Na sexta feira passada, dia 11, o presidente do PMDB de Belém do São Francisco, advogado Tadeu Sá, foi entrevistado pelo radialista Izaurino Brasil, comandante do programa Jornal da 104, Canabrava FM, oportunidade em que respondeu várias indagações sobre questionamentos diversos. A entrevista repercutiu bastante e quando da fala do advogado sucessivos e-mail chegavam à redação da emissora. Nas ruas foi o que mais se comentou

Os assuntos tratados foram o PMDB municipal e seu futuro político, as dificuldades que a prefeitura enfrenta, a conjuntura politica local e os culpados, a questão da educação, da saúde, escolas municipais em estado precário, obras inacabadas, a inércia da oposição, políticos inelegíveis e sobre a população belemita que de todos os vinte e nove municípios da região do submédio São Francisco, no trecho compreendido entre PetrolinaPetrolândia e JuazeiroPaulo Afonso, foi um dos dois únicos que segundo o IBGE teve sua população diminuída. No caso, Belém apenas conseguiu ganhar de Macururé.

Durante a entrevista o advogado também falou sobre outros temas e disse que as dificuldades de Belém são tantas que uma semana seria pouco para enumerar os problemas que a população injustamente enfrenta.

Como forma de correção, quanto ao débito do munícipio, que segundo projeções, levando em consideração o ano de 2010, cujo débito era de R$. 11.602,811,43, mas que 2011 passou para R$ 14.504,656,93, hoje calcula-se que o débito do município deva beirar a cifra de milionária de 40 milhões de reais, o que faz com que cada belemita, inclusive as crianças que nascem a cada dia tragam consigo, nas suas costas, um débito de R$ 200,00 (duzentos reais) e não (duzentos mil reais) como desapercebidamente foi dito.

No mais, Tadeu Sá ratifica e reafirma o que disse e afirmou que em breve, através de um jornal escrito, estará fazendo novas comparações e outras revelações bombásticas, pois certamente serão estes os temas que seu partido vai debater no meio da rua, junto com o quando das eleições que se aproxima. “O povo precisa saber o que acontece em Belém”, diz Tadeu Sá sem titubear.

Rua do Edal.

Mesmo pagando uma taxa de energia considerada das mais caras que se tem notícia, a população belemita enfrenta em determinadas partes da cidade uma verdadeira escuridão que sem dúvida põe medo às pessoas que moram ou que passam pelos locais. Um destes trata-se da rua da própria escola Edal, que a noite recebe mais de 200 alunos, mas eis que na rua de acesso a esta, apenas um bico de luz encontra-se aceso, os demais estão apagados, e com a isso os jovens estudantes enfrentam uma escuridão terrível. O pior é que o problema acontece a mais de um mês, mas ninguém aponta uma solução.

Por conta disso o Blog do Tadeu Sá procurou o escritório local da Celpe que informou que não sabe definir a quem pertence à responsabilidade, pois mesmo tendo o município recebido todo passível da Celpe, com a entrega da rede pública de energia para a prefeitura, ainda há algumas pendências que dizem respeito à Celpe.

Diante do fato a situação preocupa os responsáveis pela escola, sendo que dias atrás, quando do encontro de bandas marcial, a preocupação foi maior ainda, pois havia muitos alunos de fora e a direção teve que redobrar os cuidados.

ACADEMIA DA CIDADE

Outro local que também se encontra completamente escuro é a Academia das Cidades que fica no Bairro Belo Horizonte. De todas as lâmpadas e refletores instalados no local, apenas um poste possui luz, os demais estão completamente apagados e com isso a escuridão também toma conta, mas mesmo assim, com sacrifício incomum, os jovens tentam jogar futebol de quadra, sendo que muitas vezes não acertam a bola. Pior para os goleiros que terminam tomando verdadeiros frangos.

Diante do acontece, a academia que poderia ser um ponto de encontro da sociedade belemita, já que é muito bonita e localiza-se no ponto muito aprazível, fica completamente deserta. Afora os jogadores, duas jovens se encontravam nas redondezas e apenas um corredor solidário estava por lá. As casas estavam completamente fechadas, sem ninguém nas calçadas.

Vale frisar que tudo isto acontecia por volta das sete horas da noite do sábado, dia 12, ou seja, mesmo sendo véspera de domingo ninguém ousa sentar nas calçadas. A escuridão é de fazer qualquer um tremer, e o mais impressionante é que tudo acontece justamente defronte à residência do ex-prefeito, Manoel Caribé, pai do atual prefeito.

