No último sábado, o secretário de Agricultura e Reforma Agrária do Estado, Nilton Mota, cumpriu agenda em São Joaquim do Monte, no Agreste Central, quando realizou entrega de equipamentos à população. Foram dois tratores completos, no valor de R$ 246 mil, parceria do Governo do Estado de Pernambuco e da emenda parlamentar do deputado federal Bruno Araújo (PSDB), além de um caminhão frigorífico.

Sem título

Os equipamentos irão auxiliar no suporte aos agricultores familiares. O caminhão frigorífico, por exemplo, vai realizar o transporte do alimento produzido pelos agricultores para as instituições beneficiárias dentro do projeto de Modernização

Mesmo encerrando um ano difícil e desafiador para o Estado, estamos aqui neste município, a poucos dias do final do ano, para realizar essas entregas, assumidas em visita ocorrida no mês de setembro. Compromisso assumido é compromisso cumprido”, declarou Nilton Mota.

NOTA DO BLOG:

Interessante como estes tratores conseguem chegar em tudo quanto é lugar e em Belém nada. Dias destes Floresta recebeu cerca de cinco tratores. Orocó também recebeu vários outros e estes como fruto de uma emenda parlamentar do Deputado Fernando Filho. É preciso que nossas lideranças acordem, não podemos passivamente assistir as coisas chegarem em determinados lugares e aqui não, ou será que nossos agricultores não necessitam de tratores. Será que teremos como exemplo apenas o trator que foi entregue em 1992 aos agricultores da Fazenda Manga de Baixo, uma decisão de Denize Alencar, à época coordenadora do Prorural na região do São Francisco.

Escrito por Tadeu Sá.

A partir do ano letivo de 2016, as escolas de ensino fundamental e médio do Acre terão de ministrar aulas sobre corrupção aos seus alunos. A disciplina será obrigatória nas redes pública e privada de ensino e deve-se a providência a uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado. O nome da matéria é “Política, politicagem e conscientização contra a corrupção”.

Chama-se Jairo Carvalho (PSD) o deputado estadual autor da proposta. Aprovado no mês passado, o projeto foi sancionado pelo governador Tião Viana (PT) e publicado no Diário Oficial do Estado em 24 de dezembro. Protagonista de escândalos como o do mensalão e o do petrolão, o Partido dos Trabalhadores apressou-se em trombetear a novidade em seu site.

O texto da lei anota que “o conteúdo programático da nova disciplina incluirá o estudo da história da política, os prejuízos com a politicagem e a formação da sociedade contemporânea perante a corrupção, para que os mesmos venham desenvolver nos alunos suas ideologias éticas, morais e sociais, resgatando a contribuição de jovens na política acriana”.

Antes de virar lei, ainda na fase de discussão legislativa, o projeto recebera apoio do Procurador Geral de Justiça do Acre, Oswaldo de Albuquerque, e da presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargadora Cezarinete Angelim.

Num país em que a corrupção tornou-se epidêmica, a iniciativa parece meritória. Resta saber como serão preparados os professores que irão ministrar aulas sobre corrupção. A desembargadora Cezarinete colocou a Escola da Magistratura do Acre à disposição para ajudar na implementação da nova lei.

Escrito por Tadeu Sá.

Terça feira, dia 15, Belém acordou sob o impacto de uma notícia que por certo será tida como o mais impiedoso crime que se tem notícia da nossa terra, o estupro seguido de morte de uma criança de apenas cinco anos de idade, de nome de Evelyn Kailane da Silva Cruz, que era filha de Claudionor (Nem dos Baldos) e Maria Adriana da Conceição Silva. Evelyn estudava na Creche Carolina Augusto de Sá, e era muito querida no Bairro Inocoop, local onde residia com a família. O crime absurdamente acontece quando decorre apenas 10 meses do macabro estupro também seguido de morte que foi vítima o menor Benício da Silva Gomes, bem como dois meses depois da inexplicável morte de Luiz Fernando Freire dos Santos, situação que deixa toda a sociedade perplexa e preocupada quanto ao futuro das nossas crianças. Em Petrolina uma só morte, sem estupro de uma criança que aconteceu no interior de uma das escolas mais tradicionais está causando uma comoção sem tamanho e a polícia ainda não conseguiu desvendar.

CASO BENÍCIO:

O caso Benício aconteceu no dia 15 de fevereiro de 2015, um dia de domingo, quando Belém acordou com a infeliz e trágica notícia de que nas terras da fazenda Canta Galo, distante cerca de três quilômetros do centro da cidade, um corpo de uma criança, destas que vivia perambulando sem providências pelas ruas, foi encontrado sem vida, o corpo em adiantado estado de putrefação apresentava golpes de faca peixeira e pancadas com toros de madeira, sendo que momentos antes fora violentado e seviciado por dois elementos, um menor de idade e outro adulto.

Sem título

Benício foi também estuprado e morto. O caso chocou, mas Belém não aprendeu, não serviu de exemplo. O pior é que tem muitas outras crianças correndo graves riscos.

