão como dito, do momento, buscar soluções simples e em condições com nossa realidade, precisamos urgentemente envolver nossos jovens com o esporte, mas que isto aconteça sem que as despesas importem em mais sacrifícios para os pequenos municípios e consequentemente para seu povo e neste caso então, podemos utilizar com a mesma determinação e atitude as inúmeras áreas de terrenos baldios que existem em quase todas as pequenas cidades deste país”, diz o advogado.

Para tanto é preciso que se parta da premissa de que é dever das prefeituras cobrar com atitude e rigor a limpeza constante e efetiva das áreas de terras baldias, mas se celebrarmos uma parceria entre os proprietários destas áreas e a prefeitura, pode o município assumir a responsabilidade deste encargo para com isso ocupar temporariamente estes locaisCom a celebração destas parcerias e com as posses provisórias das áreas previamente escolhidas, se encarregaria a prefeitura de limpar os locais e se for o caso, aplainar, colocar barros ou areia e em seguida fazer a demarcação dos pequenos campos ou quadras esportivas de terra batida, ficando a seguir barras ou traves de acordo com o esporte a ser difundido, e ao mesmo tempo também, capacitar um, ou mais funcionários do município com o fim de confeccionar as redes a serem utilizadas durante os jogos, nos torneios municipal e regional, bem como para os concertos das bolas que vierem necessitar. Quanto a estas, seja bolas para o mini futebol de campo, de salão, de basquete, de voleibol, de handebol, raquetes para tênis, que se firme uma parceria com a iniciativa privada e a própria comunidade com o fim de adquiri-las. Depois disto, de forma organizada, com a inclusão da própria sociedade no projeto, quem sabe não possamos aplacar uma das maiores preocupação de Fofão que é justamente a falta de renovação não só no vôlei brasileiro, mas de todo esporte nacional de uma maneira em geral”.

Ao finalizar, o documento diz: “Ainda assim, afora a prática salutar do esporte por parte dos nossos jovens e por que não dizer por todos, ainda viria o asseio das áreas hoje degradados e imundas, o que importaria em satisfação maior ainda para comunidade e menos focos de insetos nocivos à saúde pública, que hoje, infelizmente atormentam a cidadania”.

Sem título

Ao invés de lixo, áreas como estas podem ser transformadas em quadras de terra batida para que jovens, crianças e adultos se sinta atraídos pelo esporte.

Ao invés de lixo, áreas como estas podem ser transformadas em quadras de terra batida para que jovens, crianças e adultos se sinta atraídos pelo esporte.

Mesmo sendo ferrenho opositor do governos petistas, Lula/Dilma e Jacques Wagner/Rui Costa, este último governador da Bahia, o prefeito, Benedito Cruz, de Abaré, no vizinho estrado da Bahia, tem conseguido implantar programas que impressionam e com isso fecha um ciclo de entrega de grandiosas obras de grande cunho social.

Uma destas realizações, trata-se da quadra de esporte o “Josinão”, que além de moderna, apresenta um arrojado projeto arquitetônico, sendo muito bonita e que além da prática esportiva, serve para outras finalidades, como grandes eventos e reuniões.

Sem título

Também a poucos dias atrás, mais precisamente no mês de novembro, o município entregou quatro novas Unidade Básica de Saúde, todas totalmente equipadas, climatizadas e informatizadas, cumprindo com isso a meta existente na programação Anual da Saúde, presente no Plano Municipal de Saúde. Antes o município já havia entregue outras quatro unidades, sendo duas delas no distrito do Ibó. Nestes novos espaços são realizados atendimentos médico, odontológico e de enfermagem e atende uma população de três mil pessoas.

As unidade fazem parte do Programa de Requalificação das Unidades Básicas de Saúde e recebeu recursos do Governo Federal no valor de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), sendo que a prefeitura aplicou R$ 130.000,000 (cento e trinta mil reais) em recursos próprios do Município, somando-se aí um total de R$ 280.000,000 (duzentos e oitenta mil reais) e com isso 100% das Unidades de Saúde tem sede própria.

Posto de Saúde

Só no Ibó, distrito de Abaré, duas Unidades Básica de Saúde para garantir saúde a população. No Ibó – Pernambuco, nada.