Escrito por Tadeu Sá.

Antiga “fãs lanchonete” fecha porta. É sinal de forte crise que a muito assola o município.

Tornou-se comum em Belém assistirmos passivamente o fechamento de várias empresas comerciais, delas inclusive com muitos anos de funcionamento, o que redunda em mais desemprego e enfraquecimento do comércio local.

Tudo se iniciou com o fechamento de um do mais importante comércio de móveis e eletrodomésticos de Belém do São Francisco, pois após suceder à antiga Casa Aliança e Tradição – Móveis e Eletrodomésticos, a Electra fechou suas portas e com isso o tradicional ponto comercial encontra-se desativado. A loja Aliança se instalou na cidade nos anos 70 e empregava cerca de 15 pessoas.

Quem também fechou suas portas foi a Churrascaria Belém, e com isso outro ponto importante de comércio da Avenida Cel. Caribé, o primeiro do lado esquerdo da entrada da cidade encontra-se fechado e novamente mais desemprego. Outro que também modificou sua forma de atendimento foi Hotel Brisa, que deixou de ser hotel para funcionar apenas com locação dos seus apartamentos. Como o Brisa e a Churrascaria Belém, inúmeros outras estabelecimentos comerciais de menor porte encerraram suas atividades.

Afora estes, mais recentemente quem fechou suas portas foi uma das mais antigas lanchonetes em funcionamento na cidade, a “Fãs Lanchonete”, que foi fundada a mais de cinquenta anos, empreendimento implantado pelo saudoso comerciante, Antônio Pires Rodrigues, popularmente conhecido por Antônio de Florismundo. A Fãs Lanchonete embora simples, era ponto de encontro das pessoas que para lá se dirigiam com o fim de beber uma cerveja bem gelada, além de discutir política, agricultura e outros assuntos do nosso cotidiano.

A causa do fechamento, segundo comentou-se, foi um pequeno reajuste no aluguel do prédio, que mesmo sendo de pouco valor, impossibilitou a manutenção do estabelecimento por parte do seu administrador, senhor Marcos, mais conhecido como “Debrus”. Debrus preferiu mudar seu ramo de atividade.

Estes fatos infelizmente são motivados pela longa e penosa crise econômica que Belém vem enfrentando nos últimos anos, o que se acentuou mais ainda em vista da crise que assola o país, o que demonstra claramente a recessão que vivemos, que como dito implica em mais desemprego e acentuado declínio do nosso comércio.

Escrito por Tadeu Sá.

Osvaldo Coelho entrega para Tadeu Sá cópia do projeto que visa asfaltar ilhas e estrada da Agrodan.

Preocupado com a situação de Belém, especialmente quanto à estagnação da nossa agricultura e pecuária, e após se encontrar como ex-governador Jarbas Vasconcelos, que lhes falou sobre um projeto de autoria do ex-deputado Osvaldo Coelho para as ilhas e fazendas ribeirinhas localizadas entre Belém e distrito do Ibó, levou o presidente do PMDB do município, advogado Tadeu Sá, a procurar o ex-deputado para tratar do assunto.

O advogado entrou em contado com a assessoria do deputado e no mesmo dia foi recebido pelo político petrolinensse, que mesmo estando com 82 anos, mostrou-se bastante firme e lúcido e após uma boa conversa entregou ao advogado uma cópia do projeto que se implantado fortalecerá significativamente a agricultura e a pecuária local, que para Osvaldo, conhecido como o “trator do sertão”, seria a redenção definitiva do nosso município, pois trata-se da construção de estradas asfaltadas para a Ilha Grande, Ilha da Várzea e estrada que liga Belém, pela margem do rio, ao distrito do Ibó.

Na ocasião o ex-deputado se disse feliz com nossa iniciativa, pois como afirmou, “trata-se da salvação de Belém do São Francisco, mas que infelizmente o povo não sabe escolher seus deputados, alguns deles foram escolhidos para serem votados por conta de dinheiro e que por isso um projeto desta natureza, com tudo pronto, inclusive com licença ambiental é esquecido por todos. Nenhum deputado votado ultimamente em Belém teve a coragem de apresentar emendas no orçamento com a finalidade de iniciar a implantação do projeto”, disse o deputado.