Pois bem, se este episódio já envergonhava e maculava a honra do belemita, imagine com este que acaba de acontecer e que acontece justamente num curto espaço de tempo, principalmente quando se sabe que o crime agora acontecido deu-se contra uma criança de menos idade e que ao contrário de Benício era bem cuidada pelos pais e familiares, pessoas bem religiosas, mas que igualmente teve o mesmo fim de Benício, já que terminou sendo covardemente estuprada, assassinada, com seu corpo sendo jogado ao léu, embora como dito, contasse ela com apenas cinco anos de idade, três anos menos que Benício.

CASO LUIZ FERNANDO:

Com apenas seis anos, a morte prematura de Luiz Fernando também doeu. A família diz que foi negado atendimento médico no hospital, as autoridades do município sem qualquer inquérito administrativo diz que não. A incógnita vai ser desvendada pela polícia que no início do ano vai ouvir as testemunhas sobre o rumoroso caso.

Com apenas seis anos, a morte prematura de Luiz Fernando também doeu. A família diz que foi negado atendimento médico no hospital, as autoridades do município sem qualquer inquérito administrativo diz que não. A incógnita vai ser desvendada pela polícia que no início do ano vai ouvir as testemunhas sobre o rumoroso caso.

Também dois meses antes, outra criança, Luiz Fernando Freire, com apenas 06 anos, morreu em circunstância misteriosa, inexplicável mesmo, a família acusa falta de atendimento médico ao procurar o hospital local, a direção do hospital, sem qualquer procedimento investigatório, sem uma apuração aprofundada e sensata diz que não. O fato é que este acontecido também causou e continua causando profunda indignação na sociedade, principalmente na família e amigos de Fabiano, que agora aguarda a conclusão do laudo médico, bem como a conclusão do inquérito policial que tramita na Delegacia de Polícia, sendo que nestes dias deve acontecer as oitivas das testemunhas que presenciaram o que a família alega.

CASO EVELYN:

O caso Evelyn, teve início na noite de segunda feira, dia 14, quando a criança ao afastar-se da vigilância familiar, foi atraída pelo elemento conhecido Antônio Joaquim Nascimento, que convenceu a entrar no interior da sua casa e após estuprá-la, resolveu assassina-la para em seguida descartar o corpo, agora dentro de um saco de colocar farinha, defronte a própria casa onde ocorreu o absurdo e monstruoso crime.

A pequena Evelyn na igreja com os pais. O caminho da fé em Deus foi encurtado de forma brutal.

Com a menina desaparecida, noite a dentro a família empreendeu busca incessante por quase toda cidade, mas tudo sem resultados concretos, sendo que na manhã da terça feita, dia 15, o que não era esperado aconteceu, a família e os vizinhos encontraram a menina morta e estuprada, situação que logo desaguou numa revolta incontida por parte dos parentes e das pessoas que procuravam Evelyn.

O canto da casa amarela com a casa branca foi o local escolhido pelo criminoso para descartar o corpo de Evelyn. A foto foi tirada da frente da casa do acusado.

O canto da casa amarela com a casa branca foi o local escolhido pelo criminoso para descartar o corpo de Evelyn. A foto foi tirada da frente da casa do acusado.

Com a descoberta do corpo logo chegou-se ao sanguinário assassino, que ainda se encontrava no interior da casa, pois rastros de sangue ia desde o local onde o corpo fora jogado até a porta da residência do acusado, e nesta mais sangue na sala, na cozinha e nas paredes, além de duas grandes pedras também com sangue, alguns fios de cabelos, um dos pés da sandália que a menor utilizava, além de marcas de tentativas de levantar a laje da rede de esgoto que passa sob a casa, que segundo algumas pessoas era o local inicialmente escolhido para o descarte do corpo.

SOCO NA CARA:

A notícia da morte de Evelyn, foi recebida como mais um soco violento na cara de uma sociedade que pouco importa com os gravíssimos problemas sociais que convive, inúmeros pais e jovens sem oportunidade de trabalho, educação pública de qualidade bastante questionável e insuficiente, dezenas de crianças verdadeiramente abandonadas perambulando pelas ruas com algumas delas se prostituindo em tenra idade, outras na iminência de graves riscos de mais violência, em fim uma desigualdade obscena campeia mas todos fazem vistas grossas, e ainda há quem pense que somos “um município educador”.

LINCHAMENTO:

Descoberto o criminoso, que segundo informes se encontrava debaixo de um sofá, a retirada do mesmo do local importou em motivos de preocupação para a polícia pois as pessoas queriam linchá-lo, daí buscaram despistar os que se aglomeravam no local, e no afastamento momentâneo destes o elemento foi retirado às pressas, e mesmo sendo levado para a delegacia, de lá foi também retirado sob forte escolta pois as pessoas enfurecidas queriam arrancá-lo das mãos dos milicianos. Com a retirada dos policiais do local do crime uma revoltada incontida explodiu desaguando na demolição por completa da casa do acusado, bem como na queima dos moveis e eletrodomésticos ali existentes, inclusive numa moto que o algoz possuía.