A saúde de fato tem sido uma das grandes prioridades, tanto que para qualificar mais ainda os serviços de saúde, a prefeitura também adquiriu com recursos próprio três novas ambulâncias, duas estão à disposição das unidades e outra para o distrito do Ibó, as quais se incorporaram as cinco outras ambulâncias que o município já possui, incluindo ai uma Unidade de Tratamento Intensivo – UTI Móvel e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU que, juntas, prestam assistência qualificada a toda população. Afora as ambulâncias, a prefeitura ainda adquiriu diversos veículos Fiat novos, todos padronizados com cores e logomarca da prefeitura.

Sem título

Mas as ações não param por aí, já que no final do mês, foi inaugurada Creche Pró-infância, professora Jolinda Pereira de Almeida. A obra era um sonho antigo da comunidade e vai beneficiar mais de 200 crianças.

Sem título

A creche Pro-Infância é dotada do que há de melhor em equipamentos de última geração, berçário, parque infantil com diversos brinquedos, salas, jardins, banheiros e cozinha e uma equipe de profissionais capacitados para oferecer carinho, educação, cidadania e segurança aos futuros cidadãos de Abaré. “Aqui esses pequeninos terão oportunidades iguais para crescer e produzir”, disse o prefeito Benedito. Outra coisa que chama atenção, é que a prefeitura consegue honrar o compromisso com a folha dos servidores e paga em dia os salários de todos.

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

É verdade que nem tudo são flores em Abaré e lá, mesmo com tantas ações a oposição bate forte no prefeito e faz cobra mais atitude, sendo que uma das maiores críticas recai justamente sobre entrada e muitas outras ruas da cidade e dos distritos que não são pavimentadas e por isso muita poeira e insatisfação.

O Blog do Tadeu Sá, recentemente encontrou-se com o secretário Delísio, que na verdade é o homem forte do governo e mentor principal das ações enumeradas e na ocasião indagou a ele a razão de tantas realizações, mesmo sendo opositor dos governos estadual e federal e o fato de ser criticado quanto a não pavimentação de muitas ruas, e ele respondeu: “O prefeito Benedito, está de parabéns, pois enquanto a maioria dos municípios brasileiros só falam em crise, em atrasar salários, em cortar os benefícios das pessoas pobres principalmente na área da saúde, demitir médicos, enfermeiros e dentistas por falta de pagamentos de salários, Benedito continua de cabeça erguida pagando aos funcionários públicos, mantendo toda equipe médica e todos os serviços que vem oferecendo a sociedade desde do início do seu governo”.

E disse mais ainda, “O governo do prefeito Benedito, se preocupa em cuidar da vida das pessoas, ele cuida do bem maior que é a saúde, que é pra mim a coisa mais importante na vida de um cidadão “, disse o Secretário, Delísio Oliveira.

Quanto as ruas não calçadas, disse Delísio, que os recursos são limitados e que por isso prefere priorizar o que é mais essencial, investindo na saúde que é o que todos mais precisam, mas que todos os esforços serão feitos no sentido de pavimentar algumas ruas e voltou a frisar mais uma vez, que o compromisso maior, que é o salário dos funcionários estão em dia e assim assim possam nossos servidores atender melhor a população, situação que não acontece com diversos municípios da região.

Sem título

Embora com tantas obras, o prefeito Benedito Cruz e a vice-prefeita Margarete Rodrigues, enfrentam enormes dificuldades no campo jurídico, já que ambos tiveram seus mandatos cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA). Ambos são acusados de captação ilícita de votos no pleito passado, já que segundo a justiça eleitoral, foram distribuídos naquele pleito, com fins eleitorais, cestas básicas na zona rural do município. Hoje Benedito e Margarete são rompidos politicamente. A decisão da cassação aconteceu na última quarta-feira (2), mas somente ontem, segunda-feira, foi divulgada.

Na decisão, entendeu o TJBA que diversos produtos alimentícios foram distribuídos por servidores de uma das secretarias do município, e que teria sido por determinação do ex-prefeito do município, Delísio Oliveira, que na ocasião apoiou os dois políticos, que ainda foram multados, cada um, em R$ 21.280,00. Além deles, o então prefeito, Delísio, foi também condenado a pagar multa.

De acordo com o procurador Ruy Mello, “houve distribuição de benesses para diversos eleitores da região, a sua grande maioria em condições precárias de vida, nos dias que antecederam as eleições, em patente aproveitamento da vulnerabilidade dos beneficiários e das condições aparentemente legítimas para a entrega de materiais”. Dá decisão ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília.

Sem título

Na Rádio Educadora, Fernando Bezerra promete ao prefeito Gustavo Caribé, a conclusão das obras de revitalização e requalificação da orla fluvial (Foto: Fabiano Caribé).