Na ocasião o advogado disse ao ex-deputado que pretendia conclamar a população no sentido de buscar resgatar o projeto, e quando indagado a Osvaldo se poderia contar com ele no sentido de participar de uma palestra com o povo interessado, mesmo com idade avançada, Osvaldo disse que estaria pronto para a luta e que se convidado viria a Belém para discutir o assunto.

Gustavo Caribé tenta processar Raimundo Souza mais uma vez, mas justiça nega sua pretensão.

Nem bem decorreram dois meses da conclusão do processo anterior, o prefeito Gustavo Caribé tentou mover nova ação penal contra o instrutor de academia, Raimundo Souza, mas o juiz negou prosseguimento à ação. Entende Gustavo que Raimundo postou comentários nas redes sociais ofendendo a sua reputação, já que fora chamado pelo querelado de “vagabundo e moleque“.

Ao analisar a propositura do prefeito, ponderou o Magistrado, Fernando Arias “que as alegações de Gustavo deveriam ser rejeitadas por falta dos pressupostos processuais necessários para o desenvolvimento da ação penal. Primeiramente, quanto aos fatos atribuídos ao querelado Raimundo Souza, de ter ele chamado o querelante Gustavo Caribé, de “vagabundo e moleque”, pois se vislumbra das fls. 56 que tal comentário foi feito por um terceiro, ou seja, tal afirmação não é de autoria do querelado Raimundo, restando evidente a ilegitimidade passiva” e com isso resolveu o juiz por rejeitar a queixa-crime então ofertada.

A querela entre Gustavo e Raimundo Souza não é de hoje, inclusive se esperava que com o processo anterior tudo tivesse fim. No processo anterior Raimundo declarou que não reconhecia como verdadeiras as frases a si atribuídas e que estas teriam partido de pessoas que hackearam seu página social.

Mesmo com esta versão, Raimundo se comprometeu em juízo, quando da referida audiência, em publicar um texto na mesma página social que dizia: “Boa tarde Belém. Gentes ranquearam meu face e estão tentando me prejudicar postando fotos e falando coisas sobre o prefeito de vocês para mim, trazer problemas então. Peço que na hora de comentar observem bem, ok. Se não vai ficar ruim para nos poder lutar. Fica na paz”.

Escrito por Tadeu Sá.

Antes era um cartão postal, hoje a praça por completo é um ponto de lixo.

A Praça da Avenida Antônio Teodósio, que já foi uma dos mais belos cartões postais da cidade e palco de grandes acontecimentos, trocou a beleza das plantas ornamentais por inúmeras sacolas cheias de lixos. É que sem ter a rua uma coleta regular de lixo, as pessoas colocam as sacolas sobre os jardins suspensos da referida praça e com isso um espetáculo degradante e horrível de tudo quanto não presta acontece.

O local como dito foi um dos belos cartões postais da cidade e isto aconteceu até o final do governo do prefeito Helionaldo Lustosa, já que havia uma funcionária, Maria do doce, contratada para cuidar da mesma, o que fazia com enorme carinho e zelo já que residia defronte a esta. Ela sozinha cuidava das plantas, regava todos os dias e limpava. Com a mudança do governo de Helionaldo Lustosa para Gustavo Caribé, pelo fato de Maria não ter votado em Gustavo, seu contrato não foi renovado e com isso a situação visto da foto abaixo, deu lugar a foto de cima, ou seja, trocou-se a beleza natural das plantas pelo lixo. É uma pena.

Quando Maria cuidava a praça era assim.

Vale registrar, porém que ao fotografar a situação fomos observados por um candidato a vereador pelo lado do prefeito Gustavo Caribé, de forma que no outro dia, mesmo sendo um domingo, uma caçamba da limpeza pública compareceu ao local e procedeu com a retirada parcial dos lixos.

Escrito por Tadeu Sá.

 

Correndo contra o tempo, a nova direção da Cesvasf parte firme visando fortalecer a instituição e com isso novas medidas começam a serem implantadas.

Com esta finalidade, a presidente da Autarquia Belemita de Ensino Superior, Ana Gleide de Souza Leal, reuniu-se na noite de sexta feira, dia 11, com os membros do Condefi – Conselho Deliberativo Fiscal e algumas medidas foram discutidas e aprovadas de forma participativa.

