A psicanalista e cineasta Isabela Cribari decidiu rodar um documentário sobre algo que a incomodava. Em suas pesquisas na área de doenças psicossomáticas, como depressão, Cribari identificou que a cidade de Itacuruba, no Sertão, apresenta altos índices de suicídio, dez vezes mais que a média nacional, de acordo com o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe).

O documentário “De Profundis” foi apresentado na Sociedade Psicanalista do Recife, na Torre, com comentários da diretora científica Carolina Henriques. O evento foi aberto ao público e gratuito.

O provável motivo dos altos índices de suicídio na cidade, segundo a estudiosa, dá-se porque, na década de 80, Itacuruba foi completamente inundada com a conclusão das obras da Usina Hidrelétrica de Itaparica, e os moradores tiveram que abandonar tudo e seguir em busca de uma moradia.

A obra foi um dos seis curtas brasileiros premiados pela Mostra do Filme Livre, no Rio, e foi selecionada para a mostra oficial ‘É tudo verdade’, um dos maiores festivais internacionais de documentário. (Fonte Blog do Magno Martins).

Escrito por Tadeu Sá.

Se alguém acha impossível, não se espante, na verdade Ferraz e Novais estão unidos e bem unidos com vista apenas a um pleito eleitoral que se aproxima, a eleição para escolha do futuro presidente da OAB de Pernambuco, cujo candidato trata-se do advogado recifense, Jefferson Calaça.

Mesmo sem ser uma eleição que não desperte tanto interesse a Floresta, a união acontece de forma inédita, já que neste projeto encontram-se advogados das duas famílias, uma representada por Cacá Ferraz, que foi candidato a prefeito nos últimos pleitos e outra por Murilo Novaes, que igualmente foi candidato a vereador no mesmo pleito. Em torno deles a grande maioria dos advogados de Floresta, inclusive o advogado Tadeu Sá.

Sobre a eleição da Ordem, as conversas acontecem de forma natural e amistosa, pois os objetivos dos advogados de Floresta e de vários da região é verem implantadas medidas que fortaleçam as prerrogativas dos advogados, especialmente aqueles que militam no sertão.

Por outo lado, o candidato Jefferson tem vindo constantemente a Floresta, quando tem conversado e apresentado suas propostas para os companheiros, além de ouvir por parte destes propostas importantes para a classe.

Escrito por Tadeu Sá.

Adicionar Novo

Dizendo-se preocupado com as condições de atendimento dos conselhos tutelares municipais em Pernambuco, o deputado federal Jorge Côrte Real (PTB) solicitou ao ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos (SDH), Pepe Vargas, a construção de novas sedes em cidades do Estado.

O objetivo segundo o deputado é dar maior conforto às crianças e aos adolescentes atendidos, ampliar a rede de proteção da infância e oferecer melhor estrutura de trabalho aos conselheiros tutelares para a prestação dos serviços.

O pedido foi feito durante uma audiência. O deputado sugeriu que o governo federal construa os conselhos tutelares nos municípios de Glória do Goitá, Igarassu, Garanhuns, Goiana, João Alfredo, São Caetano e Surubim. Belém do São Francisco e Floresta, local onde o deputado sempre é bem votado, se quer tiveram seus nomes lembrados.

Cada equipamento está orçado em R$ 600 mil e é dotado de salas de atendimento, multiuso e de reunião, pátios, sanitários, vestiários, copa, entre outras instalações. As prefeituras ofertam os terrenos para edificação dos equipamentos. Nessas cidades, a maioria dos espaços estão sucateados e são insalubres. Em alguns casos, os imóveis que funcionam os conselhos são alugados, o que aumenta as despesas dos cofres municipais. Este é o retrato fiel do que acontece em Belém, mas infelizmente o deputado não lembrou das nossas necessidades.

Os prefeitos Izaías Régis (PTB/Garanhuns), Fred Gadelha (PTB/Goiana), Dr. Neves (PTB/São Caetano) e Mário Ricardo (PTB/Igarassu), também participaram do encontro.

Escrito por Tadeu Sá.