Casa do meliante e móveis que estava no seu interior foram completamente destruídos pela população revoltada, inclusive uma motocicleta.

Inconformados, já na noite do mesmo dia um protesto ecoou pelas ruas, inclusive passando defronte a 1ª Companha e como razão cobranças firmes a polícia e a justiça, mas aos nossos governantes e políticos, como sempre nada. Até parece que todos sempre estão atentos e empenhados nos problemas relacionados as menores de nosso município.

População vai as ruas protestar, mas esquecem os verdadeiros culpados: O próprio povo e seus legítimos representantes políticos. (Foto: Daniel Lima).

O clima era de profunda revolta, as ruas do bairro Inocoop ficaram completamente lotadas de pessoas que vinham de todos os locais da cidade e zona rural, com muitos caminhando entre a casa da vítima e a do acusado, na primeira, o local onde o corpo foi velado, na outra, apenas os escombros do que restou da maldita casa.

COSTUMAS:

Durante o velório as pessoas reunidas em grupos conversam e com elas histórias horripilantes a respeito do assassino eram contadas, uma ex-vizinha dizia que abandonou a casa que ali possui e foi residir em outra bem distante, pagando aluguel caro, pois segundo ela o mesmo assediava constantemente suas filhas, chegando ao ponto até de furar buracos nas paredes que dividia as duas casas com o fim de poder observar as filhas nos seus momentos mais íntimos, um destes buracos foi feito justamente da casa do acusado para o banheiro da casa da senhora e como forma de escondê-lo, no interior do mesmo um bolo de papel higiênico, deste de pouca qualidade, mais escuro, que era manuseado pelo criminoso quando bem interessava, mas que as pessoas que utilizavam o banheiro não conseguiam perceber. Afora este, um outro se existe na parede que dividia os muros das duas casas, mas como foi percebido logo foi tapado pela senhora. Ao ser questionada se havia registrado queixa na delegacia, disse que sim, que prestara queixas contra o referido elemento e que uma destas já teria chegado a esfera judicial. De fato, verificando o site da SSP e do Tribunal de Justiça, constata-se que existem registros. Na Delegacia de Polícia Antônio Joaquim é que acusa, M.N.C.S., C.G.C.S e J.C.S., de tê-lo injuriado, pois lhes chamara de estuprador e tarado, fato acontecido no ano de 2012, mas ao que parece o inquérito não evoluiu, ficando no entanto a partir daí o primeiro registro do que viria ser o acusado.

Segundo a vizinha, o acusado abriu o buraco acima partindo da casa dele para o banheiro da sua casa com o fim de observar suas filhas durante os banhos. Como forma de escondê-lo, no seu interior há um bolo de papel higiênico, destes mais escuro.

Segundo a vizinha, o acusado abriu o buraco acima partindo da casa dele para o banheiro da sua casa com o fim de observar suas filhas durante os banhos. Como forma de escondê-lo, no seu interior há um bolo de papel higiênico, destes mais escuro.

Também em 2012, uma das senhoras acima, M.N.C,S., representou contra Antônio por crime também previsto no artigo 140 do Código Penal (injúria), mas em audiência realizada no dia 05\10\12, ela preferiu retirar a queixa e com isso o feito foi arquivado. Também na justiça, o acusado responde por crime de trânsito, com audiência designada para o dia 21, segunda feira passada, mas sem o comparecimento do réu, que se encontra preso, a mesma deixou de acontecer.

Ainda no local as pessoas comentavam que o acusado as vezes exibia sua genitália publicamente, que já chegou a efetuar disparos de arma de fogo na rua. Além destes episódios, outros davam conta de que a esposa e seus filhos o abandonara por não mais suportar o convívio com o acusado, que segundo informações sozinho ficou a residir na casa referida.

VELÓRIO E SEPULTAMENTO:

Durante o trajeto para o cemitério uma multidão seguiu o cortejo para se despedir de Evelyn.

Durante o trajeto para o cemitério uma multidão seguiu o cortejo para se despedir de Evelyn.

Durante o velório, que aconteceu na residência da família, passaram centenas de pessoas. Na parte da tarde do dia 16, o corpo de Evelyn seguiu rumo ao campo santo local e imediatamente uma multidão seguiu com ela, o caixão com o corpo seguia atrás de vaqueiros que foram homenageá-la e logo atrás inúmeras pessoas portavam cartazes com dizeres diversos, de despedida e de apelo por justiça. Da sua casa o corpo seguiu para o bairro do Ipsep, alcançou a rua Dom Francisco Xavier, entrou na Avenida Procurador Carlos Caribé, desceu rumo à rua Cel. Pedro da Luz, e daí alcançou a BR 316, onde o trânsito parou, ao chegar ao cemitério outra multidão já aguardava Evelyn. No interior do campo santo as pessoas se espremia para se despedir. Durante o velório e trajeto músicas gospel eram tocadas por carros de som que foram gentilmente cedidos a família. No túmulo o único e último discurso de despedida, de um adeus para sempre.