Dentre as propostas aprovadas, uma diz respeito à contração de uma empresa de assessoria jurídica e contábil que deverá levantar a situação financeira da instituição, mas também ficou acertado que novas reuniões irão acontecer. Para a próxima reunião cada membro do Condefi deverá apresentar as suas opiniões.

Também conversando com o diretor Valmir Pires Campos, mostrou-se ele bastante firme para enfrentar os problemas vivenciados pelo Cesvasf, e na mesma ocasião, disse que dentro de mais seis meses estará a instituição implantando dois novos cursos dentre três que estão sendo analisados, Farmácia, Serviço Social ou Administração de Empresa.

De fato são bons cursos, sendo que o de Administração de Empresa tem um mercado maior para absorção dos futuros formandos, que além de poderem atuar nas empresas existentes na região, podem adquirir conhecimento para gerir seus próprios negócios nos mais diversos ramos de atividade. Valmir também informou que cursos com poucos alunos poderão vir a serem extintos.

BLOG DO TADEU SÁ:

Afora os novos cursos, o Cesvaf também deveria ver a questão dos cursos técnicos profissionalizantes, se possível celebrando parcerias e assim poder oferecer cursos com carga horaria menor e mais atrativo do ponto de vista econômico para as pessoas de baixa renda. Um curso técnico de piscicultura, por exemplo, seria uma boa ideia.

Escrito por Tadeu Sá.

Estrada da Barra foi recuperada.

Estrada da Barra foi recuperada.

Na semana passada a prefeitura do município pelo sexto ano consecutivo, recuperou a estrada da Barra da Tarrachil, mas não fez o mesmo com relação à estrada de acesso ao balneário Som das Águas e com isso a estrada fica completamente intransitável, com as pessoas que frequenta o local se queixando constantemente do acesso, o que faz com seu proprietário afirme para todos que a situação é caso de perseguição do prefeito Gustavo Caribé.

Na verdade Tadeu Sá não se rege pela cartilha política do prefeito e sempre faz sucessivas críticas a sua administração, em resposta, desatenção por parte do prefeito para uma de suas obrigações, recuperar o acesso de todos, indiferentemente de opção politica, já que as máquinas pertencem ao município e não a ele.

Como forma de protestar, em breve o proprietário do balneário, que já viu seu empreendimento, sem sua autorização, ser utilizado em música de propaganda da prefeitura, vai afixar na referida estrada uma placa com os seguintes dizeres. “Esta estrada é mais uma obra de perseguição política do prefeito Gustavo Caribé”.

Escrito por Tadeu Sá.

Por ter opinião própria e fazer críticas a administração, prefeito Gustavo Caribé retalia e não recupera estrada do balneário.

Por ter opinião própria e fazer críticas a administração, prefeito Gustavo Caribé retalia e não recupera estrada do balneário.

Depois de quarenta anos, família Lustosa perde comando da Autarquia Belemita de Cultura, Desportos e Educação. Sai Maria Olindina Lustosa e entra a florestana Ana Gleide Leal.

Depois de quarenta anos, família Lustosa perde comando da Autarquia Belemita de Cultura, Desportos e Educação. Sai Maria Olindina Lustosa e entra a florestana Ana Gleide Leal.

O que era para acontecer a cada quatro anos de forma natural e democrática, com sucessivos novos presidentes e consequentemente nova mentalidade e renovação política, somente agora, depois de 40 anos, chega ao fim o longo reinado da família Lustosa à frente Autarquia Belemita de Cultura, Desportos e Educação, instituição que mantem o Cesvasf, mas eis que com o fato, que foi de estrema necessidade e importância, um detalhe chama atenção, tudo foi gerido com o fim de colocar no cargo uma professora que embora seja da instituição nada tem a ver com a terra, não possui nenhum vinculo com a comunidade, sequer reside na cidade e com isso Floresta, que já ocupa relevantes cargos públicos no Estado de Pernambuco passa agora a contar com outro de suma importância para os belemitas e região, o de presidente da Autarquia Belemita de Cultura, Desportos e Educação. Antes, porém o município já vem sendo generoso demais com Floresta, alguns dos nossos políticos levaram o povo a eleger com expressivas votações os deputados daquela cidade, deles majoritário, e que por isso Floresta cresce e penhoradamente agradece, permitindo que nossos filhos, ante a precariedade da nossa saúde, sem médicos cirurgiões e anestesistas, nasçam por lá. São os chamados “floresmitas”, um misto de florestanos com belemitas. Há alguns anos atrás isto era praticamente impossível de acontecer.