Desde que nasceu, o filho da agricultora Hosana da Silva, de 24 anos, e do técnico em enfermagem Macionílio Calaça, de 37 anos, tem sido notícia em todo o Brasil. O pernambucano Moacir, que completou recentemente nove meses, nasceu com 7,650 kg e 58 centímetros, tornando-se o maior bebê nascido no país. Atualmente, ele pesa 13,9 kg, peso que, segundo pediatras, se aproxima ao de uma criança de dois anos.

A mãe, que mora em Carnaubeira da Penha, conta que enfrenta dificuldades no dia a dia por causa do peso do bebê. “Ele é muito pesado. É difícil levar ele para os locais. Desde que nasceu, a gente precisa levar para médico, fazer acompanhamento. É complicado, pois ele não anda e, no colo, não aguento o tempo todo”,  afirma. O bebê passou por um bateria de exames em Caruaru no mês de maio, que não apontaram nenhum problema.

De acordo com o pediatra Luiz Bandim, que realizou os exames, Moacir é uma criança normal e saudável. “Fizemos exames de sangue, colesterol, hormônios entre outros. E todos deram um resultado muito satisfatório. Ele pode ter algum tipo de complicação para começar a andar, por causa do excesso de peso, mas terá uma vida normal”, explica.

O pediatra afirmou ainda que o bebê tem menos chances de crescer obeso por causa da amamentação. “Ele está parando de mamar agora. A amamentação reduz muito o risco de obesidade. Ele poderá crescer e ter o peso normal. Tem uma nutricionista o acompanhando para manter uma dieta saudável. A tendência nos próximos meses é que ele siga crescendo, mas engordando menos”, detalha.

A mãe do menino afirma que segue a dieta preparada pela nutricionista. “Às vezes, falta uma coisa ou outra, mas, sempre que podemos, compramos as frutas e os legumes indicados. A gente tem dificuldade de comprar tudo, mas não deixa por nada de cuidar bem dele”, conta. Ela afirma ainda que nunca sofreu nenhum tipo de preconceito. “Desde que nasceu, todo mundo tem curiosidade. Ninguém nunca ofendeu a gente”.

Para vestir o menino, a agricultora conta que precisa comprar roupas para crianças mais velhas. “O tamanho da idade dele não cabe de jeito nenhum. Tem algumas roupas de dois anos que ainda dão, mas alguns shorts só dão se forem para crianças de três anos”, revela.

NASCIMENTO:

Moacir nasceu em uma cesariana no dia 3 de setembro em Floresta. Ele foi transferido para um hospital em Serra Talhada, e depois passou por uma série de exames no Hospital Barão de Lucena, no Recife. O peso e o tamanho do menino surpreenderam a equipe médica responsável pelo parto. O enxoval, feito antes do nascimento, foi doado, já que nenhuma peça coube em Moacir.

De acordo com a mãe da criança, a gestação de Moacir, segundo filho do casal, foi tranquila. Ela não teve nenhum tipo de complicação e só descobriu o peso do bebê após o parto. “Fizemos uma ultrassonografia, mas não deu para saber quanto ele estava pesando. Meu primeiro filho nasceu com mais de quatro quilos, o médico disse que pode ser alguma coisa da genética”, revela (Fonte: JC Recife).

Escrito por Tadeu Sá.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) é mais um órgão a investigar a “farra” das emendas parlamentares para shows denunciada pelo JC em 2014. Publicado no Diário Oficial, um procedimento foi instaurado pelo procurador-geral, Carlos Guerra, abrindo uma investigação criminal contra um deputado estadual que, segundo os autos, destinou recursos públicos para a produtora de shows da qual o próprio filho era sócio. O texto omite os nomes dos envolvidos. Contudo, como já noticiou o JC, o único deputado estadual que enviou emendas para empresa do filho foi Augusto César (PTB).

O texto do MPPE descreve, ainda, o envolvimento de uma assessora lotada no gabinete deste mesmo parlamentar, também sócia da empresa beneficiada com dinheiro público. “Considerando que os mencionados autos noticiam possíveis irregularidades na contratação de shows artísticos à empresa… através de procedimentos de inexigibilidade de licitação relativos à execução de emendas ao orçamento de 2014 do Governo do Estado, que foram propostas pelo Deputado Estadual…., e que os sócios dessa empresa são, respectivamente, um dos filhos e uma assessora lotada no gabinete desse parlamentar”, diz a publicação.