Na beira do túmulo, o povo dá seu adeus para sempre a Evelyn.

Na beira do túmulo, o povo dá seu adeus para sempre a Evelyn.

DURANTE O VELÓRIO OUTRA MORTE:

O velório, que como dito foi marcado por fortes emoções e revolta, tomou contornos de mais tragédia quando no início da tarde de quarta-feira, antes do corpo seguir para o cemitério, ali chegou a informação que mais uma morte. A senhora Elza, moradora da fazenda Jericó, parente da menor e que se dirigia com o filho para o velório, colidiu com um caminhão que trafegava pela BR 316, e veio a falecer no local, isto justamente no cruzamento de acesso entre o cemitério público e a o bairro do Inocoop. O filho de Elza, condutor da moto, saiu levemente ferido.

RESPONSABILIDADE:

Embora o protesto tenha sido contra a polícia e a justiça, é preciso que se diga que tanto no caso do menino Benicio, como no caso Evelyn, a polícia agiu com precisão e logo os dois crimes foram desvendados. No primeiro, a participação do Conselho Tutelar nas diligências foi de suma importância para se chegar aos autores, de forma que os responsáveis, ao menor I.S., foi aplicado medida sócio educativa e encontra-se internado na Funase\Case – Petrolina. O maior de idade, Sidivam Aparecido dos Santos, já teve a instrução criminal encerrada e logo no início do ano deve ser submetido a júri popular quando por sete cidadãos será julgado e com enormes possibilidades, se houver prova suficiente, de pegar uma pena bastante alta. Vale ressaltar quanto a este caso que o feito não foi concluído não por falta de esforços do judiciário local, que aliás se encontra bem aparelhado, com a presença permanente de juiz e promotor, mas por falta de mais um defensor público, o único que promove a defesa do menor não pode atuar em favor do maior pois as versões são conflitantes.

O caso Evelyn, o estupro em si e o assassinato por certo deve render ao seu algoz pena também severa, o inquérito já foi remetido à justiça e o indicia nas penas parágrafo 4º., do artigo 217 – A, (estupro seguido de morte), que prever pena de 12 a 30 anos. Isto não há o que contestar, disso ninguém se preocupe, pois a prova neste caso além contundente e esclarecedora, conta com perícia técnica minuciosa elaborada no local dos fatos, o que a torna mais robusta ainda.

PREOCUPAÇÃO:

Pois bem, de preocupação mesmo nos resta o fato de que num intervalo de tempo tão curto, apenas nove meses, três episódio de tamanha gravidade envolvendo crianças de idades respectivas de 08, 06 e 05 anos, e que por certo outras violências acontecem, inclusive se sabe que duas outras crianças se encontram em alto risco de vulnerabilidade e tudo isto tem como uma das causa o fato de que o principal mecanismo de defesa das crianças e dos adolescente do município não funciona a contento, está sucateado e sem a menor condição de promover diligências mais pertinente em favor dos nossos infantes. Nos referimos ao Conselho Tutelar.

DENUNCIAS E DESCASOS:

O Conselho Tutelar, há muito se fala da situação de penúria que vive, mas nada é feito. A própria TV do Grande Rio, afiliada da Rede Globo de Televisão, quando do acontecido com Benicio veiculou em seu noticiário a situação de fato anormal que existe, disse a reportagem que, “logo na entrada se ver fiação exposta, portas estragadas pelo cupim, infiltração nas paredes, inexistência de telefone fixo e celular, sem xerox, sem escâner, e as poucas mobílias que tem foram doadas pelo Tribunal de Justiça, Ministério Público, algumas pessoas da sociedade. Na mesma ocasião ainda foi denunciado os constantes atrasos nos salários dos conselheiros, o que às vezes redunda em greve por parte de alguns dos conselheiros”.

Durante a gravação, o repórter entrevistou os conselheiros Charles Sá e Osvaldo dos Santos, sendo que ambos ratificaram o abandono, inclusive salientando que até o carro que servia para as diligências estava com o pagamento de sua locação atrasado e com isso se encontrava parado, o que impede os conselheiros de diligenciarem, em alguns casos a distância é grande e não têm eles como saírem a pé.

A situação vivenciada pelo conselho tutelar de Belém do São Francisco se agravou mais ainda de lá para cá, o carro foi retirado de vez, o Sistema Sípia (Sistema de Informação para a Infância e Adolescência) não funciona e  o próprio ministério público e a justiça local sabem disto e fazem tudo para melhorar as condições, mas esbarram nas intenções da prefeitura e fatos como este há muito negativamente extrapola as fronteiras do município já que a citada televisão acompanhou as investigações e quando esteve no conselho tutelar verificou o que acontece, inclusive a má vontade em dotá-lo de condições decente e mais uma vez, agora no caso Evelyn, a triste notícia também ultrapassou as fronteiras do estado.

ACORDAR É PRECISO:

É preciso que Belém acorde para a realidade que vive, não estamos a discutir as causas dos nossos problemas administrativos, ou a crise constante que assola Belém, com inúmeros problemas sem soluções, com uma cidade que se degrada cada dia mais, pois nada, nada funciona a contento.

