Desde a semana passada a prefeitura municipal de Belém do São Francisco vem realizando a chamada operação tapa buraco nas ruas da cidade que são asfaltadas, mas que ante a ação do tempo estão seriamente comprometidas.

A operação iniciou-se pela entrada da cidade, no local que dá acesso pela Avenida Coronel Manoel Araújo de Carvalho Caribé, bem como na rua Cel. Pedro da Luz, local onde havias enormes crateras, e agora inicia-se pela Rua Dom Francisco Xavier, também no bairro Novo Horizonte, que igualmente encontra-se bastante esburacadas, em especial o trecho de asfalto foi construído no governo do ex-prefeito Gustavo Caribé.

Sábado, dia 08, foi marcado em Belém do Francisco pelos aniversários do ex-prefeito Gustavo Caribé e da primeira dama do município, professora Regina Lustosa.

Gustavo Caribé comemorou seu aniversário ao lado de parentes, correligionários e amigos. A festa aconteceu no espaço de festa do Centro Cultural José Cantarelli.

Feliz com o que ver, Gustavo celebra aniversário com as cantoras Tayla e Tacianne, políticos, amigos e aliados.

Para animar o evento, houve a apresentação da dupla Tacianne e Tayla, que são irmãs e bastantes conhecidas na região de Salgueiro, do Araripe, Estado Ceará e Piaui.

O aniversário da primeira dama Regina contou a presença do seu esposo, prefeito Licínio Lustosa, e inúmeros amigos, especialmente aqueles que fazem parte da nova gestão e também aconteceu no sábado à noite, no espaço de festa de Alba. A comemoração também rolou até a madrugada, e teve como atração musical Edvam e Banda, além de diversos outros músicos da terra.

Arrodeada de muita gente, dentre eles lideranças e vereadores, deles que a pouco lhes deram as costas, Regina comemorou mais um aniversário.

A decisão do prefeito de Bom Jardim é sensata e oportuna. Os políticos de Belém também deviam pensar desta forma, mas duvido.

O juiz Moacir Ribeiro da Silva Júnior, da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Santa Cruz do Capibaribe, deferiu pedido de liminar suspendendo os efeitos financeiros das leis nº 2.062/2012, nº 2.562/2016 e nº 2.617/2017, que tratam do aumento dos subsídios do prefeito, vice-prefeito e secretários municipais.

De acordo com a decisão, os salários do prefeito, do vice-prefeito e dos secretários devem ser pagos nos valores correspondentes à legislatura anterior, sob pena de multa de R$ 100 mil, a ser imposta ao prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), “sem prejuízo da pratica de crime de desobediência e prática de ato de improbidade administrativa“.

A Justiça detectou que as leis que resultaram no aumento de despesa com pessoal foram promulgadas menos de 180 dias antes do final do mandato. Segundo a argumentação do autor da ação popular, o advogado André Tadeu da Mota Florêncio, o aumento dos subsídios afronta o parágrafo único do artigo 21 da Lei de Responsabilidade Fiscal.

VALORES:

O aumento dos salários foi aprovado em outubro de 2016, na ocasião, o salário do prefeito passou de R$ 12 mil para R$ 18 mil, o de vice-prefeito, de R$ 6 mil para R$ 9 mil e o dos secretários, de R$ 4,5 mil para R$ 6 mil.

Na terça feira, 27 de junho, a Câmara de Vereadores de Belém do São Francisco realizou sua última sessão do primeiro período legislativo e logo após entrou em recesso. Os vereadores só voltarão ao batente no dia 08 de agosto. O recesso acontece 131 dias após a primeira reunião que aconteceu em 16/02. Após o final da sessão todos se dirigiram para a residência do presidente Joase Campos, que na oportunidade ofereceu um almoço que contou com as presenças de colegas e amigos políticos.