Em entrevista prestada ao radialista Gilmar Dantas, o prefeito Gustavo Caribé, afirmou que tem motivos de sobra para comemorar, já que na passagem do senador Fernando Bezerra por Belém do São Francisco, recebeu a notícia da retomada das obras de revitalização e requalificação da orla fluvial, obra que se encontram paralisada desde 2014. Gustavo se refere a liberação da segunda parcela do valor do projeto por parte Governo Federal.

Tivemos uma conversa bastante longa com o senador e recebemos dele a garantia de que iria pessoalmente ao Ministério da Integração fazer gestão pra liberar o recurso. Sabemos do seu compromisso com a nossa cidade, já que foi através dele que conseguimos iniciar a tão sonhada obra, dentre outras“, lembrou o prefeito do município.

Com alarde a prefeitura anunciou no final do ano passado, o pagamento dos salários de grande parte dos meses que estava a dever aos servidores contratados e alguns fornecedores do município. Quem tinha tanto meses para receber, recebeu uma parte, mas que agora, no terceiro mês do ano de 2016, as notícias dão conta do afundamento dos débitos, tanto que um contratado me informou que está a dez meses sem receber qualquer pataca, outro me disse que fechou o ano com quatro, mas que agora são seis meses sem receber.

Pelo lado do povo, daquele que não recém salários, muitas dificuldades, ruas continuam sujas e esburacadas, esgotos correm a céu aberto em muitos locais e com ele uma fedentina de dá vergonha.

Afora isto, saúde precária, alunos enfrentado dificuldades nos primeiros dias de aulas, escolas verdadeiramente abandonadas, mas isto parece não ser nada. O município acaba de informar um mega evento, o aniversário da cidade que acontece no dia sete de maio, mas que a festa que acontecerá no dia cinco, e contará com as apresentações de grande porte, a cantora, Marília Mendonça, Tony Farra, a jovem cantora Andréia Vitória e como não poderia faltar, mais uma vez ele, o cantor de forró, Mano Walter.

Sem título

Inconformados com a paralisação há anos das obras de construção da estrada asfaltada que liga o município de Carnaubeira da Penha a Floresta, pessoas do povo, índios e lideranças políticas dos dois municípios realizaram dois protestos simultâneos, um aconteceu na BR 316, em Floresta, o outro na BR 232, em Serra Talhada.

O protesto aconteceu na quinta-feira, dia 25 de fevereiro, sendo que na ocasião os manifestantes portavam diversas faixas com dizeres: “Abrace a nossa causa. Vamos fazer esse sonho virar realidade, mostrando aos governantes que juntos somos mais fortes.”

Presente ao evento, a prefeita de Floresta, Rorró Maniçoba, discursou e cobrou mais uma vez a obra. Bem junto dela, com os mesmos objetivos, políticos que lhes fazem oposição, como foi o caso do vereador Chichico Ferraz, que a respeito do caso, disse: “Prontamente vim participar do movimento, pois a minha briga por esta causa é antiga, já falei com várias pessoas e na tribuna da câmara sobre o assunto e a resposta sempre foi que o Governador prometeu que faria, essa promessa vem desde a gestão do ex-governador e nada foi feito”. No início do mês, o deputado federal Kaio Maniçoba, cobrou a obra, e disponibilizou-se a apresentar emenda no valor de até R$ 5 milhões para ajudar o Governo do Estado a tirar a obra do papel.

Sem título

A cobrança pela obra foi forte e o governador Paulo Câmara, prometeu atendê-los e isto imediatamente, mas é bom não perder de vista que o governador tem outras promessa importante a cumprir, como é o caso do estrada para o distrito de Conceição das Crioulas, em Salgueiro, a estrada que liga Terra Nova a Cabrobó, estes dois tradicionais municípios produtores de cebola e que precisam escoar suas produções, bem como a estrada que liga Belém do São Francisco a Barra do Tarrachil, que é de apenas cinco quilômetros e que liga Pernambuco a Bahia, o governo da Bahia já honrou seu compromisso e cumpriu a sua parte implantando a pista até e beira do rio. A estrada é de suma importância para os dois Estado.

Se de fato a pressão exercida pelos carnaubeirenses e florestamos, der certo, mostra mais uma vez que a participação popular na resolução de seus problemas sempre é importante, os governos verdadeiramente democráticos costumam ouvir o povo.