Em matéria publicada em agosto de 2014, o Jornal do Comércio denunciou que a empresa HC Produções Artísticas e Eventos LTDA, cujo sócio majoritário é Juan Diego Carvalho, filho de Augusto César, produziu 54 shows, pagos através da emenda de 15 deputados, incluindo o pai. As 46 emendas totalizaram R$ 1,5 milhão.

O MPPE também lança luz sobre o possível envolvimento de um outro filho do deputado. “Considerando que alguns contratos de shows celebrados através da empresa em questão foram subscritos por outro filho desse Deputado, de nome…, o qual não mais figurava como sócio-administrador da empresa, desde 28 de novembro de 2013”, diz o texto.

Procurado, Augusto César disse desconhecer a investigação. “Só irei me pronunciar quando conhecer o teor”, falou. Designado para presidir o procedimento, o subprocurador-geral em Assuntos Jurídicos, Clênio Valença Avelino, informou, através da assessoria de imprensa do órgão, que os nomes foram omitidos “em razão da necessidade do caráter sigiloso, uma vez que a publicação dessas informações poderia comprometer as investigações em curso”. A investigação está em fase preliminar e poderá virar ou não uma ação criminal (Fonte JC Recife).

Nestes dias está sendo dado mais um passo para a consolidação da região circunvizinha de Salgueiro, como um polo de desenvolvimento da economia pernambucana. A Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – Condepe/Fidem vai dar inicio a elaboração do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do município e seu entorno. Neste sentido será realizada uma primeira reunião entre os técnicos da entidade e da consultoria contratada para a realização de atividades. Entre as etapas previstas no plano de trabalho estão: a mobilização social,  a caracterização da área, a  preparação de diagnóstico situacional e a identificação de diretrizes gerais e propostas, além da consolidação do plano.

A área a ser estudada abrange dez municípios. Além de Salgueiro, serão contemplados: Cedro, Serrita, Parnamirim, Terra Nova, Carnaubeira da Penha, Verdejante, Mirandiba, São José do Belmonte, Cabrobó e Belém do São Francisco. A ação tem aporte financeiro da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), ligada ao Ministério da Integração Nacional. A região tem uma população estimada em cerca de 220 mil habitantes, o índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,670 e a vocação econômica local se baseia na agropecuária, no comércio e serviços.

A área foi escolhida para a realização do trabalho por causa da localização privilegiada do ponto de vista logístico e geográfico, já que Salgueiro conecta os municípios dos Estados do Nordeste e do Centro Sul, por causa do cruzamento entre rodovias importantes como a BR-232 e a BR-116 . Outro fator é a perspectiva da implantação de investimentos de grande porte no Sertão a exemplo da Transnordestina, da Plataforma Logística Multimodal de Salgueiro, do Projeto de Integração do Rio São Francisco, do Canal do Sertão e da Ponte do Ibó, esta última, interligando estados e em plena operação, que vão impactar diretamente na área, favorecendo a  atração de empreendimentos para o local. “O estudo vem ampliar a capacidade de gerar novas oportunidades para a região, e melhorar a qualidade de vida da população”, explica o presidente da Agência Condepe/Fidem, Flávio Figueiredo.

Segundo ele, o plano a ser proposto pela Agência Condepe/Fidem vai orientar as iniciativas de diferentes atores (públicos ou privados) na região e potencializar a organização e o planejamento integrado do município e de seu entorno, de forma a alcançar o desenvolvimento sustentável, consolidando a região como um Polo dinâmico do Estado.

Através Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável serão identificadas as principais potencialidades e desafios na perspectiva econômica, social e de logística, através de visitas técnicas e levantamento descritivo e cartográfico da área. Também serão elaboradas as propostas que permitirão o desenvolvimento integrado e sustentável na região, identificando possibilidades de investimentos em educação, saúde, entre outras. A população será envolvida nas diversas etapas através da realização de oficinas de trabalho.  “O plano propõe o diálogo constante entre os municípios, sociedade e poder público para discutir e entender o estudo, garantindo seu sucesso e a sua capacidade de apontar soluções para um desenvolvimento planejado”, ressaltou a diretora de articulação e de Apoio.

Escrito por Tadeu Sá.

