Dentre tantos deputados federais votados em Belém do São Francisco e região, um dos poucos, ou talvez o único que subiu a tribuna da câmara e discursou falando sobre a greve dos caminhoneiros  foi o deputado federal Gonzaga Patriota.

No discurso, Gonzaga diz que enquanto a inflação de um ano segundo o governo foi de 3%, nós tivemos um aumento 52% na gasolina, de 58% no óleo diesel e de 68% no preço do botijão de gás. E indaga: “Como é que a dona de casa que mora lá na periferia, que teve um aumento de 3% ou 4% no salário, vai ter um aumento de 68% no botijão de gás. Onde estar este governo que não ver isto?”.

No final do discurso Gonzaga presta solidariedade ao grevistas e diz que viu o respeito deles com os carros pequenos, que deixavam os carros pequenos passarem, pois se quisessem paravam era tudo e pede que deem uma parada, pois já mostraram ao governo, se é que podemos chamar de governo, que vocês podem parar o Brasil.

Clique na seta abaixo e assista o discurso na íntegra.

No final da tarde de ontem, o pacífico cidadão belemita, acostumado com tantas dificuldades sem reclamar, assistiu um momento raro na história da cidade, um protesto político que tinha como finalidade não atitudes contra os políticos do município, mas para protestar contra o governo do presidente Temer.

Os manifestantes concentraram-se na entrada da cidade, e de lá seguiram a pé, de motos e carros pela avenida Manoel Araújo de Carvalho Caribé até o centro da cidade aos gritos de “Fora Temer” e por onde passavam chamava a atenção dos curiosos desacostumados.

A manifestação mesmo com os postos sem combustíveis, contou com muitos carros e motos, mas os que estavam a pé eram poucos e no meio deles alguns políticos, destes que não sabe onde fica, que apoia quem era ministro de Temer até trinta dias atrás, de quem é líder do governo no senado, e contribuem enormemente para o que acontece, mas que são os apoiados por estes políticos.

Seja como for, a intenção dos organizadores valeu, e que de agora em diante sirva de exemplo para a própria comunidade que deve acordar da letargia política que vive, começando pelos inúmeros problemas que Belém enfrenta à décadas.

 

A Facesf – Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco, de nossa cidade, acaba de anunciar a realização de avaliação para autorização do funcionamento dos cursos. A Facesf recebeu na última terça-feira, dia 22, sua primeira visita por parte do Ministério da Educação.

A proposta é para que sejam oferecidos os cursos de Fisioterapia, Enfermagem, Nutrição e Biomedicina. Nessa primeira etapa foi vistoriada a estrutura e organização para o funcionamento do curso de Fisioterapia, aprovada com nota 4. Mais três visitas deverão averiguar as condições para a abertura dos demais cursos que vão formar o Centro Integrado de Saúde da instituição.

Para atender as exigências do MEC, a Facesf fez largo investimento na implantação de laboratórios. No total serão cinco em funcionamento, onde serão transmitidos conhecimentos em anatomofisiologia, habilidades em saúde, multidisciplinar para movimento, tecnologia em saúde, práticas dietéticas e de ciências biológicas.

O Centro Integrado de Saúde da Facesf contará com uma estrutura de última geração, moderna, com ambientes integrados. Para garantir a alta qualidade do ensino oferecido, a Faculdade está sendo criteriosa na seleção do corpo docente, assim como tem feito nos cursos de Psicologia e Direito, que também alcançou nota 4 na avaliação de qualidade realizada pelo MEC, sendo a nota máxima 5. (Com informações da Facesf).

A notícia é bem-vinda, já que fortalece a instituição, pois além da implantação de novos cursos, oportuniza um leque maior de opções para quem quer estudar, atraindo assim mais estudantes para Belém. Este anúncio, com uma cobrança firme junto ao governo Estadual para a implantação de cursos mais atrativos para a Escola Tecnica Estadual de Belém do São Francisco, de vez sedimentará Belém como um grande polo de educação do interior do nordeste e com ele perspectiva futura de fortalecimento da cidade.