BELÉM:

O que se indaga porém, quanto a Belém, é quando o povo belemita vai acordar e cobrar também com firmeza o cumprimento da promessa que o ex-governador Eduardo Campos fez pela colocação do asfalto na estrada que liga Belém, ao porto da Barra do Tarrachil, estrada esta que já foi asfaltada, possui uma terraplanagem que precisa apenas de poucos reparos, possui as pontes necessária, além de ser um curto trajeto de apenas cinco quilômetros. Se os políticos não resolvem, então que o povo resolva. Protestos neles, de preferência não votando nos que estão aí e que nada fazem para resolver a situação.

Escrito por Tadeu Sá.

Na semana passada o Blog do Magno Martins, anunciou o lançamento em Petrolina, do Projeto para exportações no vale, mas eis que a notícia não contempla Belém.

Pois bem, de acordo, com o Blog, “Dormentes, Lagoa Grande, Orocó, Santa Maria da Boa Vista e Terra Nova vão ganhar um incentivo para exportar mais.  O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, esteve em Petrolina, para lançar as ações do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) voltadas para as cidades pernambucanas do Vale do São Francisco. O evento de lançamento aconteceu no Auditório do Senai/ Petrolina e contou também com a participação do presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), David Barioni, e do 1º vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Ricardo Essinger.

Monteiro anunciou o início dos trabalhos de capacitação de 146 micro, pequenas e médias empresas dos setores de fruticultura, vitivinicultura e couro que, ao final do projeto, estarão mais bem preparadas para vender seus produtos em mercados internacionais. O trabalho de preparação das empresas será feito por especialistas do Projeto Extensão Industrial Exportadora (PEIEX), executado, na região, pela Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), sob a coordenação da Apex-Brasil.  O convênio entre o MDIC/Apex-Brasil e a Facape foi assinado durante a cerimônia e terá vigência de 30 meses”, disse o Blog.

Após a cerimônia de lançamento, as empresas interessadas receberam atendimento específico sobre o funcionamento do programa. Nos demais dias, empresas da região do Vale do São Francisco poderão procurar o Núcleo Operacional do PEIEX, que funcionará na sede da Facape, em Petrolina. As empresas também podem entrar em contato com a Apex-Brasil pelo e-mail apexbrasil@apexbrasil.com.br ou pelo site www.apexbrasil.com.br.

FIEPE EM PETROLINA – O potencial de exportação das indústrias sediadas no Sertão do São Francisco também conta com o apoio da Unidade Regional da FIEPE, desde 2014. Para Essinger, as ações do PNCE serão de fundamental importância aos empresários industriais da região, complementando o esforço de internacionalização realizado pela Federação. “Além de beneficiar principalmente os setores de fruticultura, vinicultura e couros, o Programa abre possibilidades para toda cadeia ligada a esses segmentos”, esclarece.

NOTA DO BLOG DO TADEU SÁ:

O interessante é que Belém do São Francisco, mesmo possuindo no seu município uma empresa como a Agrodan, que é responsável pela exportação de 20% de toda manga que é destinada ao mercado mundial, não foi incluída no programa, a razão desta exclusão ninguém sabe, mas talvez seja pelo fato do município não fazer parte da região do São Francisco, mas sim da região de Itaparica, que mesmo tendo municípios importantes e grandes produtores de frutas como, o melão, melancia, tomate, coco, banana, manga, uva, sendo um dos maiores produtores de carnes de caprinos e ovinos, produtos diversos produzidos do couro, redes e mantas de qualidade, a região ainda não foi vista com os olhos que merece. Acho que está na hora de alguém explicar o que acontece, pois não é justo ficarmos a ver as oportunidades aparecerem para uns e para a região nada. Que exclusão é esta? E olhe que o Ministro Armando Monteiro, foi bem votado na região, em alguns municípios ele vem sendo votado desde quando o cão era menino. E os deputados da região e aqueles que são constantemente votados, o que estão fazendo? Precisamos ficar atentos ao que acontece com os outros e não acontece com a gente.

A diretora do Edal, Socorro Duarte Batista, deu início sábado, dia 27, ao pontapé inicial na pré-campanha para a Prefeitura de Belém do São Francisco. Ela se reuniu com lideranças do PMDB e do Solidariedade para tratar do planejamento pré-eleitoral e da construção de um programa visando a sucessão no município de Belém do São Francisco. A intenção do evento foi sinalizar que a professora está se cacifando para entrar na disputa e que disto não há desistência.

