Sem título

O presidente do TRE-PE – Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, Desembargador, Antônio Carlos Alves da Silva, anunciou pessoalmente ao Blog do Tadeu Sá, que o município de Belém do São Francisco e o Termo Eleitoral de Itacuruba, farão parte da próxima etapa da Revisão Biométrica, com previsão para começar ainda esse ano, no mês de novembro ou dezembro, quando ele deverá passar pelo município para ver os locais onde serão instalados os kits da revisão. Antônio Carlos, que recentemente recebeu o Título de Cidadão da nossa terra, é casado com uma belemita, e foi o autor da sugestão para inclusão de Belém no recadastramento biométrico.

A utilização da biometria para o voto, começou a ser usada no Brasil em 2008, e já foi adotada em vários outras cidades pernambucanas. Para isso, o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, está coletando os dados dos eleitores dos dois municípios. O cadastramento biométrico é feito com utilização do chamado “Kit Bio”, composto de dispositivo de captura de fotos, escâner para captura de digitais, maleta de transporte e cenário (mini-estúdio fotográfico).

No último pleito, o voto através da biometria foi usado em 47 municípios do estado, entre eles o Recife. Os municípios que recentemente ingressaram no sistema foram Amaraji, Araçoiaba, Bezerros, Bom Jardim, Bonito, Camocim de São Félix, Glória do Goitá, Iguaraci, Ingazeira, Lajedo, Limoeiro, Nazaré da Mata, Olinda, Passira, Paulista, Petrolina, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, Tacaratu e Vitória de Santo Antão, totalizando assim, 67 cidades. Agora é a vez de Belém, que depois de Petrolina e Tacaratu, é o terceiro município do sertão a receber o sistema.

Nesse processo de revisão, todos os votantes em situação regular precisam comparecer aos cartórios, inclusive os maiores de 70 anos, menores de 16 anos e os analfabetos, que desejem continuar votando. A biometria não tem custo para o eleitor, mas há consequências para quem não fizer. Os eleitores que não realizarem a revisão, dentre várias restrições, ficam impedidos de votar nas eleições seguintes, não podem tomar posse em cargo público, não podem matricular-se em instituições públicas de ensino, ficam com restrição no CPF que impacta na renovação de bolsa-família, impede a concessão de empréstimo bancário e pode ocasionar bloqueio até da conta corrente.

O objetivo da Justiça Eleitoral com a Biometria, é justamente garantir mais ainda segurança e rapidez ao processo eleitoral e com a medida, Belém e Itacuruba, terão seus eleitores apto a utilizar urnas equipadas com identificação biométrica. A liberação é feita na mesa receptora de votos através de equipamento próprio (micro terminal) antes do eleitor entrar na cabine de votação.

Além de presidente do TER\PE, desembargador Antônio Carlos, à direita, é vice-presidente do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais do país, e foi o responsável para implantação da biometria em Belém.

Além de presidente do TER\PE, desembargador Antônio Carlos, à direita, é vice-presidente do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais do país, e responsável pela implantação no final do ano da biometria em Belém.

Categoria: Sem categoria

Desenvolvido por