Levantamento realizado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco no último quadrimestre de 2017, constatou que 141 das 184 prefeituras pernambucanas, ou seja, 76% excederam o limite de 54% da receita corrente líquida com despesas de pessoal, contrariando assim a Lei de Responsabilidade Fiscal.

De acordo com o estudo, em 29 municípios, ou seja, apenas em 15%, esse tipo de despesa esteve entre o limite alerta e o limite prudencial (faixa entre 48,60% e 54% da receita). Em outros 12, 6% dos pesquisados, o percentual de despesas com pessoal se manteve abaixo do índice permitido. Duas cidades não publicaram o seu Relatório de Gestão Fiscal.

Com relação ao município de Belém do São Francisco, o levantamento reconheceu como muito alto o comprometimento com a folha de pessoal. Na ocasião do levantamento, constatou-se que o município alcançou 69,48%. Em outras cidades da região, como Cabrobó por exemplo, o índice foi semelhante a Belém e alcançou 69%. Já Salgueiro e Floresta, situaram-se respectivamente com 58,41% e 57,75 %.

Com base nesses resultados, o Tribunal de Contas encaminhou ofícios alertando as prefeituras cujas despesas totais com a folha de pagamento de pessoal comprometeram seu limite. Os alertas são enviados a cada quadrimestre, notificando o prefeito quando o percentual da despesa total com pessoal estiver entre 48,6% e 51,3% (limite alerta); entre 51,3% e 54% (limite prudencial) ou exceder o limite de 54%.

Para os casos em que a despesa total com pessoal extrapolar o percentual de 54% do previsto na LRF, como é o caso de Belém, as vedações vão desde a aplicação de penalidades ao gestor, até a proibição de celebrar convênios com os governos estadual e federal.

A situação destas prefeituras preocupa muito, principalmente Belém do São Francisco, pois trata-se de um município completamente falido, como vem afirmando o próprio prefeito em suas entrevistas, o que demonstra que o continuísmo das gestões anteriores continua com um empreguismo desenfreado e que certamente é uma das causas que vem trazendo severos prejuízos a população, com menos recursos para áreas importantes como a saúde, educação, limpeza pública e outros.

A prefeitura municipal de Belém do São Francisco, através da secretaria de infra-estrutura,  deu início a poda das plantas maiores dos canteiros centrais e laterais das ruas e avenidas e restauração de parte do calçamento.

Segundo a prefeitura, nesta fase serão recuperados mais de 300 metros quadrados de calçamentos entre as ruas Agamenon Magalhães, Coronel Pedro da Luz e Coronel Trapiá, além da Avenida Coronel Caribé, o que demonstra a situação de precariedade que o calçamento se encontrava. Muitos destes buracos vem de administrações passadas.

Para se ter uma ideia do tamanho do trabalho, a área a ser restaurada corresponde a uma rua com seis metros de largura por cinquenta de extensão. Muitos destes buracos também têm como culpado a Compesa, que por conta da tubulação velha que possui seus canos estouram constantemente e eles saem como um Peba cavando em tudo quanto é lugar, deixando para traz enormes crateras.

Revoltados, é assim como estão se sentido os cidadãos que residem no distrito de Riacho Pequeno, município de Belém do São Francisco. Alguns queixosos vão mais longe ainda e dizem, que mesmo Riacho tendo mais de 100 anos, o local ainda é um lugar abandonado.

A revolta, segundo as denúncias, se dá por conta do longo período que passam sem água nas torneiras, falam em até 15 dias, o que vem trazendo grandes transtornos aos moradores, principalmente as crianças e jovens que estudam nas duas escolas e na creche ali existentes. Segundo uma moradora, após quinze dias sem água, na quarta-feira dia 24, apenas um pouquinho chegou às torneiras.

Outra moradora disse que quando indagam aos responsáveis sobre a constante falta d’água, estes não dizem nada, de modo que para ela o que acontece é uma vergonha e enorme crueldade com a população riachense.