A eleita trata-se de Ana Gleide de Souza Leal, que como professora adentou no Cesvasf cerca de doze anos atrás. Ana é de família política, trata-se de aliada e correligionária do deputado estadual Augusto Cesar, que é opositor do governador Paulo Câmara, mas é o mesmo do prefeito Gustavo Caribé, e dois meses antes foi eleita vice-diretora da instituição na chapa encabeçada pelo professor belemita, Valmir Pires Campos.

MANOBRA:

Com a escolha de Valmir para diretor, deveria a instituição promover de forma imediata, já no dia 1º de julho, a escolha do novo Presidente da Autarquia, mas isto não aconteceu, o processo de escolha foi sendo empurrado com a barriga e a insatisfação, o modo de administrar sem transparência, a perpetuação no cargo por parte da família Lustosa, contas rejeitadas pelo TCE, o fraco desempenho administrativo a ponto de realizar dois vestibulares num mesmo período, salários congelados há mais de cinco anos, rombo com a Previdência Social, dívidas, e talvez quem sabe as conversas de ruas que dão conta de uma provável união politica entre os primos, Licínio Lustosa e João Licínio, pode ter sido a causa da decisão de se pôr fim ao mandonismo da família Lustosa à frente da Autarquia. Durante 40 anos, apenas quatro presidentes.

A ideia de eleger Ana Gleide e consequentemente afastar os familiares do ex-prefeito João Licínio da autarquia foi tramada nos bastidores da política local, já que a eleita contou com o forte apoio do grupo do prefeito Gustavo Caribé, sendo que em consequência da posse de Valmir Pires e dela própria para vice-diretora, modificou-se mais da metade das pessoas que faziam parte do Condefi – Conselho Deliberativo Fiscal, que no caso elege o presidente da Autarquia, fazendo inclui nele pessoas ligadas ao grupo do prefeito Gustavo Caribé, como é o caso da vereadora Aurora Guedes (aliada política de Gustavo), Luciana Roriz (esposa de um primo de Gustavo) como representantes da prefeitura, Jurandir Lopes (irmão da ex-secretária de educação no governo Manoel Caribé, senhora Marinalva Rodrigues), José Arruda Ferreira (cunhado de Gustavo), Adriano Sobral (professor florestano), João Luiz (professor florestano), Andersom Mendonça (professor recifense) como representantes dos cursos. Os demais membros permaneceram, Vandinho Marcula, (aliado do prefeito) representando a Câmara de Vereadores, Meire Torres (prima de Gustavo), também como representante de curso, bem como a professora Andréa Madeiro, na condição de representante da Autarquia.

IMPOSSÍVEL PERMANECER:

Oficializado os nomes dos dez felizardos eleitores, aniquilou-se de forma crucial as pretensões da então presidente, Maria Olindina Lustosa de Carvalho, que mesmo buscando articular uma chapa com os nomes dos professores, Junior Martins e João Licínio, vice, ou mesmo o nome do professor Valmir Pires, viu a então presidente suas chances de vitória reduzir significativamente e ante a fragilidade do seu grupo, os “caribezistas” apresentaram a chapa, Ana Gleide, presidente e Jurandir Lopes, vice-presidente, e como não mais havia o que fazer, todos, inclusive os eleitores da corrente Lustosa resolveram votar na chapa apresentada, que sem corrente, obteve a unanimidade dos votos e com isso Belém curvou-se mais uma vez a Floresta. Quem sabe não deixe de ser “Belém de Cabrobó, para ser Belém de Floresta”

JOGADA DE MESTRE:

Acontece que se a eleição da nova presidenta teve como causa a conjuntura politica que se comenta, ou seja, a possível união entre João e Licínio, com uma cajadada Gustavo Caribé atinge muita gente, pois de uma só vez afasta a forte influência da família Lustosa na instituição, coloca no cargo uma adversária politica da prefeita Rorró Maniçoba e do deputado estadual, Rodrigo Novaes, já que a ungida é aliada da família Ferraz, adversária, portanto dos dois políticos, inclusive possui uma filha, Bia Numeriano, como vereadora com assento na câmara municipal de Floresta e pela mesma via, afasta para bem distante a influência do professor Licínio junto a autarquia.