Definitivamente precisamos saber as causas e o porquê de acontecer tantas mazelas sociais, de saber para o que, quanto e para quem são destinados nossos recursos públicos. Precisamos de transparência, de muita transparência para que assim possamos claramente saber dos recursos que são carreados para os cofres municipais e consequentemente para o atendimento premente das necessidades da sociedade, inclusive o funcionamento a contento do Conselho Tutelar, e a partir daí possamos se conformar ou não com o quantum que é legalmente destinado para cada órgão público.

Daí digo por ser muito interessante o fato de muitos belemitas se dizerem indignados com os crimes que vitimaram duas crianças, Benício e Evelyn, com a morte prematura e inexplicável de Luiz Fabiano, que faleceu segundo a família à míngua e em consequência, sem fazerem as suas “mea culpa”, as pessoas laçam inúmeras críticas ou protestos através das redes sociais, mas apenas contra a polícia ou a justiça, esquecendo os demais responsáveis.

Será que é por aí? Será que cada um de nós não tem uma parcela grande de culpa no que acontece?

É preciso que resolvamos definitivamente questões como está e muitas outras que existem e muito nos atormenta, que resolvamos questões como a inércia latente que nos abate, é imperioso acima de tudo que aprendamos a votar. Só através do voto consciente é que podemos mudar a realidade que vivemos.

Acontece porém que pouquíssimo são aqueles que enxergam desta forma na hora da resposta adequada, na de voto, na hora que se tem de fato a oportunidade para implementar as profundas mudanças que o município requer, mas alguns, e são muitos, preferem agir na busca benesses pessoal, de migalhas em troca do tipo “venda do voto”, o que é lamentável. Precisamos conhecer melhor os candidatos, suas opiniões e de uma vez por toda acabar com este vai e vem miserável que acontece.

A próxima eleição por exemplo, será para prefeito e vereadores, mas duvido que desde já pensem nisto. Todos com certeza já tem seus candidatos, os mesmos de sempre, os que fazem este sistema miserável de exclusão e de desigualdade social absurda e incomum onde uns através do poder político municipal tem tudo e outros, sem contar com a mínima complacência do mesmo poder, só infelicidades, com vidas inocentes sendo impiedosamente molestadas, interrompidas covardemente, como é o caso de Benício e Evelyn e do próprio Luiz.

Até quando?

Escrito por Tadeu Sá.

Assassinato de menina de 7 anos durante festa em escola de Petrolina mexeu com a vulnerabilidade dos pais quando o assunto é criar os filhos para que eles enfrentem o mundo sozinhos. (Foto: Free Images).

Assassinato de menina de 7 anos durante festa em escola de Petrolina mexeu com a vulnerabilidade dos pais quando o assunto é criar os filhos para que eles enfrentem o mundo sozinhos. (Foto: Free Images).

Doze dias semanas após o assassinato de Beatriz Angélica Mota, de apenas 7 anos, durante uma festa em uma escola particular de Petrolina, a cidade continua em choque com a brutalidade do crime. Isso porque a forma como tudo aconteceu, enquanto a criança acompanhava a família. O pai é professor de inglês da unidade, numa solenidade de formatura de alunos do 3º ano do ensino médio do colégio, deixa uma pergunta dolorosa para aqueles que convivem diariamente com a angústia de criar os filhos: Até onde vai a vulnerabilidade dos pais quando o assunto é criar os pequenos para que eles tenham a autonomia e liberdade de enfrentar o mundo sozinhos?

Menina foi encontrada com perfurações de faca (Foto: Reprodução)

Menina foi encontrada com perfurações de faca (Foto: Reprodução)

A gerente de marketing Tais Farias, 35 anos, mãe de um aluno de 11 anos do Colégio Maria Auxiliadora, onde o crime aconteceu, conta que a tragédia mudou até a forma como os pais vivem com os filhos na cidade. “Tinham várias crianças soltas ao redor da quadra onde aconteceu a festa. E aí a gente começa a parar e analisar, sabe? A gente não está seguro nem dentro do colégio, um local tão particular e nosso. Minha família veio para Petrolina atrás de uma qualidade de vida que não tinha no Recife e aqui sempre nos agradou a questão da segurança. Não tínhamos esse tipo de preocupação que temos agora. Mudou e mudou para a sociedade toda. Estamos até restringindo alguns locais muito abertos porque, infelizmente, temos que ter esses cuidados. Onde você chega tem um monte de mães agarradas com os filhos”, lamenta.

Ainda segundo Taís, o fato tomou uma proporção tão grande que chegou até a assustar as crianças da cidade, que, muitas vezes, não têm dimensão do que de fato acontece no dia a dia. “As crianças entendem muito pouco, mas uma boa parte está assustada. Meu filho, por exemplo, está com muita dificuldade para dormir. Ninguém consegue tirar essa história da cabeça, até porque a cidade não fala de outra coisa. Foi um choque para todo mundo por ter sido dentro da escola. Está todo mundo paranoico, porque ninguém sabe o que pode acontecer”, conta.