A mesma cidadã fez questão dizer ainda que “falta gestão competente em todos os setores do lugar, que o distrito não tem representantes, nem vereadores, que encontra-se abandonado mesmo”, e conclui dizendo nas redes sociais “Falei com um vereador que nem resposta deu”.

Esta mesma jovem, aproveitando a crise gerada pela greve dos caminhoneiros que vem deixando diversos postos do país sem combustíveis, disse ainda: “Não é falta de de combustível não, é falta de compromisso, é falta de vergonha, é falta de consciência, é falta de humanidade e assim vai. Vem políticos pedir votos, nós temos muito a dizer”.

O empresário Gilmar Freire, acompanhados dos vereadores Aída Nogueira e Vandinho Marcula, bem como o ex-vereador Cícero Batista, estiveram recentemente reunidos na capital pernambucana com o pré-candidato a deputado federal Fernando Monteiro. O encontro aconteceu no dia 21 de maio e na oportunidade os políticos apresentaram diversas reivindicações.

Além da visita, os políticos participaram de diversos encontros, um deles aconteceu com o diretor executivo da Compesa, ocasião em que foi tratado a questão da interligação do novo sistema de abastecimento d’água da cidade. Na mesma ocasião, também foi abordado questões referentes a adutora do Distrito do Riacho Pequeno.

Segundo o empresário Gilmar Freire, o resultado da reunião foi muito proveitoso, pois saíram do encontro com a informação de que no dia 15 de junho vindouro acontecerá a licitação que visa o início dos trabalhos de interligação do sistema, o que facilitará a vida do belemita que sofre muito com a falta constante do líquido.

Além destas questões, outras demandas foram apresentadas ao pré-candidato, como a retomada das obras do Programa Minha Casa Minha Vida 2, na Vila da Chesf, perfuração de poços artesianos, pagamento aos pipeiros e horas maquinas para construção de barragens.

CORREÇÃO:

Em reportagem anterior, o Blog do Tadeu Sá, noticiou que durante a passagem do candidato a deputado federal Fernando Monteiro pelo município, que aconteceu no dia 29 de abril, nenhum dos vereadores que estiveram com ele no primeiro encontro na residencia do empresário Gilmar Freire se fizeram presentes nesta nova visita. A informação teve como base o fato do pré-candidato ter postado nas redes sociais uma foto que nela não aparece qualquer dos vereadores.

Diante do ocorrido, fomos procurados por algumas lideranças políticas que gentilmente solicitaram que a notícia fosse retificada, e por dever de consciência, assim procedemos, salientando que o candidato naquela ocasião almoçou num dos restaurantes do pátio da feira com os vereadores Vandinho Marcula, Aída Nogueira, Antonio de Eurípedes e Vavá do Bode, ou seja, apenas o o presidente do legislativo, Joase Campos, não esteve presente neste último encontro.

Quarta-feira dia 24, o deputado majoritário em Belém do São Francisco, Rodrigo Novaes, juntamente com o secretário municipal de agricultura, Laércio Dunes, estiveram com o secretário estadual de agricultura, Wellington Batista, com quem discutiram ações que visam o fortalecimento da agricultura sertaneja.

Na oportunidade Novaes cobrou do secretário a estruturação da agricultura irrigada, dizendo ser esta a saída para o semiárido. O deputado lembrou que há muito lugares, a exemplo de Belém do São Francisco, que tem água, terra boa e gente trabalhadora, mas infelizmente estes locais não conta com uma estrutura que faça produzir com mais eficiência e em maior escala.

No encontro o secretário de Estado ouviu atentamente o deputado, e recebeu das mãos do secretário Laércio Dunes, um projeto que visa produzir de mudas diversas para os agricultores do município.

Na semana passada foi fartamente comentado que funcionários da prefeitura do município não estão conseguindo contrair junto as instituições financeiras os chamados empréstimos consignados.

Segundo as informações, os funcionários chegam ao banco com a papelada pronta e após esperar horas e horas na fila, são informados pelo atendente da impossibilidade de realizarem o empréstimo. Segundo eles, o banco informa que os empréstimos só voltarão a ser concedidos quando a situação for regularizada.

