Sem título

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), que como os filhos sempre são votados no município, também vem sendo alvo da Operação Catilinárias, da Polícia Federal. Em conjunto com o Ministério Público Federal, a PF deflagrou na semana passada a operação, que teve como objetivo o cumprimento de 53 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, todos referentes a sete processos instaurados a partir de provas obtidas na Operação Lava Jato.

Em Pernambuco inicialmente foram cumpridos quatro mandados, porém um deles foi suspenso e apenas três foram executados. Um deles no escritório de Fernando Bezerra Coelho, em Petrolina.

Outro político pernambucano que também vem sendo alvo de investigação é o médico Mozart Sales, criador do programa nacional Mais Médicos. Mozart é suplente de deputado federal, já foi vereador do Recife pelo PT e foi votado no último pleito em Belém. Derrotado assumiu a diretoria da Hemobrás e ficou responsável pelas atividades de pesquisa, produção e gestão do plasma. Mozart foi escolhido para o cargo pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro.

A operação tem como objetivo reprimir a atuação de uma organização criminosa especializada em direcionar licitações e desviar recursos públicos da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia – Hemobrás.

Durante a operação, percebeu-se que inúmeras amostras de sangue coletado que deveria ser transformado em medicamentos contra a hemofilia e outras doenças deixaram de ser fabricados em virtude de ter sido armazenado de forma inadequada tornando-se inapropriado para a produção dos medicamentos.

DINHEIRO CAI DO CÉU

O que mais chamou atenção na operação foi quando da chegada dos agentes da PF a um dos endereços investigados, os prédios conhecidos como “Torres Gêmeas, no Cais de Santa Rita, no Centro do Recife, maços de dinheiro foram arremessados pelas janelas. A PF ainda não confirmou se o dinheiro tem relação com a operação. Vale ressaltar que o presidente da Hemobras, Rômulo Maciel Filho mora no local

VOTADO EM BELÉM

O então candidato Mozart Sales é daqueles que de repente apareceu no município como um dos postulantes ao cargo de deputado federal, fato que chamou atenção já que o político não possuía qualquer vínculo com a terra, nem com seu povo, mas mesmo assim obteve quase mil votos, mais até do que aqueles que são bastantes conhecidos, como Gonzaga Patriota, que obteve pouco mais de 800 e dona Creuza, ex-prefeita de Salgueiro, cidade vizinha, mas que obteve pouco mais de trezentos.

Categoria: Sem categoria

Desenvolvido por