A Câmara de Vereadores Plínio Amorim de Petrolina aprovou o projeto de lei 042/15, de autoria de Adalberto Filho ‘Betão’ (PSL), propondo o cadastro, registro e licenciamento anual de veículos ciclomotores de 50 cilindradas, conhecidos como ‘cinquentinhas’.

O projeto teve seis votos favoráveis e seis contrários. A decisão ficou com o presidente da Câmara Osório Siqueira que votou a favor da regulamentação das cinquentinhas. O projeto agora espera ser sancionado pelo prefeito Julio Lóssio. A aprovação prevê que os donos das “cinquentinhas” devem ter a carteira de habilitação e documento emitido pelo Detran-PE.

O diretor-presidente da EPTTC, Paulo Valgueiro avalia que a aprovação do Projeto de Lei é positivo. A lei só deve de fato entrar em vigor após seis meses.

Paulo Valgueiro argumenta que em todas as reuniões do Comitê de Prevenção de Acidentes de Motos, é debatido que o uso inadequado das cinquentinhas são considerados um problema de saúde pública.

Os acidentes de motocicletas foram responsáveis, só em 2012 e 2013, por 40% das mortes provocadas por acidentes de trânsito em Pernambuco. Nesse período, o Estado registrou quase 5 mil mortes por acidentes de transporte, sendo 1.633 motociclistas. (Fonte: Ascom EPTTC).

Escrito por Tadeu Sá.

Aconteceu primeiramente na Câmara de Vereadores de Terra Nova, audiência pública para discutir a a Segurança Pública no município, uma vez que os moradores do local vem enfrentando uma onda terrível de sucessivos assaltos. A audiência foi um requerimento do vereador licenciado José Edvaldo (Bado), que contou igualmente com o apoio do prefeito do município, Laerte Freie (PR).

O Comandante do 8º Batalhão de Polícia, Major José Roberto e o Capitão Moura, representaram na ocasião a Polícia Militar de Pernambuco. Presentes também os demais vereadores, secretários municipais e representantes de diversos seguimentos sociais. Também presentes inúmeros comerciantes.

De início, frisou-se que o intuito maior da audiência era ouvir as sugestões da população. O prefeito fez questão de incentivar todos os presentes a participarem.
O presidente da Câmara, Pedro Callou (PR), seguiu a mesma linha, destacando que o momento era adequado para sanar dúvidas e fazer sugestões. O proponente da audiência, vereador Bado, disse que o combate à criminalidade é uma tarefa para se fazer em conjunto. Ele convocou os governantes, poderes judiciários e legislativos, polícias militares e civis e toda sociedade em geral para abraçarem a causa.

PATRULHA RURAL:

O primeiro questionamento foi direcionado ao Comandante do 8º BPM, José Roberto, sobre a Patrulha Rural, sendo que o comunitário Aílton, representante da fazenda Jatobá, questionou a ausência da “Patrulha Rural” na zona rural do município. Segundo Aílton, esse tipo de patrulhamento além de levar segurança as comunidades rurais, serve como apoio no combate aos crimes realizados na zona urbana, já que em regra, os meliantes sempre fogem pelas estradas que cortam as comunidades rurais. Em resposta a Aílton, José Roberto alegou que a “Patrulha Rural” existe e que tem base no distrito de Umãs, mas que pretendem intensificar esse tipo de trabalho.

ADOLESCENTES NAS RUAS:

No que tange aos adolescentes que ficam até altas horas da madrugada nas ruas, um dos presentes sugeriu que este tipo de comportamento deixa os menores vulneráveis às drogas lícitas e ilícitas. O Comandante lembrou que a mudança de tal comportamento deve começar a partir da educação familiar, ou seja, exercida pelos pais ou responsáveis, pois quando os policiais os abardam, se deparam com alguma situação ilícita, tipo uso de droga ou mesmo bebida alcoólica, as medidas cabíveis são sempre tomadas, mas quando nada de ilegal é encontrado, nada pode ser feito.