O medo sobre o que pode vir a acontecer com os filhos martela na mente de muitos pais. Desde aquela preocupação que o pequeno possa bater com a cabeça no escorrego do parque e precise levar dez pontos até o pânico de que alguma situação extrema venha a causar a morte da criança, principalmente em idades que elas não têm como se defender sozinhas e em momentos que os responsáveis não têm como, digamos assim, salvá-las.

Diante de uma situação extrema dessas, é normal que se gere uma desconfiança excessiva. Mas a gente tem que lembrar que lidar com crianças é prepará-las para o futuro. A maioria das pessoas não vão cometer atos violentos contra a gente. Se ensinamos o pequeno a desconfiar de todos, ele cresce acreditando que as pessoas não são confiáveis de uma forma geral. O medo excessivo dos outros pode ser tão problemático quanto a falta completa de medo. É importante lembrar que uma situação de violência como essa é uma exceção. Não é a regra”, comenta o psiquiatra Amaury Cantilino, doutor em neuropsiquiatria e ciências do comportamento.

Por isso, ter em mente que precisamos racionalizar as situações é a forma mais eficiente para bloquear a preocupação excessiva com os filhos. “Esses fatos atípicos podem gerar um sentimento de hipersensibilidade. A ansiedade surge e imaginamos que algo ruim também pode acontecer com alguém próximo e arrumamos artifícios para evitar a situação. Mas gastar energia com problemas que não têm chances grandes de acontecer é gastar energia sem necessidade. Racionalizar o medo, sem superestimar os riscos, é o primeiro passo”, alerta Cantilino.

O segundo passo é se fazer presente no convívio do pequeno para tentar, ao menos, ter a noção exata de quem são as pessoas que convivem e possam vir a fazer parte do cotidiano da criança. “Conhecer e ter a curiosidade de saber quem são as pessoas com as quais a criança se relaciona na comunidade é muito importante, porque os pequenos têm uma capacidade pequena de identificar quem são elas na essência. A melhor forma de proteção em relação às pessoas é ter informação sobre elas. Uma vez convivendo com aqueles que estão no entorno do seu filho, é possível identificar as companhias não recomendáveis para a criança. O grande cuidado é, no entanto, não generalizar e sempre ter o cuidado de orientar o pequeno”, explica o psiquiatra.

O receio, o medo e a preocupação com os filhos após uma situação catastrófica envolvendo crianças demora a passar. Mas passa e deixa um aprendizado. “Quanto mais catastrófica a situação, mais tempo demora para que as pessoas voltem ao seu estado corriqueiro. É natural que a comunidade tenha uma reação ansiosa, porque uma situação dessas se aproximou da população em geral. Mas o medo tende a ir se dissipando com o passar dos dias. Agora fica uma cicatriz que vai existir na história da comunidade, como uma lembrança desagradável do passado. Mas toda situação adversa traz algum tipo de aprendizado”, pontua Cantilino.

ENTENDA O CASO:

Beatriz foi assassinada durante uma solenidade de formatura no Colégio Maria Auxiliadora, uma das instituições de ensino mais antigas e tradicionais de Petrolina, na noite do dia 10 de dezembro. Segundo relatos de testemunhas, a criança foi encontrada em um antigo depósito de material esportivo da escola. Ela estava com várias perfurações e uma faca do tipo peixeira cravada na clavícula. De acordo com a polícia, os pais da menina perceberam que Beatriz havia se afastado e pediram ajuda aos convidados para encontrá-la. As pessoas se dividiram em duplas e acabaram encontrando o corpo.

Segundo a delegada que até então estava à frente das investigações, Sara Machado, o Instituto de Criminalística (IC) fez um levantamento e já se sabe que a garota foi morta no mesmo local em que foi encontrada. A polícia também confirmou que Beatriz não foi vítima de abuso sexual. Imagens de câmeras de segurança do colégio e de estabelecimentos na vizinhança estão sendo analisadas. O caso segue em investigação.

Escrito por Tadeu Sá.

Esta é a situação que ficou Belém por ocasião do vendaval.

Esta é a situação que ficou Belém por ocasião do vendaval.

No final da tarde de quinta-feira, 24, quando as pessoas se preparavam para a noite de natal, uma forte rajada de vento sacudiu Belém São Francisco, no que veio acompanhado por uma densa nuvem de poeira. No lago de Itaparica enormes maretas, sendo que o mesmo formou-se no nascente, numa largura impressionante que ia desde a Bahia ao estado de Pernambuco e dirigia-se violentamente rumo ao poente, inclusive passando por Belém. Se tem notícia do mesmo passando no trevo do Ibó. A ventania embora fosse diminuindo aos poucos durou cerca 40 minutos.

Em Belém do São Francisco, o fenômeno causou diversos prejuízos, derrubando diversas algarobas, destruiu telhados, vidraças de várias casas foram quebradas e a boneca gigante, Vitalina, que encontra-se na entrada da cidade tombou, mais o prejuízo maior ficou por conta de uma árvore que caiu sobre o carro pertencente ao casal Romildo e Tamires, que ficou bastante danificado. (Foto Daniel Lima).