Nas redes sociais muitas críticas sobre o recesso foram postadas. Um internauta por exemplo, postou, “Oxente já?”, outro disse: “Os bichinhos já trabalharam demais esse ano”, “Recesso pra quê? o Município com tantas prioridades ainda vão tirar recesso. Vão procurar o que fazer que acham!!”, disse outro. Um porém foi crítico ainda e postou: “Não vão nem curtir, tão tudo de bolso vazio

Quem esteve em Belém do São Francisco no final do mês passado, foi o jornalista Cláudio Barcellos de Barcellos, mais conhecido como Caco Barcellos, que também é escritor e repórter da rede Globo de Televisão. Caco se especializou em jornalismo investigativo, investigações, documentários e  grandes reportagens sobre injustiça social e violência.

A passagem de Caco por Belém tinha o objetivo de colher informações sobre o cultivo e tráfico de maconha no município e região. O documentário produzido por Caco foi levado ao ar no dia 05 de julho, através do programa “Profissão Reporter”, da TV Globo e tratou de possível legalização do planto da maconha e seu uso como tratamento medicinal, mas de filmagem mesmo, apenas o município de Orocó – PE, e reportagens de plantações antigas no município de Casa Nova – BA.

Na passagem por Belém, Caco Barcellos gravou vídeos para dois cidadãos do município. Num deles, Caco diz que ficou encantado com o projeto “Criança Feliz” que o policial Welson Santos, da 1ª Companhia de Polícia desenvolve em Belém do São Francisco. O segundo, após degustar uma salada de frutas que a senhora Risonaide Santos revende pelas ruas da cidade, Caco elogiou bastante o lanche e o chamou de “obra prima”. Abaixo, clicando na seta, você assiste os dois vídeos.

O repórter caco Barcelos da globo ficou sabendo do projeto criança feliz e também está apoiando

Posted by Welson Santos on Tuesday, June 27, 2017

hoje a tarde tive uma venda de salada muito especial , pois tive a oportunidade de conhecer esse grande cara .Jornalista da globo Caco Barcellos

Posted by Risonaide Santos on Tuesday, June 27, 2017

No domingo retrasado, o Canal Brasil de Televisão, com sede no Estado do Rio de Janeiro, levou ao ar um documentário que foi filmado em 2014, o qual aborda o grave quadro de depressão que sofre diversos moradores do município de Itacuruba, inclusive citando inúmeros casos de suicídios. O documentário entrevistou diversas pessoas da cidade, mas somente a voz dos entrevistados era ouvido. Não quis o canal Brasil, até em respeito a estas pessoas, mostrar suas imagens.

Com a reportagem, velhas fotos e filmes da antiga cidade de Itacuruba, e o lamento gritante das pessoas contra a mudança da cidade velha para nova. A quantidade de moradores que na época se recusavam a sair do seu lugar era grande, mas mesmo assim todos tiveram que sair, muitos a força.

Nas imagens do documentário um mulher desconhecida adentra nas água do Lago de Itaparica e segue caminhando até desaparecer. Uma cena de suicídio.

Embora a nova cidade seja muito mais estruturada que a velha, com boas casas, dotada de saneamento e belas praças, muitos entende que a questão da depressão, doença que leva o município a ter destaque negativo no Brasil, estar diretamente associado a forçosa mudança que aconteceu. De fato, na antiga cidade, com suas inúmeras ilhas e bastantes terras férteis, havia inúmeros empregos e em consequência menos preocupação. Todos sabem que a mente desocupada é uma porta aberta para doenças graves como a depressão.

Conseguir um emprego em Itacuruba, se não for na prefeitura é praticamente impossível. O comércio local é pequeno e não absolve a mão de obra excedente. Por outro lado, a cidade poderia ter sido melhor localizada, mas conta de interesses pessoais ficou longe do rio e de uma estrada com maior trânsito, o que impede a implantação de outras opções de comércio como postos de combustíveis, casas de peças, hotéis, oficinas mecânica e tanto outros que uma estrada movimentada possibilita.

Mesmo pequena e sem muitos atrativos, a velha Itacuruba era aconchegante e oferecia oportunidade de empregos aos filhos que queriam trabalhar, situação que deixava todos orgulhosos e felizes.

Hoje, o município que no passado possuía uma agricultura forte viu está praticamente acabar, ou seja, não produz quase nada. Com o enchimento do lago de Itaparica, a agricultura foi substituída pela piscicultura, mas mesmo assim, poucas são as pessoas que conseguem produzir.