MUDANÇAS:

Seja como for, a decisão certamente importará em profundas mudanças. A família da gestora que sai, apenas a dela e ai leia-se a própria, duas irmãs, um irmão, seu primo legítimo Licínio Lustosa, a esposa deste e outros quatro primos recebem mensalmente dos cofres da instituição algo em torno de trinta mil reais, e mais, quando um da família se afasta, ou se aposenta, outro parente já se encontra engatilhado para assumir o posto.

O mesmo pode ser dito quanto ao futuro daqueles que recebem seus salários, mas que não aparecem na faculdade, ou aparecem muito pouco, além do que representa o cargo quanto aos serviços que são contratados pela instituição, máquinas copiadoras, material escolar necessário ao funcionamento, ônibus locados para o transporte dos alunos, bem como um prédio que o Cesvasf construiu no interior da Sociedade Filhos e Amigos da Instrução do Jatinã, local onde funciona a Facesf, mas que apenas uma sala é utilizada por ela, as demais atendem a Faculdade de Direito e em troca apenas uma eventual utilização do auditório desta última por parte da primeira, ou seja, em termos de valores de locação um prédio de primeiro andar, com várias salas, no centro da cidade, vale muito menos do que o aluguel para utilização esporádica do auditório. É quase certo que esta e outras situações deverão mudar.

No que tange ao comportamento da família Lustosa, por certo advirá mudança de comportamento político, muita disposição para fazer oposição, já que o prefeito Gustavo administra num mar rosa, sob o silencio mais incomum dos seus opositores. Se haverá razões para isto, diante do que fizeram, aí é outra questão, pois ainda, há por traz de tudo isto a isenção de impostos que o governo Gustavo Caribé faz a faculdade de Direito.

DISSE QUE DISSE:

Pois bem, embora a eleição tenha acontecido no sábado passado, dia 29 e a posse tenha sido no dia 01 de setembro, ou seja, mesmo estando tudo bem fresquinho, muita conversa já rola nos corredores da instituição, conversas tipo, “vai pegar uma bomba”, “fazer uma auditoria”, “como vai ficar os cargos”, “quem de Belém será o beneficiado”. Uma coisa é certa, em vista de desentendimentos anteriores o clima pode pesar, inclusive já tem funcionário requerendo licença. Deus queira que a partir daí não se instale um inferno astral na debilitada instituição.

Se assumir a instituição é uma bomba, só eles que ali mexem e que viveram juntos durante tanto tempo é que podem dizer. De fato, ninguém sabe como anda o Cesvasf, O prefeito Gustavo Caribé confiou cegamente  a sua administração a então presidente, Maria Olindina, mesmo sendo ela cunhada de Ronaldo Lustosa, maior desafeto político de Gustavo, e os mesmos problemas que a faculdade enfrentava não estancaram. De fato somente uma auditoria será capaz de desvendar o que acontece, mas tudo desde que seja feito as claras, com absoluta transparência, dando ciência do que acontece aos belemitas, pois de fato são estes os proprietários da autarquia e como tal merecem uma boa resposta.

FUTURO:

As conversas, no entanto não são boas e os comentários de ruas dão conta de que a sobrevivência do Cesvasf é questão de meses, ou mesmo alguns anos. Agora se a nova presidente não impuser transparência, se ela não enxugar os cursos deficitários que existem, se não inovar na busca de outros cursos, principalmente aqueles técnicos de menor duração e valor e a faculdade vier a fechar suas portas na sua presidência, muita conversa e disse me disse desabarão sobre sua cabeça, tudo mesmo, muitas culpas lhes serão atribuídas e olhe se os de hoje, os que lhes deram sustentação para chegar ao cargo, num momento crucial que possa eventualmente acontecer, especialmente na crise que vivenciamos, não lhes virem as costas. É no mínimo muito estranho que inúmeros belemitas, deles que se dizem competente e aliado do prefeito, numa cidade que como poucas possuem oito cursos superiores, deles como Direito e no próximo ano, Psicologia, não tenha um só cidadão capaz de gerir a entidade a ponto de terem que trazer uma professora de fora, ou que não tenha aparecido ninguém no grupo Caribé capaz de brigar pelo cargo. A instituição movimenta mais dois milhões de reais por ano.