Ao contrário de Zé Pereira, a Vitalina não suportou a força do vento e desabou

Ao contrário de Zé Pereira, a Vitalina não suportou a força do vento e desabou

Algaroba desaba e caiu sobre carro na cidade.

Algaroba desaba e caiu sobre carro na cidade.

 

Sem título

Em Gravatá, Socorro Batista recebe certificado de melhor gestão do sertão e quarta melhor de Pernambuco.

Uma boa notícia, a professora Socorro Batista Duarte, gestora da Escola Dr. Alípio Lustosa, acabou de receber, na semana passada o prêmio de melhor Gestão Escolar da Região e quarta melhor do Estado de Pernambuco. A entrega aconteceu na cidade de Gravatá – PE.

Na oportunidade da premiação, a professora Socorro apresentou o trabalho desenvolvido pelo educandário que concerne a implantação de uma gestão eficiente, transparente e participativa, o que chamou atenção de todos que se faziam presentes no momento da entrega. O prêmio consiste num certificado, mas que para Socorro o que mais importante é o reconhecimento da sua gestão por todo Estado de Pernambuco. A entrega foi feita pelo Secretário de Educação do Estado de Pernambuco, Frederico da Costa Amâncio.

Agora, passados o reconhecimento e a entrega, recebeu Socorro por parte do estado a incumbência de apresentar a experiência exitosa junto as demais escolas, tanto que ontem, dia ontem m 22, proferiu palestras para os gestores das escolas de Floresta, Petrolândia, Jatobá, Itacuruba, Tacaratú, Carnaubeira da Penha e Belém do São Francisco, todas pertencentes a GRE – Floresta, local do encontro.

Socorro e a Diretora do GRE, Dilma Marques, durante Palestra em Floresta.

Socorro e a Diretora do GRE, Dilma Marques, durante Palestra em Floresta.

HISTÓRIA:

Socorro Batista, iniciou na escola Edal como professora, foi posteriormente alçada à condição de vice-diretora, uma indicação política da ex-vice prefeita Denize Alencar, por ocasião da gestão do governador Miguel Arraes, sendo que posteriormente prestou concurso e candidatou-se ao cargo de Diretora, quando por unanimidade foi eleita. De volta a reeleição, foi mais uma vez escolhida por unanimidade dos votos válidos, estando pois desta forma a frente da escola há 15 anos.

Para Socorro, a entrega do prêmio representa muito para o educandário e para Belém do São Francisco, pois ensina Pernambuco a gerir com mais responsabilidade o que é público, de forma ela que agradece a todos que contribuíram para a conquista, especialmente a comunidade do bairro Belo Horizonte, os alunos, os pais dos alunos e ao corpo docente da escola, desde o mais humilde ao mais graduado.

Escrito por Tadeu Sá.

Sem título

Preocupado com o período de seca que vimemos, que a cada dia se agrava mais ainda, levou o prefeito Gustavo Caribé, a promover uma reunião com os pipeiros e IPA de Belém do São Francisco.

A reunião aconteceu no último sábado (19), e no final o prefeito decidiu adiantar algumas medidas que irá tomar com o fim de manter o fornecimento d’agua aos moradores da zona rural, que no município é realizado por pipas contratos pelo Governo de Pernambuco.

A medida mais importante, tanto para os moradores das área de sequeiro, como para os pipeiros será o fornecimento por parte da prefeitura do combustível necessário ao o abastecimento dos pipas até quando os pagamentos atrasados forem regularizados pelo Estado de Pernambuco. Ainda na ocasião ficou decidido que a prefeitura irá recuperar a estrada que dá acesso a Riacho Pequeno, estrada que dela deriva inúmeros outros acessos as fazendas atingidas pela seca.

Segundo o IPA, atualmente, 15 carros-pipas do Estado são responsáveis para suprir as necessidades de 348 famílias.

Prefeito Laerte Freire, Diretor de Recursos Humanos, Gustavo Vasconcelos e Gerente do Banco do Brasil de Terra Nova, Ricardo Cavalcanti.

Prefeito Laerte Freire, Diretor de Recursos Humanos, Gustavo Vasconcelos e
Gerente do Banco do Brasil de Terra Nova, Ricardo Cavalcanti.

A palavra que mais se ouve da boca de alguns prefeitos é, crise, crise e crise. No caso de Belém ante as dificuldades que o município enfrenta, que para alguns tem como culpa não os erros do início do governo, mas a crise que é atual e com isso muitas queixas de salários atrasados, especialmente dos contratados, comissionados e fornecedores são constantes. Um exemplo bem característico do que acontece, é uma senhora de quase setenta ano que presta serviço a prefeitura, mas que se encontra a dez meses sem receber um centavo. Para preservá-la preferimos não revelar seu nome.