O Canal Brasil é um canal de televisão por assinatura que estreou em 18 de setembro de 1988, com a exibição do filme Sonho sem fim, de Lauro Escorel Filho e foi criado para aproveitar a obrigação criada pelo Decreto 2206, de 1997, que obrigava todos os prestadores de serviços de TV a cabo a incluir na sua grade pelo menos um canal dedicado a “obras cinematográficas e audiovisuais brasileiras de produção independente“. O canal é resultado de uma associação da Globosat com a empresa Grupo Consórcio Brasil.

Justiça autoriza casal a cultivar maconha para tratamento da filha.

A Justiça do Rio de Janeiro autorizou um casal a cultivar maconha em casa para o tratamento de uma doença crônica de sua filha. A decisão confirma uma liminar concedida em dezembro do ano passado.

Margarete Brito e Marcos Lins obtiveram um habeas corpus preventivo que proíbe qualquer ato contra sua liberdade em razão do cultivo e processamento da maconha em sua residência.

Segundo laudos médicos, a menina teve redução de até 60% de suas crises convulsivas após a utilização, sob a supervisão médica, de extrato artesanal da erva.

Outras decisões judiciais parecidas têm sido proferidas pelo país. Um dos usos do canabidiol, extraído da maconha, é no controle de crises convulsivas de crianças. O produto pode ser importado, mas o custo é elevado. Desde janeiro de 2015, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso medicinal de produtos à base de canabidiol.

Após o prefeito de Bom Jardim anunciar o cancelamento do São João na cidade devido ao difícil momento financeiro vivido pelo município do Agreste do Estado e pelo país, o prefeito João Lira (PSD), anunciou a redução de 20% no seu salário, dos comissionados, secretários e do vice-prefeito.

Em entrevista à Rádio Jornal, o gestor disse que os cortes visam garantir o cumprimento da lei de responsabilidade fiscal, que estabelece 54% como limite de gastos como despesas de pagamento de pessoal. “Vamos ter uma redução nos salários dos cargos comissionados e contratados e prestadores de serviços da prefeitura como assessoria de advogados, contábil, pessoal que trabalha na licitação de 20%. O salário do prefeito também será rebaixado em 20%, o vice-prefeito e os secretários municipais também”, disse.

Tudo isso para se adequar à lei de responsabilidade fiscal,  porque hoje com o aumento do salário mínimo que demos, o aumento do piso do salário do professor, o pequeno aumento que demos exatamente para os cargos comissionados que ganhavam o salário risório, nossa folha de pagamento ultrapassou os limites”, explicou.

O ex-prefeito Miguel Barbosa (PP) teve a prestação de contas rejeitada no tribunal de Contas do Estado justamente por não cumprir a lei de responsabilidade fiscal, João Lira visa evitar tal situação.

A 1ª Câmara Regional Previdenciária de Juiz de Fora/MG, por unanimidade, deu provimento à apelação do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) contra a sentença, do Juízo de Direito de Cruzília/MG, que julgou procedente o pedido de uma mulher, parte autora, para condenar a autarquia a conceder à requerente aposentadoria por invalidez desde a data da citação.

O ente público, ora apelante, sustenta a ausência da qualidade de segurada da requerente e a falta de preenchimento da carência necessária à concessão do benefício; argumenta que a autora contribuiu na qualidade de contribuinte individual até 31/08/2004, sendo que após esta data não efetuou nenhum outro recolhimento. Eventualmente, requer a concessão apenas do auxílio-doença e que os juros e correção monetária incidam nos termos da Lei nº 9.494/1997.

CARÊNCIA:

A aposentadoria por invalidez e o auxílio-doença exigem a qualidade de segurado, a carência de 12 meses (art. 25, I, Lei nº 8.213/91) e a incapacidade para o trabalho habitual, embora suscetível de recuperação.

DOENÇA PREEXISTENTE E INCAPACIDADE SUPERVIVENTE:

A aposentadoria por invalidez, em seu parágrafo segundo, não será concedida no caso da doença ou lesão de que o segurado já era portador ao filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social.