Para os presentes ao evento foi dito que Socorro tem a confiança das direções municipal e estadual dos dois partidos, além de outros que se juntarão mais adiante. “A garantia (da candidatura) já está dada. Ela tem que se colocar e criar as condições políticas”, disse, Tadeu Sá, presidente do PMDB.

O encontro que aconteceu na residência de Socorro e reuniu um grupo de trinta pessoas entre homens, mulheres e jovens, e na ocasião discutiu-se ainda a formação de uma base verdadeira de oposição, o fortalecimento dos partidos envolvidos na sua pré-campanha, a política desastrada e equivocada que se praticada no município e o lançamento também de pré-candidatos a vereadores.

A abertura do encontro coube ao advogado Tadeu Sá, que na ocasião apresentou números dos mais diversos institutos que colocam Belém na rabeira dos municípios do sertão pernambucano e baiano, como é o caso da perspectiva de crescimento da população, já que dentre todos aqueles da região, Belém ao lado de Macururé, transformou-se num município que teve sua população diminuída, ou seja o número dos que nasceram foi menor do que os que morrem e dos foram embora.

Mas não ficou só ai, Tadeu, lembrou ainda que o índice Firjam, apontou recentemente que dentre os 5.243 municípios brasileiros, em termos de pior gestão fiscal no Brasil, Belém ficou na frente apenas de 348 municípios, ou seja, Belém ocupa o 4.895º lugar dentre os municípios onde o dinheiro público é mal gerenciado.

Prosseguindo, Tadeu, falou ainda sobre do lixo que toma conta e das ruas esburacadas, disse que Belém não tem projetos, pois enquanto o município de Abaré possui oito Unidades Básica de Saúde, Belém não tem nenhuma, só promessas.

Durante sua fala, advogado afirmou ainda que, Rodelas, Chorrochó e Itacuruba, cidades muito menores, possuem muitas casas do programa “Minha Casa, Minha Vida”, cada uma com quantidade superior a 500, mas que Belém ao longo dos últimos doze anos dos governos de Helionaldo Lustosa e Gustavo Caribé, só conseguiu pouco mais de cem, sendo que uma grande parte destas encontra-se com pendências junto a justiça, outras invadidas e sem conclusão.

No mesmo discurso, Tadeu, criticou o afundamento do município em dívidas milionárias impagáveis, os salários dos servidores que sempre recebem atrasados, falou da precariedade da saúde e de uma Câmara de Vereadores completamente submissa, que vota projetos absurdos que só servem para penalizar os mais sofridos, como foi o caso do aumento absurdo da taxa de iluminação pública e da dispensa de impostos em favor dos mais dos mais rico.

Enfim, Tadeu, falou sobre muita coisa, e conclamou os presentes a unir forças para combater a forma política empregada no município, que segundo ele é miserável e de exclusão, onde uns tem tudo, e outros, nem saúde, escolas sem banheiros e sanitários, sem vida de qualidade, direito sequer de nascer aqui, sem perspectiva de melhoria, nem participação popular nas sucessivas administrações. Tudo que se ver são contas, muitas contas sendo sucessivamente rejeitadas pelo Tribunal de Contas.

Depois da fala de Tadeu Sá, a palavra foi franqueada a todos indistintamente, uma forma de incluir a participação popular nos debates, pois do outro lado os candidatos são escolhidos não pela competência, mas pelo sangue familiar e por um seleto grupo de meia dúzia de pessoas que vivem às custas do poder público. Lá ninguém do povo é ouvido, ninguém tem vez, nem voz, apenas votos para ofertar, o que não vai acontecer com o grupo que se forma agora, já que a construção das candidaturas acontecerão de forma muito abrangente e participativa.

Na ocasião, quem também se pronunciou foi a anfitriã, Socorro Batista, embora o encontro tenha sido agendado pelo presidente do PMDB, Tadeu Sá. Na ocasião Socorro disse, “Coloco-me desde já como pré-candidata a prefeita e se de fato for a escolhida, vou trabalhar para sair vitoriosa e com isso poder construir um modelo de gestão que tenha a cara do povo, que o governo seja feito com transparência, como aliás acontece na escola que sou diretora, cujo trabalho, ante a clareza do que fazemos por lá, já me rendeu o título de melhor gestão escolar da região, a quarta melhor do Estado de Pernambuco. É isto que Belém precisa, de gestão eficiente com um olhar diferente para as minorias, de muita transparência, pois um governo sério deve ser do povo, para o povo”. Disse Socorro.

Sem título

“Socorro Batista, se coloca como pré-candidata a prefeita e garante que decisão e irreversível”.

Desenvolvido por