Seja como for, ou o povo belemita é burro e incompetente, que não sabe administrar nada, inclusive a prefeitura que possui as mesmas mazelas enfrentadas pelo Cesvasf e neste caso deveriam então colocar um prefeito de fora, ou quem gestou a ousada escolha é que é incompetente. O belemita de brio não aceita ingerências estranhas sobre o que nosso, e isto somente acontece no Belém de hoje, no Belém que vive sem prumo e sem rumo.

Agora uma coisa é certa, o resultado foi definido e o processo eleitoral embora marcado por regras tipo Cuba de Fidel Castro, feito justamente com o fim de se perpetuarem no poder, deve ser respeitado e acatado, sem qualquer subterfúgio ou chantagem, cabendo doravante a todo cidadão belemita de bem, apoiar a nova presidenta e acima de tudo, ajudá-la a fazer uma administração profícua, de responsabilidade, de mudanças profundas, com muita ousadia, criatividade e transparência.

Escrito por Tadeu Sá.

De novo Belém ver sua população diminuí. Até quando?

Levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicada no dia 28 de agosto, estima que o Brasil possui 204.450.649 habitantes. Os dados estão no “Diário Oficial da União” e “site do IBGE” e a data de referência usada é 1º de julho de 2015. Segundo o órgão, a projeção das populações é feita anualmente a pedido do Tribunal de Contas da União (TCU) e serve de base para o repasse de recursos do governo federal para aos municípios, inclusive o fundo de participação.

A pesquisa também traz as estimativas populacionais de cada município do país e lamentavelmente o resultado aponta que Belém do São Francisco é um dos dois municípios que não cresceu, e mais, perde inclusive para cidades pequenas como Macururé, a última de todos aquelas que fazem parte das mesorregiões pernambucana e baiana das microrregiões de Petrolina e Itaparica (Jatobá) e Juazeiro e Paulo Afonso. Nos últimos dois anos as projeções indicam que Belém que possuía 20.253 habitantes, agora viu sua população diminuir um pouco mais. Enquanto isto a então pequena cidade Abaré, do outro lado do rio, alcançou números que impressiona, sua população iguala-se a de Belém.

Segundo o IBGE, dentre os municípios das regiões indicadas os que mais cresceram foi Petrolina, com um aumento populacional de 1.8214 %, Tacaratú: 1.6103 %, Abaré: 1.4733 %, Rodelas: 1.4160%, e Terra Nova: 1.3240 %. Veja bem, mesmo encravada numa região de sequeiro, Terra Nova encontra-se entre as cinco que mais cresceram.

Dentre os derradeiros, Belém encontra na penúltima posição, na frente apenas de Macururé. Na frente de Belém, estão os municípios de: Sobradinho: 0.3064 %, Glória: 0.2059 %, Campo Alegre de Lourdes: 0.2043 %, Belém: (menos) 0,0145% e Macururé (menos) 0.2982, ou seja, Belém e Macururé são as únicas duas cidades que tiveram sua população diminuída, ou seja, nascem menos gente que aqueles que vão embora.

Com relação aos demais municípios a ordem é a seguinte: Petrolina: 1.8214 %, Tacaratú: 1.6103 %, Abaré: 1.4733 %, Rodelas: 1.4160%, Terra Nova: 1.3240 %, Orocó: 1.2911%, Petrolândia: 1.1542 %, Lagoa Grande: 1.1530 %, Itacuruba: 1.1497 %, Floresta: 1.1294 %, Dormentes: 1.0765 %, Afrânio: 1.0628 %, Cabrobó: 0.9725 %, Casa Nova: 0.9349 %, Santo Sé: 0,8813 %,, Carnaubeira da Penha: 0.8569 %, Juazeiro: 0.8021%, Paulo Afonso: 0.7535 %, Curaçá: 0.6695%, Remanso: 0.5211 %, Pilão Arcado: 0.4910%, Santa Maria da Boa Vista: 0.4626 %, Jatobá, 0.4202%, Chorrochó: 0.3311%, Sobradinho: 0.3064 %, Glória: 0.2059 %, Campo Alegre de Lourdes: 0.2043 %, Belém: (menos) 0,0145%, e Macururé (menos) 0.2982. É rotina que segue.

Escrito por Tadeu Sá.

Relegada ao abandono, mais de 10 mil hectares de terras, as melhores do mundo, ficam sem produzir emprego e riqueza, como resultado aos pouco às pessoas estão indo embora de Belém.

Desenvolvido por