Pois bem, enquanto isto acontece em Belém e outros municípios, a história em Terra Nova é diferente. O município que possui pouco mais de 12 mil habitantes não se ver tanto clamor, embora a principal atividade econômica seja o cultivo de cebolas, mas que por conta da prolongada estiagem estão a cinco anos sem produzir o produto. Terra Nova se encontra distante do rio São Francisco por cerca de 36 quilômetros.

Pois bem, a Prefeitura de Terra Nova pagou na quarta-feira, dia 23, os salários de dezembro dos funcionários efetivos, comissionados e contratados que em muitas outras prefeituras entrará mês de janeiro a dentro. Igualmente foi pago o restante do 13º salários e na próxima segunda feira o prefeito anuncia que pagará o restante dos fornecedores, supermercados, farmácias, postos de combustíveis, prestadores de serviços, enfim, quem for fornecedor da prefeitura e que ainda não recebeu seus haveres deve procurar a prefeitura na próxima segunda feita. Laerte avisa mais uma vez que não quer virar o ano devendo.

Com a antecipação dos salários, quem fica satisfeito é um comércio local pois mais de meio milhão de reais foram injetados na economia municipal. Para o prefeito, Laerte Freire (PR), a valorização dos servidores é algo primordial na sua gestão e o pagamento em dia dos vencimentos é essencial para a boa produção dos funcionários. (Fonte e foto: Blog Terra Nova Online).

Escrito por Tadeu Sá.

Sem título

Mais uma vez agricultores e moradores dos reassentamentos da Chesf, nos municípios de Santa Maria da Boa Vista, Orocó, Belém do São Francisco, Floresta, Petrolândia, Rodelas, Abaré e Curaçá, protestaram contra o corte da energia elétrica que serve os perímetros irrigados onde vivem, inclusive o PI Manga de Baixo.

Revoltados com a situação que vivem, os reassentados mais uma vez bloquearam estradas da região com o objetivo forçar o governo federal a resolver a questão que vem se repetindo a meses. A Chesf não paga a fatura de energia elétrica a fornecedora, que diante do fato procede com o corte, o que sempre redunda em significativos prejuízos para as plantações e consequentemente para os agricultores em vista das bombas de irrigação que não funcionarem, bem como para as pessoas que sempre são prejudicadas com os bloqueios. Após o protesto a situação foi temporariamente resolvido, religaram a luz, mas não resolveram o problema.

Esta situação tem que ser definitivamente solucionada pois mesmo religando sempre fica a incerteza quanto ao futuro, ou seja, a possibilidade de novos cortes e nada é resolvido. Se a Chesf quer se livrar da questão, que chame os reassentados e com eles dialoguem sobre o problema, pois só conversa mole de político e promessas não resolve nada.

Escrito por Tadeu Sá.

Sem título

Sem título

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), que como os filhos sempre são votados no município, também vem sendo alvo da Operação Catilinárias, da Polícia Federal. Em conjunto com o Ministério Público Federal, a PF deflagrou na semana passada a operação, que teve como objetivo o cumprimento de 53 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, todos referentes a sete processos instaurados a partir de provas obtidas na Operação Lava Jato.

Em Pernambuco inicialmente foram cumpridos quatro mandados, porém um deles foi suspenso e apenas três foram executados. Um deles no escritório de Fernando Bezerra Coelho, em Petrolina.

Outro político pernambucano que também vem sendo alvo de investigação é o médico Mozart Sales, criador do programa nacional Mais Médicos. Mozart é suplente de deputado federal, já foi vereador do Recife pelo PT e foi votado no último pleito em Belém. Derrotado assumiu a diretoria da Hemobrás e ficou responsável pelas atividades de pesquisa, produção e gestão do plasma. Mozart foi escolhido para o cargo pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro.

A operação tem como objetivo reprimir a atuação de uma organização criminosa especializada em direcionar licitações e desviar recursos públicos da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia – Hemobrás.

Durante a operação, percebeu-se que inúmeras amostras de sangue coletado que deveria ser transformado em medicamentos contra a hemofilia e outras doenças deixaram de ser fabricados em virtude de ter sido armazenado de forma inadequada tornando-se inapropriado para a produção dos medicamentos.

DINHEIRO CAI DO CÉU

O que mais chamou atenção na operação foi quando da chegada dos agentes da PF a um dos endereços investigados, os prédios conhecidos como “Torres Gêmeas, no Cais de Santa Rita, no Centro do Recife, maços de dinheiro foram arremessados pelas janelas. A PF ainda não confirmou se o dinheiro tem relação com a operação. Vale ressaltar que o presidente da Hemobras, Rômulo Maciel Filho mora no local

VOTADO EM BELÉM

O então candidato Mozart Sales é daqueles que de repente apareceu no município como um dos postulantes ao cargo de deputado federal, fato que chamou atenção já que o político não possuía qualquer vínculo com a terra, nem com seu povo, mas mesmo assim obteve quase mil votos, mais até do que aqueles que são bastantes conhecidos, como Gonzaga Patriota, que obteve pouco mais de 800 e dona Creuza, ex-prefeita de Salgueiro, cidade vizinha, mas que obteve pouco mais de trezentos.

Desenvolvido por