PROIBIR USO CAPACETES:

Também na ocasião discutiu-se a possibilidade de proibir o uso de capacete na zona de comércio da cidade. Segundo os comerciantes a medida diminuiria o número de assaltos, levando em consideração que a maioria destas ações criminosas vem acontecendo com homens pilotando motos e usando capacetes para não serem identificados. De início, o presidente da Câmara, Pedro Callou, explicou que os vereadores não podem legislar na contra-mão da legislação federal. O Comandante do 8º BPM desqualificou por sua vez a sugestão, dizendo: “Seria um absurdo, a proposta é totalmente inviável e ineficaz. Legislar sobre trânsito é privativo da União. O capacete é um equipamento de segurança e o não uso dele é infração de trânsito”, completou.

EFETIVO:

Quanto ao efetivo policial e viaturas no município, logo de início, o prefeito de Terra Nova falou que um efetivo de pelo menos 12 policiais fixos no município seria de grande eficácia. O funcionário público João Bosco Ferreira voltou a lembrar e questionar o comandante do 8º BPM se haveria possibilidade da solicitação ser atendida. Segundo o comandante, municípios do porte de Terra Nova têm apenas 2 policiais. Para ele, 4 homens fixos na cidade é quase que um privilégio, levando em consideração a situação de outras cidades vizinhas. Ele fez questão de lembrar também que a polícia trabalha em regime de escala e que mesmo não sendo simultaneamente, são 16 homens revesando serviço no município.

MAIS TEMAS:

Outros temas igualmente foram discutidos, como abordagens truculentas, falta de comprometimento por parte de alguns policiais, segurança no trânsito, tráfico de drogas e perturbação do sossego também questionados e o comandante respondeu a todos. O advogado e professor Francisco Sá, em análise também colocou o problema da segurança pública de forma muito mais ampla. “Segurança Pública não é problema só de polícia”, reconheceu. Francisco que fez questionamentos ao prefeito, aos secretários e diretores de diversos setores do município. Para ele, o problema deve ser combatido a partir da raiz, com programas sociais, alternativas para os jovens e outras ações do tipo.

No final o prefeito Laerte Freire agradeceu a presença de todos e o Comandante do 8º BPM se colocou à disposição da população para qualquer esclarecimento. No geral, a audiência foi considerada pela comunidade como bastante proveitosa.

CONCEIÇÃO DAS CRIOULAS:

Posteriormente, já na quinta-feira (11), um novo encontro aconteceu na praça pública do Distrito de Conceição das Crioulas e contou com presença dos vereadores, do comandante do 8° BPM, o mesmo Major José Roberto, lideranças comunitárias, gestores das escolas e população em geral.

Os representantes da Polícia Militar falaram sobre o baixo número de ocorrências na localidade, destacando que este ano foram apenas duas. Para a Polícia Militar, atualmente o distrito de Conceição das Crioulas é um local de cultura de paz.

Segundo o comandante, atualmente a comunidade é atendida com rondas da Patrulha Rural e do GATI, mas ainda este mês será iniciado um trabalho preventivo com policiais do NUPREV Sertão, especialmente para a conscientização contra o consumo de álcool por adolescentes. Os moradores da localidade solicitaram um policiamento fixo, fiscalização das infrações de trânsito e combate à poluição sonora.

O comandante se prontificou a atender os pleitos, mas disse que é preciso um estudo para saber se é possível instalar um posto fixo. Major José Roberto também falou sobre a Operação Escola Segura, lançada na segunda-feira (08), com extensão para o distrito. Na ação, gestores, professores e comunidade em geral podem usar o Whatsapp para se comunicar diretamente com a polícia.

Escrito por Tadeu Sá.

Sem título

Camarão bom é nascido em Cabrobó, assim já cantava a banda Tianastácia, mas a nova febre no sertão brasileiro é a Pitúconha, a cachaça com maconha. Quem conta a novidade é Daniel Carvalho, de Cabrobó, para Folha de S. Paulo.

Encravado segundo a reportagem, no “polígono da maconha”, região pernambucana famosa pela produção da erva em áreas irrigadas pelo rio São Francisco, o município de Cabrobó (a 531 km do Recife) vem se tornando conhecido por um “souvenir” peculiar: “uma cachaça artesanal com raiz de maconha”, a “Pitúconha”.