FALTA TRANSPARÊNCIA:

A denúncia no entanto não explicita se o que acontece é por falta do cumprimento de algumas exigências burocráticas entre a prefeitura e os bancos, ou se a prefeitura se encontra inadimplente por conta de não repassar para os valores que são descontados nos salários dos servidores.

Uma fonte que prefere não se identificar, informou ao Blog do Tadeu Sá, que o banco alega que o impasse acontece ante o fato da prefeitura não repassar a instituição os descontos que são efetuados nos contracheques dos servidores, ao contrário disto, a prefeitura culpa o banco, dizendo que o impasse que há é em razão dos salários dos funcionários do mês de dezembro de 2016 que ainda foi quitado. O Blog do Tadeu Sá entrou em contado com a prefeitura, mas como sempre esbarramos no empurra empurra e por isso não conseguimos colher a versão que ela poderia oferecer.

Seja como for, isto não pode acontecer, no mínimo tem que haver muita transparência, com informações honestas e precisas e não este joguete que prejudica muito quem necessita destes empréstimos para cumprir suas obrigações. Uma servidora por exemplo, informou que necessita contrair um empréstimo de R$ 5 mil para concluir a construção da sua casa e finalmente sair do aluguel, mas não consegue e com isso desnecessariamente continua pagando uma locação que é cara para ela, além de impedir que ela possa colocar uma economia na sua vida com o fim do aluguel.

O mais grave ainda é que esta situação descamba até para ameças, com servidores colocando a culpa num e noutro, o que pode levar, se cumprida, a violência estrema. O Ministério Público já foi informado sobre a questão.

No duelo entre os vereadores Joase Campos e Valdir Moreno, o segundo encontra-se em vantagem para ser eleito presidente do legislativo municipal, mas em eleição de Câmara tudo pode acontecer.

Na câmara de Belém do São Francisco, em especial no entorno dos vereadores e funcionários só se fala sobre a futura eleição que em breve vai definir o destino da mesa diretora da casa para o biênio 2019\2020.

Para o embate duas chapas foram lançadas, sendo uma encabeçada pelo vereador Valdir Moreno para Presidente, ao passo que a outra, do lado da situação, é encabeçada pelo vereador Joase Campos. Pelo visto, Joase gostou do cargo e por isso busca a reeleição, já que é o presidente atual.

No caso de Valdir Moreno, fazem parte da sua chapa os vereadores Acácio Eufrásio, Quincas Valdivino e Dorgival Júlio. Já a chapa de Joase é formada pelos vereadores Aurora Guedes, Vandinho Marcula e Aída Nogueira.

Para a eleição o vereador Valdir Moreno parte com grandes possibilidades de se eleger presidente, sendo que seu nome foi lançado para a disputa pelo colega de bancada Vavá do Bode, de modo que improcede as informações de que Vavá estaria insatisfeito com a candidatura de Valdir pois teria sido excluído da chapa e que iria romper, ou seja, Vavá estar sim, apoiando declaradamente Valdir Moreno, até porque o que mais interessa a ele é vingar-se da traição que Joase fez a ele na eleição passada.

Afora os quatros vereadores da chapa e Vavá do Bode, Valdir ainda conta com o voto do vereador Joselito Nogueira, totalizando com isso os seis votos necessários para lhes garantir a vitória. A Chapa de Joase conta com os votos dos quatro da chapa, mais Antônio de Eurípedes, de forma que somente chegará a cinco votos.

TRAIÇÃO:

Há comentários porém de que um dos vereadores da chapa de Valdir ainda pode mudar de lado, tudo fica a depender do arrumado, na base do quem der mais. Se esse vereador mudar ganha Joase, se permanecer na chapa e votar com ela ganha Valdir Moreno. Este é o chamado processo de compra e venda de votos de vereador e isto foi já foi objeto recente de denuncia feita pelo suplente de vereador Rogério Carlos, assunto que foi repercutido neste Blog na data de ­­­­­­­­­­­­04 de maio do corrente ano.

Desenvolvido por