E o auxílio doença, em parágrafo único, não será devido auxílio-doença ao segurado que se filiar ao Regime Geral de Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para o benefício. Salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão.

O magistrado afirmou que o laudo oficial, realizado em 02/09/2010, concluiu que a autora é acometida de gastrite, hipertensão arterial, e tumoração abdominal a esclarecer, e, que em razão da caquexia e anemia, está total e permanentemente incapaz para o trabalho devido ao quadro avançado.

Verificou o juiz, em seu voto, que o diagnóstico de anemia e caquexia em quadro avançado evidencia que, na verdade, a requerente já apresentava a moléstia antes de ingressar no Regime Geral da Previdência, em setembro de 2003, e que as contribuições foram feitas justamente para gerar o direito ao primeiro benefício em 08/10/2004. Além disso, o relator esclareceu que a segurada ingressou no sistema da previdência em 1º/09/2003, contribuiu até 31/08/2004 e recebeu auxílio-doença em 08/10/2004, benefício que perdurou até 31/08/2005.

Ressaltou o juiz convocado que admitir o ingresso simulado quando o indivíduo já se encontra com a sua saúde debilitada, muitas vezes diante de orientações de profissionais habilitados, que calculam com precisão a questão conectada ao risco social, seria vulnerar frontalmente o princípio da equidade na forma de participação do custeio da previdência social.

CONCLUSÃO:

Desse modo, concluiu o magistrado, não será devido auxílio-doença ao segurado que se filiar ao Regime Geral de Previdência Social quando já tiver sido acometido da doença ou da lesão invocada como causa para o benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão.

Como a autora já apresentava a moléstia antes de ingressar no Regime Geral da Previdência, a concessão do benefício não é cabível. Isto é, o perito médico do INSS ou judicial deve analisar a data de início da incapacidade e não da data de início da doença.

O choque foi tão violento que o Jeep do empresário ficou completamente destruído.

Na manhã de ontem, sexta-feira dia 30, um grave acidente automobilístico vitimou o empresário belemita, Givaldo Alves de Sá, de 56 anos e sua nora Withenny Glenda, de 23. Um filho do empresário, Diogo Silva Sá, que era noivo da jovem, saiu bastante ferido e  foi socorrido  para a cidade de Salgueiro, de lá foi seguiu às pressas para Petrolina, mas está fora de perigo.

Ainda jovem, empresário morre vítima de acidente automobilístico.

O acidente aconteceu por volta das seis horas da manhã, nas imediações do Posto Murici, que fica na estrada que liga Belém do São Francisco a Sagueiro. Na ocasião o empresário viajava com destino a cidade de Barra do Corda, no Maranhão, para onde ia levar seu filho Diogo, que era policial naquele Estado. Glenda ultimamente residia em Belém e recentemente concluiu o curso de Direito da Facesf, mas também seguia para o Maranhão, local onde reside seus familiares mais próximos.

Além de primos legítimos, Diogo e Glenda estavam noivos. Ele era policial e ela havia acabado de concluir o curso de Direito.

O empresário era irmão do também empresário Gilvan e Gildo Alves de Sá. Além de proprietário do Hotel Bandeirante, empreendimento que vem desde sua mãe, Hilda Sá, Givaldo era proprietário de um supermercado com o mesmo nome e tratava-se de pessoa bastante querida na cidade.
No acidente, uma carreta que seguia em sentido contrário veio a se chocar contra o veículo do empresário, um Jeep Toyota Bandeirante, que em vista do forte impacto ficou totalmente destruído, inclusive arrancando a capota do carro.
A tragédia deixou consternada toda cidade de Belém do São Francisco, já que o empresário era bastante conhecido e gozava do carinho de todos.

O sepultamento aconteceu na manhã deste sábado, e todo cortejo foi acompanhado por um fina neblina, inúmeras pessoas e  carros de som que executavam as músicas preferidas de Givaldo (fotos abaixo). O caixão com o corpo de Glenda acompanhou o de Gilvaldo até o cemitério local, mas de lá seguiu para a cidade Barra de Corda, onde será sepultado.

Desenvolvido por