Segundo a reportagem é fácil encontrá-la em bares e carrinhos que vendem espetinhos de carne. Os interessados encontram o produto tanto em dose (Um Real) como em garrafa. Com o rótulo que se apropria da tradicional marca pernambucana de aguardente Pitú, essa caninha sai por R$ 30.

“Aguardente de cana adoçada com raiz de maconha”, informa, sem pudor, o rótulo da garrafa de 965 ml, que anuncia: “O Ministério do Transporte adverte: o perigo não é um jumento na estrada. O perigo é um burro no volante”, completa, em tom jocoso, o aviso da embalagem.

A Folha, que disse ter conversado com um servidor municipal, disse que, aos finais de semana, vende doses de cachaça de maconha em seu carrinho de churrasco. Ele diz que algumas pessoas coletam as raízes que sobram das operações policiais de erradicação dos pés de maconha e vendem para os produtores de cachaça. Um saco de 30 kg sai a R$ 100.

O servidor, que vende a cachaça há cinco anos, afirma que chega a comercializar até seis garrafas por semana. “Já virou souvenir. Tem um pessoal do banco que compra de carrada. O pessoal tem muito interesse de conhecer. Houve até um leilão na capital. Saiu por R$ 200″, afirma.

ILEGAL

Segundo a Polícia Federal, ainda não há clareza sobre a situação legal da bebida. Perícia feita pela PF no ano passado indicou pequenas concentrações de THC (tetraidrocanabinol), o princípio ativo da maconha, nas raízes.

Desde o início do ano, policiais federais e colaboradores que participam das operações de erradicação de plantações da droga foram proibidos de trazer e distribuir as raízes, que, ao contrário do restante da planta, não são incineradas.

“Se você for levar ao pé da letra, seria crime a comercialização da raiz e consequentemente, da bebida, porque tem o princípio ativo. Só que a concentração é baixíssima. É uma questão que ainda não se tem uma posição definida”, afirma Carlo Correia, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal em Pernambuco.

De acordo com o artigo 2º da lei 11.343/2006, “ficam proibidas, em todo o território nacional, as drogas, bem como o plantio, a cultura, a colheita e a exploração de vegetais e substratos dos quais possam ser extraídas ou produzidas drogas”. A exceção é para autorizações legais e para o que estabelece a Convenção de Viena (1971) a respeito de plantas de uso “ritualístico-religioso”.

“A lei não especifica a quantidade de THC. A questão é de ordem prática: a concentração é muito pequena. Não existe uma repressão sistematizada até hoje”, diz o delegado.

Correia afirma que há quem peça raízes aos policiais para tratar dor na coluna, problemas de estômago e asma. “Não existe nenhuma comprovação científica de que a raiz de maconha tenha alguma função terapêutica”, diz o delegado.

PITÚ:

Em nota enviada à Folha, a empresa Pitú informou ter tomado conhecimento da bebida “Pitúconha” e “do uso indevido de sua marca”. “A Pitú tomará todas as medidas cabíveis contra a violação dos seus direitos de propriedade intelectual.” (Fonte: smkbd.com).

Escrito por Tadeu Sá.

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) promove, entre julho e novembro próximos, as semanas estaduais do júri. De acordo com a programação, as sessões estão previstas para as semanas de 13 a 17 de julho; 17 a 21 de agosto; 21 a 25 de setembro; 19 a 23 de outubro; e 16 a 20 de novembro.

Em correspondência enviada aos juízes com competência para o Tribunal do Júri, a magistrada Jacqueline de Andrade Campos, auxiliar da Corregedoria das Comarcas do Interior e gestora Estadual das Metas (Enasp) no tribunal, pediu a participação de todos os colegas nas cinco semanas mensais, designando o maior número possível de sessões de julgamento pelo Tribunal Popular.

A coordenadora das Metas Enasp na Bahia destacou a necessidade da realização de júris de casos de homicídio contra as mulheres em situação de violência doméstica, feminicídio, e que deverão ser marcados para a Semana Nacional da Justiça pela Paz em Casa, de 3 a 7 de agosto.

A campanha da Justiça pela Paz em Casa é presidida pela ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), e coordenada na Bahia pela desembargadora Nágila Brito, responsável pela Coordenadoria da Mulher no Tribunal de Justiça da Bahia. (Fonte: TJBA).

Escrito por Tadeu Sá.

Desenvolvido por